domingo, 7 de agosto de 2016

Mestrado para servidores da Rede Federal abrirá primeira turma em 2017


 




 
 
 
Com polos em 18 institutos federais, o Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (Prof-EPT), ofertado em rede, abrirá até 400 vagas para servidores docentes e técnico-administrativos no primeiro semestre de 2017. Elaborada pelo Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (Forpog), a proposta de curso foi submetida pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e aprovada no início desta semana pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O programa será coordenado pelo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), com o auxílio de um Comitê Gestor a ser constituído nos próximos dias, dando início à elaboração do cronograma e do edital do processo seletivo, previsto para ser lançado em 2017. O curso semipresencial terá 510 horas de atividades didáticas e duas linhas de pesquisa: Práticas Educativas em EPT; e Gestão e Organização do Espaço Pedagógico em EPT. As vagas contemplarão o público externo, mas haverá reserva para os servidores da Rede Federal.

Já no seu primeiro ano de oferta, o mestrado estará presente em todas as regiões brasileiras. “É uma grande conquista, que mostra que a rede é forte e importante para o País; evidencia que a educação profissional e tecnológica continua sendo prioritária”, destaca o coordenador do programa, Rony Cláudio de Oliveira Freitas, diretor de Pós-Graduação do Ifes.

Em 2017, terão polos do Prof-EPT os institutos federais do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Espírito Santo, Farroupilha, Fluminense, Goiano, de Goiás, do Paraná, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte, do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, de São Paulo, de Sergipe, do Sudeste de Minas Gerais, Sul-rio-grandense e do Triângulo Mineiro. A ideia é que, futuramente, todas as instituições da Rede ofereçam o curso.

Concepção – A construção do programa teve início em 2014, sob liderança do pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação do Instituto Federal de Goiás (IFG), Ruberley Rodrigues de Souza, então coordenador do Forpog. Representantes de 10 institutos federais participaram da elaboração da proposta, submetida à Capes em julho de 2015.

“A aprovação do mestrado é resultado do engajamento da Rede Federal e do Conif. A intenção é abrir mais oportunidades para que os servidores possam aperfeiçoar as práticas educacionais e a gestão escolar vinculadas à educação profissional e tecnológica”, afirma a coordenadora da Câmara de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação do Conif, Rosana Cavalcante, reitora do Instituto Federal do Acre (Ifac).


publicada em 05/08/2016 Da Assessoria de Comunicação do Conif

Nenhum comentário: