terça-feira, 7 de abril de 2015

A educação está na rua – Amanhã (8) tem marcha da indignação em Belém

Depois de duas semanas em greve os (as) trabalhadores (as) em educação do estado do Pará mostram ao governo Jatene (PSDB) que não se curvarão ao assédio moral e às ameaças protagonizadas por gestores que se encastelam a frente da Secretaria de Educação (Seduc) e demonstram pouco nenhum compromisso com a valorização profissional e a qualidade de ensino.
Portanto, informamos que o setor jurídico do Sintepp está a postos para receber denúncias e lembra que tais práticas são inaceitáveis, pois a greve nem sequer fora considerada ilegal pelo poder judiciário.
Enquanto isso, o Sintepp e sua categoria ainda aguardam as promessas feitas pelo governo de retirada da educação pública dos baixos índices, no entanto, o que se vê são acúmulos de insultos como máfia de hora extra, roubo de merenda, trapaça...
Antes mesmo da deflagração da greve, em 20.03, os educadores já sinalizavam ao governo que não aceitariam a lógica míope imposta pela Seduc, através do secretário Helenilson Pontes, de limite de 150h de efetiva regência. Visto que a atitude direciona certamente para a redução salarial. Como se não bastasse a falta de perspectiva para o pagamento do piso nacional, e seu retroativo.
Nossa assessoria jurídica já aguarda a comprovação de tais perdas, caso as mesmas efetivem-se o Sintepp cobrará judicialmente o ressarcimento de valores, inclusive com a elaboração de processos individuais.
Além do que quais são as reais condições de trabalho oferecidas por este governo? Escolas alagadas e depredadas, má qualidade na merenda escolar, precariedade no transporte, corpo docente insuficiente e a violência que há tempos transpassou os muros de nossas instituições?
Repetidamente o Sintepp, cumprindo seu papel de representante da sociedade civil e de sua categoria, leva à tona estes problemas. Ao governo mais válido foi maquiar a situação com uma ilusória propaganda denominada de pacto pela educação. A educação não vive no mundo de fantasias criado pelo governo e exige respeito e soluções!
Atualmente, dos 144 municípios paraenses, 106 confirmam suspensão das aulas, porém Helenilson vai a público anunciar que a greve acontece apenas para o Sintepp e tapa os olhos para os clamores da comunidade escolar.

Nenhum comentário: