segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Mensagem da presidenta Dilma foi frustrante”, afirma Edmilson Rodrigues

Para o deputado, discurso é incoerente com a prática
Frustrante. Assim o deputado Edmilson Rodrigues resume a mensagem da presidenta Dilma Rousseff enviada aos deputados para abertura dos trabalhos legislativos nesta segunda-feira (2/2). A mensagem argumenta que os ajustes na economia não vão provocar recessão nem afetar os direitos dos trabalhadores.
Para o deputado Edmilson Rodrigues, ela revela uma grande incoerência. “Apesar dessas duas máximas terem sido repetidas, ela apresenta um ajuste fiscal que imporá recessão econômica ao país com todas as consequências sociais. Redução de empregos, diminuição da produção industrial e redução de consumo”, comenta sobre o discurso.
O deputado Edmilson se refere às medidas provisórias 665 e 664, que tornam mais rigoroso o acesso da população a uma série de benefícios previdenciários, entre eles o seguro-desemprego e a pensão por morte. “Punir o desempregado dificultando o acesso ao seguro-desemprego, o pescador ao seguro-defeso, os doentes ao seguro-doença representa uma grande contradição com um discurso de que humildes não serão afetados”, pontua.
Presidência da Câmara nas mãos de Eduardo Cunha
Sem precisar enfrentar segundo turno, Eduardo Cunha (PMDB/RJ) venceu as eleições para presidência da Câmara no último domingo (1/2) com 267 votos. “É a eleição de alguém que, para além dos vícios do PMDB, carrega uma história muito vinculada ao que tem de mais tradicional e pouco nobre na política”, assim Edmilson caracteriza o presidente da Câmara.
Apesar de ser do PMDB, partido da base da presidenta Dilma Rousseff, a vitória de Cunha representa uma derrota para o Planalto. “Surpreende a incapacidade do governo em criar condições de governabilidade”, comenta Edmilson. Para o deputado paraense, essa eleição pode indicar um anteato de uma grande crise institucional. “O que inviabilizará a busca de solução aos problemas sociais agravados com a crise da globalização neoliberal”, enfatiza.
Edmilson Rodrigues explica que há duas dimensões preocupantes dessa crise política. De um lado, indica um governo enfraquecido cuja solução para crise vai ser encontrada nas privatizações e redução de benefícios para os trabalhadores. “De outro lado, um Congresso Nacional que ao invés de produzir caminhos progressistas para superação da crise, aponta para inviabilização ou derrota de quaisquer ideias que favoreçam soluções populares”. Edmilson se refere, por exemplo, a projetos que Cunha já anunciou que vai barrar, como regulamentação da mídia, entre outros.
Apesar desse cenário, Edmilson Rodrigues acredita que é necessário e possível mudar os rumos do país. “Não podemos perder a esperança a despeito das posições do governo e do conservadorismo desse Congresso. Não podemos deixar de acreditar que é possível mudar os rumos dessa orientação punitiva dos que mais precisam”.
Assessoria de Imprensa do deputado Edmilson Rodrigues/Nádia Junqueira

Nenhum comentário: