quarta-feira, 22 de março de 2017

EMATER REÚNE COM A PREFEITURA DE ELDORADO DO CARAJÁS



EMATER REÚNE COM A PREFEITURA DE ELDORADO DO CARAJÁS

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Pará (EMATER), reuniu no dia 14 (terça-feira), em Eldorado do Carajás, visando formalização da parceria através de convênio de cooperação técnica entre EMATER e a Prefeitura. Participaram da reunião o Prefeito Célio Boiadeiro, o vice-prefeito Manuel da Leolar, a primeira dama Elis Regina Silva, os Secretários Municipais de Meio Ambiente e Agricultura, assessores e uma equipe da EMATER.
A possibilidade de parceria nasceu  da relação do Escritório Local com a Secretaria Municipal de Agricultura. Uma primeira ação foi uma visita do secretário Municipal de Agricultura Galdino Aguiar Sampaio e o engenheiro agrônomo Luziano Pinto Silva Filho (Coordenador Local) aos órgãos regionais em Marabá: Instituto do Desenvolvimento Florestal e Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio); Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (SEDAP).
 Exibindo Eldorado negociacao.jpg

Outra motivação é a oportunidade de ampliar o acesso ao crédito rural a partir do acesso a financiamento no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar e Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor (PRONAMP) através dos agentes financeiros Banco do Brasil e Banco da Amazônia. Serão cedidos um técnico agrícola e um agrônomo com ônus para a Prefeitura para ampliar a capacidade da EMATER.
O Prefeito Célio Rodrigues da Silva “Boiadeiro” afirmou “quero fazer esta parceria” com a EMATER e imediatamente acatou a proposta e entregou o kit prefeito com a documentação para a tramitação do processo de convênio no Escritório Central e na sua assessoria jurídica.
O Supervisor Regional da EMATER de Marabá Francisco da Silva Ferreira “França” colocou a empresa à disposição, mencionou possíveis serviços: Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) que envolve emissão da Declaração de Aptidão ao PRONAF (DAP), Cadastro Ambiental Rural (CAR), organização para acesso ao Programa de Alimentação Escolar (PNAE) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), credito rural e outros.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Agricultura em Palestina



EMATER FIRMA CONVÊNIO COM A PREFEITURA DE PALESTINA DO PARÁ
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Pará (EMATER), realizou no dia 09 (quinta-feira), em Palestina do Pará, uma Reunião com órgãos parceiros do campo, na oportunidade a foi anunciada a formalização da parceria através de convênio de cooperação técnica entre EMATER e a Prefeitura local.
O objetivo principal do termo é a dinamização do setor rural no âmbito da Agricultura Familiar do município de Palestina do Pará. Cabe a EMATER desenvolver os serviços de ATER utilizando de metodologias participativas. A Prefeitura se responsabiliza pela manutenção cessão de dois servidores (administrativo e técnico agrícola), manutenção de veículos, fornecimento de combustível, cessão do prédio para funcionamento do ESLOC com disponibilidade de acesso a Internet.
Exibindo palestina plenaria.jpg

O prefeito Claudio Robertino Alves dos Santos “Claudio da Tetê” anunciou que a agricultura é uma das ações prioritárias, considerando as características agrícolas do município. Unir forças e recursos com a EMATER é fundamental para o desenvolvimento rural.
Francisco da Silva Ferreira “França” – Supervisor Regional da EMATER de Marabá agradeceu pela parceria e colocou a experiência da empresa à disposição. Anunciou que na região a EMATER está oficializando parcerias com as prefeituras.
Na oportunidade foram discutidas parcerias com o Instituto do Desenvolvimento Florestal e Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) para implantação de um viveiro; a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) implantação de uma Unidade de Aprendizagem Tecnológica (UAT) seleção natural de matrizes leiteira; o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas  (SEBRAE) organização do arranjo produtivo local do açaí e mandioca; e a Mineração Ouro Verde doou 150 toneladas de calcário agrícola.
Outra temática apresentada para os/as agricultores/as foi sobre informações sobre a renegociação de dívidas de crédito rural com base na Lei 13.340 de 28 de setembro de 2016, as explicações foram dadas pela gerente do Banco da Amazônia Leila Mirchele e pelo engenheiro agrônomo e coordenador local da EMATER Edynando Lima.

sábado, 4 de março de 2017

Poluição visual

Marabá, sexta feira 03/03/2017...
Quero saber onde está o Pessoal do Código de Postura de Marabá, que não está Vendo essa lambança, desses outhdoor, colocados praticamente em "Cima da Mureta" da Rotatória da Rodovia transamazônica, é um descabimento sem tamanha...
até Porque a POLUIÇÃO VISUAL vai ser demais até, o próprio DNIT junto com a PRF, tem q se manifesta contrário essa situação,
Tenho Ciência do que falo, ate porque o Código de Postura na gestão do Maurino, Mandou tirá todos os Outdoor, que Estavam nas Olarias a mais 300 MTS da Rodovia, alegando que era crime Visual...
Imagina esses que estão em cima da Mureta. Atrapalhando a Boa visibilidade de todos os condutores de veículos além do que é em uma Rotatória que já tem ocorrido vários acidentes depois q a rodovia transamazônica foi duplicada..

Emídio Nunes
Mototaxista..
Comentar

sexta-feira, 3 de março de 2017

Professor negro corre risco de ser exonerado por omissão da Reitoria do IFMG



Neilson José da Silva, negro, professor de Filosofia e Sociologia do Instituto Federal de Minas Gerais - IFMG – Campus Santa Luzia e Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, recebeu a notícia do pedido de anulação de sua nomeação, nesta semana.

A Reitoria do IFMG não se manifestou quando intimada pelo Ministério Público Federal – MPF, gerando indignação de alguns professores da instituição. Para eles, ao omitir-se, a Reitoria se furtou ao dever de defender seus próprios atos e de assumir seu posicionamento no Edital 144/2014, pelo qual foi admitido o professor.

Neilson foi admitido tendo em vista as prerrogativas da política de cotas instituída pela Lei nº 12990/2014. O outro candidato, que entrou na justiça a fim de defender seu direito de posse ao cargo, ganhou o direito de ser nomeado. Contudo, alega a defesa de Neilson, esse direito não pode recair sobre o referido professor, que não é réu do processo. Vale ressaltar que Neilson, para tomar posse no IFMG, teve que se exonerar de dois cargos efetivos, nas esferas municipal e estadual, nos quais atuava há mais de 10 e 16 anos, respectivamente, aos quais não pode retornar. Dessa forma, a exoneração do professor agora o colocaria em situação de desemprego.