sábado, 18 de junho de 2016

Rapidinhas 18 06 2016


--------------------

Pelo fortalecimento de uma TV Pública que sirva aos interesses do Brasil

O Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) manifestou essa semana seu repúdio, por meio de nota, ao que considerou “ameaça de intervenção do governo interino de Michel Temer”.
“O Conselho Curador da EBC manifesta seu veemente repúdio à tentativa de desestabilização da empresa pública, com base em problemas cujas soluções competem aos gestores, trabalhadores e conselhos e não à interferência e tutela governamental”, afirma a nota.
O Conselho referiu-se, na nota, a reportagens veiculadas por veículos de imprensa, no último fim de semana, em que auxiliares do governo falaram sobre a possibilidade de extinção da estatal, mudança da lei de criação da EBC ou redução da empresa pública à prestação do serviço governamental, com a distribuição de seus servidores por outros setores públicos. site da EBC

-------------------------

Uma TV que mais exibe filmes nacionais

O monitoramento anual da grade de programação da TV aberta do país, feito pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), mostra que em 2015 a TV Brasil foi a emissora que exibiu o maior número de longas-metragens nacionais, seguida da Rede Globo e da TV Cultura.
Ao todo, de acordo com o levantamento, a TV Brasil veiculou 120 títulos nacionais, enquanto a Globo reproduziu 87 e a TV Cultura, 55. O SBT não veiculou nenhum longa nacional durante todo o ano passado. Já Band e Record, respectivamente, veicularam um e três filmes brasileiros.
O Informe de Acompanhamento do Mercado da TV Aberta, divulgado ontem (17), verificou a veiculação de 2.082 longas-metragens na grade de programação da TV aberta em 2015. Desse total, foram 384 exibições de 262 obras brasileiras e 1.698 veiculações de filmes estrangeiras. O número corresponde a 18,4% e 81,6% de participação, respectivamente. O SBT veiculou 177 filmes estrangeiros. A CNT, a TV Gazeta e a Rede TV! não veicularam longas-metragens de qualquer origem durante o ano passado.

--------------------------

O governo golpista e seus investigados



Guilherme Campos Júnior, nomeado por Michel Temer na última quinta-feira (9), é acusado de ter falsificado assinaturas durante a criação do PSD, em 2011
Por Redação - Fonte Revista Forum On Line
ministeriotemer
O novo presidente dos Correios, Guilherme Campos Júnior, é investigado pela Polícia Federal pela suspeita de ter falsificado assinaturas na criação do PSD, partido presidido pelo também ministro da Comunicação Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab. Campos foi nomeado na última quinta-feira (9) pelo presidente em exercício Michel Temer. A investigação da PF corre em segredo de Justiça.
Além de Guilherme Campos Júnior há outros vários investigados no governo interino de Michel Temer, como o secretário de governo Geddel Vieira Lima (PMDB), na mira da Lava Jato; o ministro de Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, acusado de desviar recursos da merenda escolar em Alagoas; o ministro das Relações Exteriores, José Serra, alvo de um inquérito do MPF que questiona a ajuda financeira a bancos durante a gestão FHC;

Nenhum comentário: