quinta-feira, 29 de outubro de 2015

"O CIDADÃO DE BEM SÓ QUER PAZ, NÃO QUER GUERRA"

- O Deputado Ivan Valente fala sobre a tentativa de revogação do Estatuto do Desarmamento.
Durante reunião da Comissão Especial que discute a revogação do Estatuto do Desarmamento, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) disse que para enfrentar o crime de verdade é preciso política de segurança pública e não o retorno aos tempos do velho oeste, numa crítica contundente aos deputados que defendem a revogação do Estatuto.
Esta lógica de que armar a população irá melhorar a segurança é uma das facetas desta política do medo, que também de maneira cínica e enganosa afirma que a maior facilitação para aumentar o porte de arma seria uma medida em “benefícios dos cidadãos de bem”. Uma comprovada falácia, já que todos os estudos e especialistas nacionais e internacionais apontam que a maior disponibilidade de armas numa sociedade gera mais violência e não menos!
A proposta de revogação do Estatuto aprovado na Comissão Especial inclui o porte de armas até para deputados e senadores, voltando aos tempos do senador Arnon de Mello (PSD-AC), que em 1963 atirou e matou outro parlamentar no próprio plenário do Senado (Leia sobre:http://bit.ly/1KFohiy).
É evidente que os deputados da bancada da bala não estão preocupados com os cidadãos de bens, mas sim com o lucro da indústria armamentista que financiou suas campanhas e com a imposição de uma visão de segurança pública arcaica, ineficiente e sem qualquer base nos estudos e estatísticas existentes.
Para Ivan valente, "o cidadão de bem só quer paz, não quer guerra", e por essa razão a maioria dos deputados e senadores deverá rejeitar este retrocesso encarnado nesta tentativa de revogar o Estatuto do Desarmamento no Brasil.
O texto base do projeto foi aprovado na Comissão Especial nesta terça-feira (27), por 19 votos a 8. Os destaques serão votados na semana que vem.

Nenhum comentário: