domingo, 8 de fevereiro de 2015

AS CRUELDADES DA GENEROSA DOADORA DE CAMPANHA


----------
Regime análogo à escravidão na Friboi: como se comportará a grande imprensa? - 
                                                                                                       Por Marcelo Auler
Hoje, quinta-feira, 05 de fevereiro de 2015, o Ministério Público do Trabalho de Mato Grosso divulgou a decisão liminar do juiz André Araújo Molina, da Vara do Trabalho de Mirassol D'Oeste, “que proíbe a JBS (leia-se Friboi) de São José dos Quatro Marcos - MT, de prorrogar jornada de trabalho em ambientes insalubres, como o de abate e o de desossa. A insalubridade desses dois ambientes foi reconhecida recentemente em outra ação ajuizada pelo MPT e pelo sindicato laboral no ano passado”.
Segundo o release, “o frigorífico, que emprega 1.078 trabalhadores, tem 10 dias para cumprir a determinação, sob pena de multa de R$ 500 mil por dia, independentemente do número de empregados encontrados em situação irregular”. A notícia pode ser conferida em : http://www.prt23.mpt.mp.br
O MPT briga ainda por conquistar na Justiça, em razão da gravidade da situação encontrada no frigorífico de São José dos Quatro Marcos, a 328 km de Cuiabá, “uma indenização por danos morais coletivos de R$ 10 milhões”.
À primeira vista podem assustar tais valores, mas quem visitar o site oficial do Tribunal Superior do Trabalho (TSE) constatará que não é nada perto das volumosas doações para campanhas eleitorais que as empresas do grupo fizeram na eleição de 2014. Foram R$ 369.804.199,50, - cerca de R$ 370 milhões - ou, para falar a linguagem da dona de casa, o equivalente a 12,330 quilos de filé mignon da Friboi, ao preço de R$ 29,99, quilo mais barato encontrado em uma busca na internet. Ou, na linguagem dos trabalhadores, o que correspondia a 510.779 salários mínimo vigente no ano passado. Destes quase R$ 370 milhões, R$ 76,6 milhões foram doados a candidatos e R$ 293,1 milhões a comitês eleitorais e direções partidárias.
A candidata Dilma Rousseff levou R$ 54 milhões, já o comitê único do PT ganhou R$ 500 mil , mas o diretório nacional do partido abocanhou R$ 44,3 milhões.
Aécio Neves, como candidato, não foi beneficiado. Já o seu comitê de campanha recebeu R$ 40,2 milhões e a direção tucana ficou com outros R$ 10 milhões. O diretório nacional do PMDB mereceu R$ 22.632.000,00

Além de ser um grande doador de campanhas eleitorais, o JBS é também um dos maiores anunciantes da mídia brasileira: TV, jornais e revistas. Tem como seu principal garoto propaganda o ator Toni Ramos, que a toda hora aparece na telinha e nas páginas impressas enaltecendo a confiança no produto. Ele já dividiu peças publicitárias com ninguém menos do que Roberto Carlos, pago a peso de ouro.
Isso tudo provoca uma enorme dúvida: os jornais de amanhã (sexta-feira, 06/02/15) cumprirão o seu papel de denunciar o esquema de trabalho análogo à escravidão que a Justiça do Trabalho, em Mato Grosso, provocada pelo MPT, constatou na fábrica da Friboi em São José dos Quatro Marcos? Ou tudo passará em brancas nuvens como se nada tivesse acontecido?

Nenhum comentário: