quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Vem aí II Festival Internacional de Cimema



Tema: “Indígenas, camponeses e guerrilheiros: re-existências na fronteira amazônica”

Apresentação
Seguimos no front que é a Amazônia, seguimos na fronteira reinventada desde dentro, segundo as perspectivas das lutas sociais, como o centro dos embates, da resistência, o lugar dos combates físicos e epistêmicos, cujas transformações podem ter força de impacto além front. E aqui, como parte destes embates, o Festival Internacional Amazônida de Cinema de Fronteira, em sua segunda edição, pretende colocar em foco as lutas travadas por indígenas, guerrilheiros e camponeses e a realidade de violações de direitos constituída pelo processo de ocupação da Amazônia no contexto da Ditadura Militar no Brasil.
O FIA CINEFRONT II será composto pela mostra de obras fílmicas em que indígenas, camponeses e guerrilheiros são apresentados como protagonistas intelectuais e políticos de lutas de resistência que possuem em comum um caráter anti-colonial, mas que as vezes conflitam entre si, sendo um dos objetivos do festival provocar visibilidades aos conflitos na fronteira e estimular reflexões sobre possibilidades de construção de alianças emancipadoras entre os sujeitos em luta.
Assim o FIA CINEFRONT reafirma seu compromisso com cinema de fronteira enquanto arma de descolonização, de combate a colonialidade, isto é, daquela mentalidade e das ferramentas institucionais que reproduzem-legitimam a desigualdade social e sustentam privilégios de grupos sociais que se julgam superiores quando, pela exploração do trabalho, destruição dos modos de vida e expropriação dos recursos naturais, condenam outros grupos sociais a uma existência de humanidade roubada.

fonte: unifesspa.edu.br

Nenhum comentário: