quarta-feira, 23 de março de 2016

Lição do dia: empresa não faz caridade, eles querem retribuição.


200 políticos citados, inclusive os moralistas de plantão na Câmara
O deputado Ivan Valente foi à tribuna da Câmara comentar os últimos acontecimentos, já que em menos de 24 horas, o Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, advertiu sobre as paixões das ruas, o ministro Teori Zavascki condenou a ação do juiz Sérgio Moro e foi divulgada a delação premiada dos executivos da Odebrecht.
Para Ivan Valente é preciso investigar a fundo a lista de doações apresentada pela empreiteira para verificar quais doações foram legais e quais foram repasses ilegais, via caixa 2. Valente ressaltou que praticamente todos os partidos aparecem na lista, “vários defensores da moralidade aqui na Câmara aparecem na lista. O que se fala aqui é que o dinheiro corrupto da Petrobras ia apenas para um lado, mas, na verdade, foi para todos os lados. Empreiteira não faz trabalho de graça. Empresa não faz caridade, quando doam querem retribuição, e esse é o ponto central”.
O líder do PSOL na Câmara ressaltou que a grande lição de todo esse processo é a necessidade de acabar com o financiamento empresarial de campanha, que é a raiz da corrupção no Brasil, e de debater um projeto para a sociedade brasileira, pois não basta defender a saída de um ou outro do poder. “Não basta trocar seis por meia dúzia”.
Citando o ministro Teori Zavascki que também condenou a ação do juiz Sérgio Moro, Ivan reafirma que fora da lei não há caminho e que aqueles que querem sair do Estado Democrático de Direito vão perder a batalha.
(Mandato do Dep Ivan Valente

Nenhum comentário: