quarta-feira, 21 de outubro de 2015

PARQUE AMBIENTAL DE MARABÁ JÁ É LEI, MAS NÃO SAIU DO PAPEL


A área ao centro do mapa da cidade corresponde ao futuro parque
No Plano Diretor de Marabá, lei que rege as políticas da cidade, consta que a área correspondente as duas marges do aterro de acesso à Marabá Pioneira, chegando às margens do Rio Itacaiúnas à esquerda, Grota Criminosa à direita e com limites na marginal direita da "Transamazônica" está reservada para a a construção de um parque ambiental municipal. 

O local, que é uma Zona Ecológica de Interesse Ambiental (Zeia) é conhecido como Bambuzal. A implantação do parque seria extremamente benéfica para Marabá, que teria o calor amenizado e o ar menos poluído em função da presença das árvores bem no meio da cidade. 

Contudo, as autoridades não têm atentado para esta importante demanda da nossa sociedade e consta que até já empresas de olho no local a fim de edificar prédios comerciais. Na Semma, o titular Carlos Brito disse que o parque é importante mas que faltam recursos. 

Nós do Movimento Ciranda Verde acreditamos que, uma vez sendo previsto em lei, o parque só precisa de pressão popular para sair definitivamente do papel. "A população ainda não entendeu a relação que existe entre a falta de cobertura verde na cidade e os extremos calor e poluição!", garante o engenheiro agrônomo Carlos Cavalcanti, integrante do projeto. 

Em breve o PCV pretende organizar um passeio ciclístico até o local do futuro parque e produzir um vídeo-documentário sobre a situação do mesmo, que ano a ano sofre com as inúmeras queimadas, muitas delas criminosas.

Texto: André Vianello
Foto: Google Maps  

Nenhum comentário: