quarta-feira, 9 de março de 2016

Universidade Pública e Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Debate


 

 O Grupo UNIVERSITÁTIS/CNPq, sediado na FaE/ da UFMG, convida toda a comunidade universitária para duas palestras com a PROFª DRª EBLIN JOSEPH FARAGE (UFF), nos dias 10 e 11 de março de 2016, na Faculdade de Educação da UFMG.

Na noite do dia 10/03 (20h), no Auditório Neidson Rodrigues/FaE, Eblin Farage, compõe a mesa redonda _Educação Superior no Brasil: (des) caminhos da universidade pública_. Juntamente com os professores Ruben
Caixeta (Fafich/UFMG), Savana Diniz (FaE/UFMG), e representante da Pedagogia, na Semana Ser Professor, promovida pela Faculdade de Educação. A professora Eblin Farage analisa as principais políticas
educacionais em curso, como a Lei 13.005/2014 (PNE), Lei da Carreira (Lei 12.772/2012), EBSERH (12.550/2011) e, mais amplamente, como as políticas macroeconômicas referenciadas na ideologia da austeridade e do ajuste fiscal nos indicam um cenário para refletir sobre a Educação Superior.

Soma-se a este complexo conjunto de normatizações, os cortes de mais
de R$ 9 bilhões no orçamento do MEC, em 2015, e mais R$1,3 bilhão em
2016. Além disso, os contingenciamentos nos orçamentos dos estados, a
imposição da FUNPRESP aos novos servidores e, as ameaças de uma nova
contrarreforma da previdência, o intento de contratar professores/as e
técnicos/as por Organizações Sociais (OS). A política de
flexibilizar, ainda mais, os direitos trabalhistas, se dá no âmbito de
um processo de contrarreforma do Estado e da Educação. Neste sentido,
a professora chama a se problematizar e nomear esses processos, para
compreendermos os desafios que são colocam para a educação pública.

No dia 11/03, às 11h, no Auditório Luiz Pompeu (FaE), o tema
_Política de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: Análise
Crítica_, será abordado por Eblin Farage considerando que, diante da
Lei de Inovação Tecnológica e a implementação da Empresa Brasileira
de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) se faz necessário
refletir sobre o conjunto das políticas de C&T, os orçamentos,
critérios e mecanismos de distribuição de recursos da União e dos
estados para a produção científica e tecnológica com vistas a
combater os efeitos dessa legislação.

A questão da pesquisa, da pós-graduação, e das políticas
produtivistas e seu impacto sobre o trabalho docente e a inserção
subserviente e acrítica dos Programas de Pós-graduação às
políticas implementadas pela CAPES e pelo CNPq precisam também ser
enfrentadas para que possamos refletir com seriedade as relações
éticas e políticas na produção do conhecimento e na pesquisa
socialmente referenciada. A palestra sobre esse segundo tema integra o
Projeto sobre Tecnologia e Educação da UFMG/FAE, no Programa de
Consolidação das Licenciaturas/PRODOCÊNCIA, da Coordenação de
Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior/DEB/CAPES.

EBLIN FARAGE é doutora em Serviço Social (UERJ), e professora da
Universidade Federal Fluminense(UFF), onde ministra aulas da área de
Fundamentos do Trabalho Profissional. Pesquisadora na área de questão
urbana, com ênfase na temática de favelas e espaços populares.
Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Favelas e Espaços
Populares - NEPFE. Tem experiência na área de Educação, Educação
Popular, Formação, Favela, movimentos sociais e movimento sindical.
Membro do Conselho Editorial da Revista Territórios Transversais.

Nenhum comentário: