quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Emater em Marabá atende agricultores com curso de agente vacinador





 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Agricultores clientes da reforma agrária, assentados nos Projetos de Assentamentos (PAs), Tocantins, Piquiá, Sereno, Lajedo e Talismã, participam até no próximo dia 28, de um curso de agente vacinador contra brucelose bovina. A programação que já teve início, contempla 100 famílias e acontece por iniciativa da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), atendendo objetivos da chamada pública 001/2011, que contempla mais de mil famílias na região, com trabalhos de assistência técnica e extensão rural.

O curso é trabalhado em teoria e prática, destacando os cuidados com a vacina, forma correta de contenção dos animais, aplicação e procedimentos para o cadastramento do vacinador junto a Agencia de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará). Os alunos também recebem a informação sobre os malefícios da brucelose, doença que contamina o animal, causa infertilidade e aborto no terço final de gestação no caso de fêmeas. A zoonose também traz prejuízos a saúde do homem.

Segundo Weberson Rocha, técnico da Emater, a proposta do curso nasceu a partir da necessidade de orientar os agricultores familiares sobre os corretores procedimentos de prevenção da brucelose. Hoje a vacina contra a brucelose é obrigatória e a finalidade é erradicar a doença que traz grandes prejuízos econômicos a pecuária nacional. O animal contaminado com a zoonose precisa ser descartado. Durante o curso os alunos são capacitados a identificar os sintomas da doença no animal, como repetição de cio e apresentação de orquite (inchaço nos testículos) “Por meio do leite, da carne mal passada a doença também é transmitida. É importante detectar os sintomas”,disse o técnico.

Ao final do curso o agricultor está apto a vacinar o rebanho de forma segura. Cada aluno recebe um certificado, o que o torna apto a ser um agente multiplicador da prática da vacinação. Os cursos são ministrados pelos médicos veterinários da Emater, Cássio Rafael Vasconcelos e José Luis Gomes.

Texto: Iolanda Lopes ASCOM/EMATER
 

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Sintepp firme em jacundá!

trabalhadores em educação de Jacundá.


Trabalhadores da educação segue nas ruas reivindicando melhorias, enquanto o governo petista não dialoga! ·


sábado, 15 de fevereiro de 2014

Asdrúbal e a cassação de Natan Donadon!

São as máscaras caindo. E ainda, cinicamente, se pergunta, tentando implantar uma "verdade", a mídia brasileira: por que tanta violência nas ruas ?
Único parlamentar presente que não votou pela cassação de Natan Donadon (sem partido-RO) na sessão desta quarta-feira, 12, o deputado Asdrúbal Bentes (PMDB-PA) disse ter agido por uma "questão ética", uma vez que ele próprio é condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e aguarda apenas o julgamento de recursos.

"Não me sinto à vontade, na condição de condenado, para julgar e condenar ninguém. É uma questão ética. Um condenado julgar outro", justificou Bentes, que recorre de condenação a 3 anos, 1 mês e 10 dias de prisão por proporcionar cirurgias de esterilização em mulheres em desacordo com a Lei do Planejamento Familiar.Outros 43 parlamentares no exercício do mandato não votaram. Como em casos como este é preciso alcançar 257 votos pela cassação, a ausência tem o mesmo peso de um voto favorável a Donadon. Na lista dos ausentes está Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que deve ser julgado nos próximos meses no caso do mensalão mineiro. Paulo Maluf (PP-SP), que também tem pendências no STF, foi outro a faltar à sessão.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Em Xinguara inicia as negociações

Assembleia Geral do SINTEPP Xinguara.

Após apresentação de despesas da SEMED e debates. A categoria recusou proposta de 3.32% de reajuste apresentada e, aprovou Comissão de Negociação Salarial para avaliar contraproposta do Sintepp Subsede Xinguara de reajuste baseado no reajuste do valor aluno (13,5%) feitas os ajustes para garantia de quinquénios, licenças e garantia de pagamentos todo ultimo dia útil.

Em jacundá greve continua!

Justiça tarda, às vezes se confunde, mas com muita perseverança e fé ela até que não falha. Ao mesmo tempo em que recebemos a liminar que exigia o fim da greve hoje, às 12:00 h., sem que fossemos ouvidos e pudéssemos contrapor as provas forjadas pelo governo. NOSSOS GOVERNANTES TAMBÉM TIVERAM DE AMARGAR A DECISÃO JUDICIAL QUE OS OBRIGA A VOLTAR A DESCONTAR EM FOLHA DE PAGAMENTO A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL QUE HAVIAM RETIRADO SEM AUTORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO FILIADOS AO SINTEPP.

VITÓRIA!!! E essa é apenas a primeira!

Governo do PT sai derrotado!
 
 
Quanto à decisão da categoria de continuarmos em greve, nossos advogados estão aguardando apenas a presença do juiz em nossa cidade para recorrer e, se necessário, poder encaminhar o processo a uma instância maior. Portanto não se preocupem, companheiros!

Ainda estamos ocupando a SEMED. E pedimos aos pais que continuem nos apoiando nesta luta por dias melhores para a educação de nossos filhos.
A GREVE CONTINUA! DINO, A CULPA É TUA!!!

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

No senado

AI 5 do Século XXI?

Ofensiva contra movimentos ganha reforço: Senado inicia trabalhos com intenção de votar lei antiterrorismo

Iniciativa tem o objetivo de cercear o direito às livres manifestações e de criminalizar os movimentos sociais. Leia mais: http://bit.ly/1cwhkQM

Notícia da semana!

Esse é o Brasil que pune quem reivindica seus direitos

Repúdio ao deputado Ruralista

Deputado ruralista diz que quilombolas, índios e homossexuais são “tudo o que não presta” e defende que fazendeiros usem armas

Um vídeo gravado em audiência pública com produtores rurais, em Vicente Dutra (RS), registra discursos de deputados da bancada ruralista estimulando que agricultores usem de segurança armada para expulsar indígenas do que consideram ser suas terras.

Em Marabá

O prefeito João Salame (PROS) depois de 03 dias de espera, finalmente decidiu acatar a RECOMENDAÇÃO do Ministério Público do Estado do Pará e marcou reunião para as 15:00 horas desta tarde (12). Segundo o coordenaddor do Sintepp Wendel Lima: "Esperamos que o Governo mude a postura e apareça com alguma novidade em relação a nossa pauta. Nossa postura vai continuar a mesma, ao final das negociações, vamos deliberar amanhã em Assembleia Geral se vamos aceitar ou não as propostas do Governo".

Em Jacundá

rra.
Professores protestam em Jacundá em resposta ao desrespeito do governo do PT que mais uma vez tentou fazê-los de palhaços! "Acharam que a CARREATA DA INDIGNAÇÃO foi pequena, que eram apenas pessoas de fora? E agora? Será que vão nos obrigar a radicalizar novamente? Nos respeite, governo! Queremos a reunião que a secretária Ana Cristina de Araújo Negrão disse e oficializou que iria acontecer!" falou a representante do Sintepp.

Em Parauapebas

 Folha de Parauapebas

Inndignados, moradores de Parauapebas queimam pneus em protesto contra falta de água, Educação, Saúde e Segurança.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Araceli lançada pré-candidata ao governo

ARACELI É A PRÉ-CANDIDATA DO PSOL AO GOVERNO DO PARÁ


Araceli Lemos_candidata ao governo do Pará
 
O Partido Socialismo e Liberdade do Pará (PSOL) decidiu na tarde deste sábado (08), que a historiadora e ex-deputada Araceli Lemos será a candidata da legenda ao governo do Pará nas eleições de 2014.
O PSOL está organizado em todas as regiões do Estado e reúne considerável organização no movimento social, popular e na juventude, além de contar com expressivas lideranças com experiência no executivo com o ex-prefeito de Belém e deputado estadual Edmilson Rodrigues, que será candidato a deputado federal, o sociólogo Ribamar Ribeiro Junior também será candidato a deputado federal, a ex-senadora Marinor Brito, vereadora em Belém, que encabeçará a chapa de deputados estaduais junto com Fernando Carneiro.
Para Walmir Freire, presidente do PSOL-PA: “A expectativa é de que as principais lideranças do partido ajudem a puxar um número alto de votos e assim aumentar a representatividade do PSOL na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal. O PSOL apresentará candidaturas em todos os níveis e pretende reunir as suas lideranças em todas as regiões do estado para influir no processo eleitoral deste ano”, disse.
BONS DE VOTOS – Edmilson conquistou cerca de 350 mil votos (45%) na disputa pela prefeitura da capital paraense em 2012. O ex-senador José Nery será um dos candidatos a deputado estadual com experiência parlamentar considerável. Nery foi senador de 2006 a 2010, com destacado trabalho de combate ao trabalho escravo. Marinor Brito, senadora em 2011, eleita com cerca de 730 mil votos, fez a diferença no congresso nacional com defesa de um salário-mínimo digno, 10% do PIB para a Educação e autora e relatora da CPI de combate ao tráfico nacional e internacional de pessoas.
Para o deputado Edmilson Rodrigues: “é uma honra ter Araceli Lemos como candidata ao governo. Com sua história, com respeitabilidade e inabalável convicção na construção da felicidade humana, está credenciada a debater os rumos do Pará e a representar uma alternativa de governo fiel aos interesses da grande maioria de nosso povo”, destacou.
???????????????????????????????
Para Araceli Lemos, pré-candidata ao governo do Pará, “Estou muito feliz e agradecida pela oportunidade que o PSOL está me oferecendo. Vamos colocar o bloco do PSOL na rua em cada canto deste Estado, avançar na organização e luta do nosso povo e tenho a certeza que faremos acontecer, pois representamos a verdadeira mudança aos projetos conservadores das oligarquias que se revezam no poder há muitos anos e construir o verdadeiro poder popular, com democracia e projetos populares inovadores que tragam dignidade e respeito ao nosso povo que não agüenta mais a humilhação que passa todos os dias”, disse emocionada.
A direção partidária também definiu o candidato ao Senado. Será o professor Pedro Maia, que aceitou o convite, afirmando que: “Chegou a hora de chamarmos o povo discutirmos o Pará que queremos. Chega de coronelismo e governos conservadores que só levaram o nosso Estado ao atraso. É neste contexto que estou pré-candidato ao Senado. Já provamos que um Senador do PSOL faz a diferença. Colocaremos na pauta do Parlamento os reais problemas do nosso e Estado e do País”, disse.
araceli e dirigentes do psol (2)
Araceli Lemos
Araceli é natural de Inhangapi a 66 quilômetros de Belém, no nordeste paraense. Aos cinco anos de idade, mudou-se com a família para o município de Castanhal, cidade onde iniciou trajetória como militante de esquerda, nas lutas estudantis no final da década de 70. Graduou-se como historiadora pela Universidade Federal do Pará. Ainda quando estudante, Araceli começou a lecionar em escolas públicas da região. Tornou-se dirigente das lutas dos trabalhadores em educação e, mais tarde, coordenadora estadual do SINTEPP e da antiga Intersindical dos Servidores Públicos do Estado, além de fundadora do Fórum Paraense em Defesa da Moradia.
Araceli é dirigente do PSOL e uma das principais articuladoras da elaboração política da legenda no Pará e desde que ingressou no partido, em 2005, tem ocupado os principais cargos de direção.
Como deputada estadual por duas legislaturas, entre os anos de 1998 e 2006, foi considerada a melhor deputada estadual pelo Observatório da Cidadania, do Fórum da Amazônia Oriental (FAOR), reconhecimento a sua ação em defesa da infância, da educação e dos direitos humanos. A candidata do PSOL também integra a Academia Castanhalense de Letras desde 2008. -Fonte Ponto de Pauta

sábado, 8 de fevereiro de 2014

GOVERNO SALAME: Fraco e perdido!!


--------------------------------------------------------------------------------------------Artigo da Semana-------
Um governo na corda-bamba
Marabá inicia o ano com o prenúncio de enchentes, viagens internacionais do prefeito à Itália e à Alemanha e greve dos professores.
A cidade continua suja, o curtume continua exalando sua fedentina aos finais de tarde, ruas esburacadas e a desculpa de sempre: está-se pagando as dívidas do gestor passado; dívidas essas no mínimo suspeitas, que deveriam ter sido submetidas à uma auditoria e que com seu pagamento deixam no ar a possibilidade de acordos, talvez generosos no interior da Prefeitura de Marabá.
O que tem bem funcionado, sem dúvida, é a assessoria de comunicação, que não deixa nada sem resposta e tem sido ágil em responder qualquer crítica ou questionamento; assim como os órgãos de comunicação locais, como de costume em Marabá, estão bem próximos ao governo municipal; alguns numa aliança que transcende o dever de informar e certamente alcança a própria aliança política, com objetivos e interesses comuns. Salvo alguns poucos e raríssimos blogs que noticiam alguns fatos e assim mesmo, sem aprofundar a investigação dos fatos a que se referem.
A greve de professores, por sua vez, está se revelando um imbróglio interessante porque significa um verdadeiro cabo-de-guerra entre a administração municipal e o sindicato de professores: o prefeito João Salame no afã da campanha eleitoral comprometeu-se, por escrito, com uma carta-compromisso em relação às reivindicações de temas afetos à educação do município e agora não pode voltar atrás sem sofrer uma espécie de desmoralização política, embora se saiba que campanha eleitoral é uma coisa e governo é outra. E agora ele procura de forma subterrânea querendo convencer o Ministério Público a entrar com ação de inconstitucionalidade contra a lei aprovada no governo Maurino Magalhães, para desfazer as gratificações de cem e cento e cinquenta por cento para os professores municipais com mestrado e doutorado, demonstrando que existe saída jurídica para esse impasse, mas que delonga por conta dos prejuízos políticos em ano eleitoral. Do mesmo modo como pode pedir a ilegalidade da greve em juízo, através de sua assessoria jurídica e com isso impedir que se prejudique o ano letivo dos alunos das escolas municipais que estão no meio de uma guerra política e corporativista, entre os interesses dos professores e os do Prefeito Municipal e sua entourage. O prefeito teve um ano inteiro para negociar as reivindicações dos professores mas relutou e agora tem em suas mãos um problemão para resolver, que, ao que parece, impediu seu périplo pela Europa. Esta tem sido uma característica de João Salame desde que assumiu; resta saber se faz parte do seu modo de governo ou é decorrência dos inúmeros acordos políticos que fez para obter o governo municipal, o que lhe impede que tenha mais espaço
para agir; de fato, sua campanha representou a junção de vários grupos políticos locais contra um adversário comum: Tião Miranda. Diz-se que na reta final até mesmo integrantes do grupo de Maurino Magalhães pediram votos para João Salame, o que explicaria, talvez, a leniência do governo atual em cobrar, com maior ênfase, os descalabros administrativos e financeiros de seu antecessor. Daí, talvez, a morosidade em empreender logo no início do governo, as reformas administrativas que a municipalidade tanto precisava, como extinção de cargos comissionados, junção de secretarias desnecessárias e outras medidas desagradáveis que somente são bem aceitas em começo de governo. Entretanto, João Salame recuou e manteve os mesmos apanágios anteriores, inclusive nomeando desbragadamente e contratando temporários. Perdeu o timing político de efetuar uma reforma administrativa, sanear as contas da prefeitura e deslanchar um ambicioso programas de reformas, que poderia, quem sabe, alcançar os prometidos quinhentos quilômetros de asfalto, pois as ruas da cidade estão esburacas, enlameadas, com capim crescendo nas ruas, como no Novo Horizonte, além daquelas sequelas que acima citei e outras que não cabe enumerar. Para piorar, a cassação pelo Tribunal Regional Eleitoral, com a inelegibilidade por oito anos e a sua manutenção no governo por conta de uma liminar, que cedo ou mais tarde será julgada, com consequências imprevisíveis, sendo que este fato já é contabilizado nos cálculos políticos dos aliados e dos adversários políticos; um governo, portanto, que está na corda bamba; tantos que já se protagonizam nos bastidores, choques entre vários dos fiadores de sua campanha. Sem contar a insegurança que esse tipo de situação provoca, já que um governo cambaleante pode, de um lado, intensificar as negociações entre aliados visando o futuro e a exclusão do sentenciado; de outro, diminuir o apetite do próprio governante para o dia-a-dia estressante da administração municipal, passando a desenvolver outros interesses, como por exemplo, diante desta situação insegura, tem pretendido lançar às assembleias estadual e federal, seu irmão e sua esposa, o que contraria, certamente, seus aliados próximos que tenham a mesma pretensão, sendo mais um fator desagregador da combalida aliança que o levou o posto máximo municipal, o de alcaide. Entretanto, João Salame ainda confia em seu imenso poder de convencimento pessoal, para ir levando seu governo aos troncos e barrancos, esquecendo que na esfera administrativa, ações falam mais que palavras, diferentemente da esfera legislativa, onde a retórica tem um peso muito maior. Enquanto isso Marabá ainda aguarda um ação efetiva do poder público municipal, que a torne, de fato, um lugar agradável para se viver, como já foi um dia. (Tito Magalhães)
 
-------Fonte: Blog Quaradouro-------------------------------------------------------------

A greve está apenas suspensa!


_______________________________________________Nota do Sintepp

Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará – SINTEPP comunica a toda a comunidade marabaense que, respeitando a Recomendação do Ministério Público Estadual, resolveu suspender a greve por três dias, no período de 10 a 12 de fevereiro, segunda, terça e quarta-feira.

Portanto, nesses três dias haverá aula normal, porém esclarecemos ainda que, caso não haja negociação com o prefeito até quarta-feira, dia 12, os trabalhadores em educação retornarão à greve na quinta-feira, dia 13/02.

Segunda-feira: 10/02 – suspensão da greve conforme decisão da categoria (aula normal)

Terça-feira: 11/02- suspensão da greve conforme decisão da categoria (aula normal)

Quarta-feira: 12/02 - suspensão da greve conforme decisão da categoria (aula normal)

Quinta-feira: 13/02 – Assembleia Geral no Auditório da Faculdade Metropolitana, às 14 horas.

Diário Semanal debate Assistencia Técnica e Meio Ambiente

Ouça hoje (08) O Programa Diário Semanal Com Adriana Araújo na Rádio Itacaiúnas AM 850 KHz das 09:00 as 12:00 ou Pelo Site (www.itacaiunasam.com).Bloco Meio Ambiente: Tema Desmatamento na Amazônia.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Grupo da vereadora Toinha entrega cargos ao prefeito

 
 
CARTA ABERTA DA “Articulação Socialista-AS” Tendência Interna do Partido dos Trabalhadores entregue a direção do partido e ao prefeito João Salame
---------------------------------------------------------------------------------------------------

 Esta carta tem como propósito estabelecer um diálogo interno no partido, ao mesmo tempo, apresentar nossa decisão em relação a participação na gestão municipal, no que diz respeito a atual conjuntura vivenciada pelo nosso grupo. Para tanto, pontuamos alguns elementos para o debate.

Como é de conhecimento de todos e todas a “AS” Articulação Socialista, tendência interna do PT, nesses últimos tempos tem vivenciado um momento importante na afirmação e principalmente no crescimento e visibilidade da nossa tendência. Neste contexto a ousadia tem sido uma das principais causas para que esse resultado viesse se consolidar contribuindo no debate interno do partido e seu fortalecimento.

Em 2012 tomamos a decisão em concorrer as Prévias internas do Partido, pois entendíamos que o PT, pelo conjunto da obra, realizada principalmente pelo Governo Federal nos credenciava a ter uma candidatura forte que pudesse implementar um novo projeto de desenvolvimento no município baseado na participação popular e na implementação de políticas voltadas para a melhoria da qualidade de vida da população. E todos os debates democráticos que se deram em torno das prévias caminhavam no mesmo rumo. Findado as eleições internas para a escolha do candidat@, tendo o companheiro Luiz Carlos como vencedor, tratamos de ajudar na construção da candidatura de forma unificada e na tentativa de ajudar na articulação de outros partidos da base da presidenta Dilma para ampla frente que pudesse vencer as eleições.

As discussões em torno da frente ampla para disputar as eleições municipais apontavam duas principais lideranças o Luiz Carlos e o Salame que pela avaliação dos demais partidos, esse último tinha as melhores condições políticas em aglutinar os demais partidos, fomos procurados pelo então pré-candidato do PT para decidirmos em ser vice, de pronto, propomos em ajudar internamente na articulação para que tivéssemos uma decisão unificada, marcamos então uma reunião com o Salame para batermos o Martelo em torno de sua candidatura, pois entendíamos que uma candidatura forte junto com o PT haveria de o partido estar unificado. Neste sentido toda nossa militância foi para a campanha que culminou com a vitória larga da coalização de partidos.

O debate em torno da composição do governo não foi uma tarefa fácil ao PT, primeiro, pela vaidade de lideranças que deveriam mediar o debate, segundo, pela imposição de nomes para determinada secretaria, terceiro, pelo tratamento inicial dado pelo prefeito eleito, pois entendemos que o PT teve um papel significativo e estratégico para a vitória do Salame, tanto pela participação da militância, como dos parlamentares e principalmente pela participação do ex- presidente LULA na campanha, portanto, essa participação nos credenciava a ser o principal parceiro na administração municipal e não foi o que aconteceu. Os espaços oferecidos de forma estratégica levaria o racha interno e a quem interessava a divisão interna do PT? Tanto foi que não havendo consenso e nem disposição de dialogar mais sobre os mesmos, e mesmo com intervenção política do presidente estadual do PT a vaidade e a imposição falaram mais alto dentro do PT.

Fomos contemplados com a diretoria de ensino na SEMED, é bom destacar, que esse espaço foi uma negociação direta com o prefeito, o mesmo entendia que pelo acúmulo da vereadora na área da educação ajudaria na gestão, pois internamente fomos excluídos de participar da gestão, mesmo tendo uma vereadora que tem dado suporte a administração municipal e por entender também que o PT é governo e esse princípio partidário acatamos. Portanto nossa atuação na SEMED foi sempre vista como ameaças por aquele que dirige e seu grupo, chegando ao limite com demissões, perseguições e boicotes de todas as formas. A gestão na SEMED tem sido marcada pelo individualismo sem qualquer respeito aos companheiros profissionais que nela atuam por direito e por serem concursados, mas tem uma marca por ser da “AS” e o PT em nenhum momento tomou qualquer atitude em debater a problemática que vem ocorrendo. Temos responsabilidades em ter uma boa gestão na SEMED por entender ser um espaço de política pública fundamental no desenvolvimento do município, mas é também preciso que o PT debata rumos, estratégias, postura de dirigente e, acima de tudo, faça o debate político sobre as decisões tomadas.

Neste contexto, e por termos sempre pautado no PT o debate sobre a condução na SEMED, fomos convidados pelo Prefeito João Salame a entregar os cargos que ocupávamos na SECRETARIA DE EDUCAÇÃO e é por meio desta, que estamos tomando a decisão de oficializar a entrega de todos os espaços da “AS” na gestão municipal para que o prefeito fique a vontade em nomear profissionais da sua inteira confiança e implementar sua marca com a participação daqueles que ele achar mais importante no desenvolvimento do município.

Por fim, não podemos aceitar a crítica e a imputação ao PT sobre a crise na educação e seus desmandos, essa responsabilidade deve ser direcionada a “outros”, pois temos clareza de que a forma como está dividida a SEMED levará ao desgaste do partido. Portanto é imperativo que a nova direção do PT tome a atitude de debater se queremos continuar com esse espaço da forma como está ou se tomamos a decisão de sair definitivamente do governo.

Saudações Petistas;

Coordenação Municipal da AS – Articulação Socialista

Nota da CPT

Comissão Pastoral da Terra – Secretaria Nacional
Assessoria de Comunicação
NOTA PÚBLICA
 
 
Ameaça de Despejo de famílias em Campos Lindos, TO
 
A Coordenação Nacional da Comissão Pastoral da Terra vem a público externar sua apreensão diante do risco iminente de despejo de suas terras de cerca de 80 famílias camponesas, em Campos Lindos, TO.
O juiz da Comarca de Goiatins emitiu, em 18/09/2013, mandado de reintegração de posse em favor da Associação de Plantadores do Alto do Tocantins (Associação Planalto) do Projeto Agrícola Campos Lindos, município de Campos Lindos, nordeste do Tocantins. Na ação, a Associação Planalto alega que as famílias invadiram a área de reserva em condomínio, o que estaria prejudicando a regularização ambiental do projeto. O recurso apresentado pelos posseiros foi julgado em 29 de janeiro de 2014 pela 5ª Turma da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Tocantins, a qual manteve a sentença de despejo.
Na verdade a alegação de invasão de área de reserva não corresponde à realidade. Em torno a 160 famílias que, há pelo menos quatro décadas, ocupavam a área, foram pressionadas e encurraladas em reduzido espaço para dar lugar ao Projeto Agrícola Campos Lindos, criado em 1997, pelo governo Siqueira Campos. Em consequência, mais de 90 mil hectares já ocupados por camponeses foram transferidos para fazendeiros, empresários e políticos, entre os quais a atual senadora Kátia Abreu e o ex-ministro da Agricultura Dejandir Dalpasquale. Em uma verdadeira “reforma agrária às avessas”, cada beneficiário pagou apenas 10 reais por hectare.
Depois de muita pressão, aproximadamente 80 famílias tiveram seus direitos reconhecidos pelo Instituto de Terras do Tocantins, Itertins. Grande parte, porém, ficou sem o reconhecimento legal de suas posses. Pais e filhos que moravam perto foram considerados um único núcleo familiar e a eles foi atribuído um único lote. Por isso continuaram na área reivindicando uma solução definitiva.
As últimas sentenças judiciais determinam o despejo de todas essas famílias. A Polícia Militar já fez o reconhecimento de campo e se planeja para, em breve, realizar a ação.
Mais uma vez a propriedade, nem tão legítima como poderia parecer, fala mais alto que os legítimos direitos dos camponeses que, há dezenas de anos, trabalham, produzem e vivem nesta área. Ao invés de tentar conhecer a fundo a realidade, a Justiça se restringe a examinar documentos e papéis. A história escrita e esculpida na terra com o suor e o trabalho das pessoas não conta.
O Ministério Público Federal havia determinado, após audiência pública realizada em 2013, um estudo antropológico sobre a ocupação da área. O laudo do antropólogo foi concluído e publicado somente no dia 28 de janeiro de 2014, na véspera da sentença do Tribunal de Justiça, reconhecendo a ocupação antiga e coletiva da área.
Diante disto, a Coordenação Nacional exige que o despejo seja suspenso e que se garantam os direitos das famílias que, há 18 anos, vivem constantemente sob pressão, na incerteza de como será o dia de amanhã.
 
Goiânia, 6 de fevereiro de 2014.
 
Dom Enemésio Lazzaris
Presidente da CPT Nacional
 

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

GREVE CONTINUA, SALAME A CULPA É TUA!

 O SINTEPP Informa:

 Após ser lido e debatido em Audiência Pública o documento enviado pelo Ministério Público recomendando ao SINTEPP a suspensão da greve para viabilizar o diálogo com o ente municipal, a categoria decidiu permanecer em greve. Por outro lado, usando de boa vontade, a categoria decidiu pela suspensão por três dias das atividades em rua e dar a chance ao governo de provar que estava falando a verdade quando afirmava que só dialogaria com a categoria se a greve fosse suspensa.
O encaminhamento é de que se nesses três dias não houver nenhuma disposição do governo em sentar com a categoria para negociar as pautas reivindicas, voltaremos para as ruas porque a greve continua.
Esclarecemos que amanhã manteremos o nosso calendário de greve, vamos fazer uma grande manifestação em frente a prefeitura a partir das 14 horas, a suspensão acontecerá segunda, terça e quarta-feira na quinta-feira acontecerá nova assembleia a ser marcado o horário e o local.

Nepotismo do Pescador!




Reportagem da Folha mostra Nepotismo da tucanalha!


Toma, Caiado!!!!

http://www.youtube.com/watch?v=Hx8HEma2E_E

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Diária presidencial



Quem ganha salário mínimo, no Brasil, precisa trabalhar nada menos que dois anos e oito meses para pagar uma única diária da presidente Dilma Rousseff (PT). Os gastos abusivos da chefe do Executivo e os desmandos do PT foram os assuntos da semana.

Em sua passagem por Portugal, para jantar num hotel de luxo, a Dilma hospeda 45 pessoas e a diária da Presidente petista custou R$ 26 mil, quando o aposentado morre à míngua, quando o País não tem saúde, quando o assalariado passa fome?


terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Revista Acadêmica convoca para publicação de trabalhos

A Áskesis – Revista dos Discentes do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFSCar informa que está aberta a chamada para o recebimento de trabalhos inéditos (artigos, ensaios, resenhas, entrevistas, traduções e relatos de pesquisa) para a composição de seu terceiro número. As normas para o envio de contribuições podem ser consultadas em http://revistaaskesis.wordpress.com/about/. Os textos deverão ser encaminhados exclusivamente para o endereço de e-mail da revista: revista.askesis@gmail.com. O lançamento do terceiro número está previsto para julho de 2014 e, para isso, os trabalhos devem ser enviados até 28 de fevereiro 2014. A Áskesis também receberá textos em fluxo contínuo

O PT que não valeu!

O ex-deputado Geraldo Pastana (que também já candidato a vice governador na chapa com Ademir Andrade em 1998) é o novo coordenador estadual da corrente politica interna do PT, Construindo um Novo Pará, nome que substituiu o PT pra Valer!

Esse é o entendimento da Direção Nacional do PT, que cumpra o Estatuto, já que não deve haver alusão a sigla nos nomes das correntes internas.

Aliás grupo de interesse!!

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

GREVE CONTINUA: Governo Salame mais uma vez é derrotado!

CATEGORIA LOTA AUDITÓRIO DA ESCOLA MENDONÇA VIRGULINO E DA RESPOSTA AO PREFEITO JOÃO SALAME

Em decisão na manhã desta segunda-feira, 03 de fevereiro, categoria compareceu em peso e decidiu pela permanência da Greve.

O prefeito João Salame (PROS) e o secretário de educação  do PT estão intimidando os trabalhadores com discursos mentirosos na TV. Preferem fazer isso do que fazer o diálogo com o sindicato.


Fonte: Sintepp

Trabalhadores se solidarizam com a luta dos professores


NOTA DE APOIO E SOLIDARIEDADE A LUTA DOS EDUCADORES EM MARABÁ


O SINASEFE, URBANITÁRIOS, SINDUNIFESSPA, SINTSEP vem através desta, solidarizar com a luta dos professores da rede municipal de ensino de Marabá. Em greve há uma semana, os educadores têm ido às ruas dialogar com a população para manifestar seu descontentamento sobre a situação de descalabro na qual se encontra a educação pública no município, as péssimas condições salariais e de trabalho que enfrentam no seu cotidiano, assim como a necessidade de uma política efetiva de educação e de maior autonomia, que reverta o atual estado de sucateamento e desvalorização dos profissionais da educação.

Infelizmente, o governo municipal tem fechado as portas para o diálogo e utiliza a estratégia de jogar a população contra o movimento grevista para intimidar os professores. Precisamos nos unir a esta luta não só por uma educação de qualidade como também pelo respeito aos princípios dos direitos humanos e à garantia de um estado de direito democrático.

Considerando que mesmo após as recentes lutas da juventude e do povo que ocuparam as ruas para mandar um recado aos políticos, de que não aceitarão mais as velhas práticas de corrupção, desvios de verbas, bem como, o descaso com a saúde e educação pública, certamente o governo de João Salame/PT/PMDB ao que parece não ouviram as vozes das ruas. Que mesmo depois de várias tentativas de negociação os trabalhadores da educação não foram atendidos em suas justas reivindicações, que após o esgotamento das negociações os trabalhadores em educação da rede municipal através do SINTEPP, encontraram a greve como uma ferramenta de luta para serem ouvidos e atendidos em suas reivindicações.

Os sindicatos que assinam essa nota vêm, assim, à público manifestar sua solidariedade e apoio com a luta dos professores da educação municipal de Marabá

Contra a criminalização dos movimentos sociais e de trabalhadores!

 Marabá, 3 de fevereiro de 2014,

O SINASEFE, URBANITÁRIOS,  SINDUNIFESSPA,  SINTSEP.

EDITAL DO Concurso do Ministério da Fazenda

As inscrições para os concursos do Mapa e Fazenda abrem hoje!
Além deles, mais 12 concursos estão abrindo as inscrições nesta segunda. Juntos, eles somam mais de 4 mil vagas.
Salários de até R$ 21.711,74.

- E o MTE está encerrando as inscrições hoje. O órgão oferece 450 vagas de nível médio e superior! Salários entre R$ 2.573,22 e R$ 3.981,42.


MINISTÉRIO DA FAZENDA


Somente para o Ministério da Fazenda são 1026 vagas de nível superior distribuídas em 25 estados. A remuneração é de R$ 3.050,82. As inscrições seguem até o dia 16 de fevereiro pelo site da Escola de Administração Fazendária (ESAF): http://www.esaf.fazenda.gov.br. A taxa é de R$ 62. O salário inicial será de R$ 3.050,82.

leia o Edital AQUI

50 ANOS DO GOLPE MILITAR


 Manter viva a nossa memória para fortalecer nosso compromisso com a Democracia

Democratas:
...
Há cinco décadas, através de um golpe militar, o Brasil foi mergulhado em uma ditadura que durou 21 anos. Foi um golpe violento em nossa frágil democracia: partidos foram postos na clandestinidade, líderes políticos cassados e/ou exilados, entidades de trabalhadores sofreram intervenções, a imprensa foi amordaçada, ... Aqueles que discordaram dos generais foram perseguidos, presos, muitos foram assassinados, muitos ainda continuam “desaparecidos”.

Muitos desses fatos continuam sob silêncio, ou para eles somente há a versão oficial. Diferente de outros estados brasileiros, o Pará ainda não criou a sua Comissão da Verdade, destinada a investigar esses fatos, trazê-los à luz da verdade, informar a sociedade paraense. A Verdade, é o que queremos!

Na próxima quarta-feira (05/02), a partir das 17h, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PA), vamos reunir dirigentes políticos, líderes partidários, representantes de entidades democráticas e cidadãos do Pará. Vamos propor e discutir uma agenda de eventos que resgate, de forma crítica, a nossa memória política recente e não deixe passar em branco os 50 anos do Golpe Militar.

Traga sua proposta de evento! Participe!

Ordem dos Advogados do Brasil – OAB-PA
Comitê Paraense pela Verdade e Justiça
Sindicato dos Jornalistas no Pará – Sinjor-PA
Sociedade Paraense dos Direitos Humanos

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Salame foi pedir apoio a Sarney!

 
Enquanto o Brasil inteiro repudia a oligarquia maranhense, o gestor marabaense foi atrás....

Contra violência!

Nessa noite o Maranhão iluminou-se.
Centenas e centenas de comunidades cristãs, no Estado inteiro, caminharam em silêncio pelas ruas das periferias urbanas ou pelas veredas dos povoados rurais, cada pessoa com uma vela na mão.
Foi uma resposta de fé ao apelo dos bispos do Maranhão contra a violência em Pedrinhas, em todas as cadeias, nas periferias onde o tráfico de drogas tomou controle do território, nas terras indígenas e quilombolas...
 
Nessa mesma semana, porém, em Açailândia carregaram-se nuvens sombrias.
Quarta-feira passada, conforme relatos de testemunhas, “um grupo de cerca de 30 a 50 mototaxistas  armados com facões, facas e revolveres invadiram, após chutarem a porta de uma residência em uma rua erma, no Residencial Tropical, onde se encontravam três pessoas, que foram imediatamente torturadas com fios de energia e cordas. (...) Valdimar de Araújo Bezerra, 30 anos, foi amarrado e levado na garupa de um dos mototaxista. (...) Era suspeito de ter participado da morte de um mototaxista de Açailândia, Charles Alves Santos, 27 anos, que foi morto com mais de 20 facadas” (conforme o blog Rei dos Bastidores e o jornal O Progresso).
 
A imprensa, como sempre, noticia esses dramas apresentando imagens sangrentas dos corpos assassinatos, em total desrespeito às vítimas e seus familiares e –de certa forma- proporcionando mais um incentivo à violência. Com o evidente objetivo de “vender” mais, alimenta-se o gosto do sangue e a banalização da vida. Algumas famílias corajosas, que se sentiram lesadas por essas atitudes da mídia, já processaram um jornal de Açailândia. “Fotos de cadáveres, chocantes, decorrentes de mortes brutais, sem qualquer conteúdo jornalístico, gerando afronta ao princípio da dignidade da pessoa humana e o direito de imagem que resguarda a memória dos mortos”, comentou o juiz Antonio dos Santos Machado em sentença preliminar.
 
O que une a caminhada nãoviolenta organizada pelos bispos do Maranhão às atrocidades repetidas nessas semanas por moradores de Açailândia não é simplesmente um estado de violência, mas uma verdadeira Violência de Estado.  
A omissão, a morosidade ou a total inconsistência do sistema de justiça e de segurança do Estado reforça na população uma sensação de abandono, falta de proteção e ausência de autoridade.
Juntando a isso a fragilidade do sistema de garantias de direitos, a precariedade das condições de vida de uma boa fatia de maranhenses e a péssima situação do sistema público estadual e municipal de educação e serviços sociais, temos todos os ingredientes para a receita da violência institucionalizada.
Esse é o caldo em que, com uma certa facilidade, as pessoas que se sentem provocadas e abandonadas a si mesmas transformam-se em animais descontrolados, sedentos de vingança, querendo justiça somente para si e por si.
 
Dá para entender uma violência coletiva tão irracional. Mas não para justificá-la.
Dentro de nós temos uma consciência! Somos seres humanos, esquecemo-nos de nossa humanidade?
 
É urgente que cada pessoa tome uma atitude corajosa e radical e repudie a violência e a vingança.
Precisamos começar pelas atitudes cotidianas:
- boicotar filmes ou videojogos violentos, que incentivam a morte, as armas e o combate e chamam de herói quem elimina as pessoas indesejadas. Como podemos permitir que nossos filhos bebam de graça essa cultura de sangue?!
- não banalizar a violência nos discursos de cada dia, ter a coragem de repudiar publicamente gestos como esse ou outros linchamentos, não brincar com a dor ou a morte de outras pessoas, não valorizar gestos de vingança;
- educar nossos filhos ao respeito dos mais fracos, ao diálogo e à defesa intransigente da vida;
- assumir nossa fé cristã ao afirmar que repudiamos a pena de morte, as condições desumanas das cadeias, a redução da maior idade penal.
 
Essa vela que as igrejas carregaram na noite de domingo não seja hipócrita ou símbolo de uma fé que transfere as responsabilidades para Deus ou adia a paz à vida eterna...
É urgente incendiar nossas consciências com indignação, comprometer-nos pela vida, expulsar o demônio da violência de nossa sociedade!
 
Pe. Dário Bossi
Missionário Comboniano
02 de fevereiro de 2014

Sontepp Convoca Assembléia Geral

 
 
Agenda da Greve
Dia 31 de janeiro = Ato Público na Avenida Antônio Maia na Velha Marabá Concentração: Posto de Gasolina na entrada da Velha Marabá Horário: A partir das 07:30 da manhã
Dia 31 de janeiro = Ato Público na Escola Avanir Tenório na Liberdade (final da Avenida Antônio Vilhena) Horário: A partir das 13:00
Dia 03 de fevereiro (Segunda-feira) = Assembleia Geral Horário: 09:00 da manhã Local: Auditório da Escola Mendonça Vergolino

Carta aberta ao prefeito João Salame

Lamentavelmente vamos iniciar a primeira semana de fevereiro em Greve. Digo que é lamentável porque a greve é um instrumento de luta dos trabalhadores em educação. Pessoas que, na minha opinião,  merecem a minha profunda admiração e mereciam mais respeito por parte do atual Secretário de Educação de Marabá. Nunca imaginei até completar meus 18 anos que eu seria professor. Só sabia que se eu optasse por esta profissão, seria eternamente desvalorizado, pois cresci vendo meus professores em greve por melhores condições de trabalho e por valorização profissional. Até hoje nem o reconhecimento que merecemos, os professores estão tendo por parte deste governo. Em 2012, tive a impressão que o candidato João Salame seria um prefeito diferente. Mas depois de eleito, pude perceber que existe uma grande diferença entre o João do Sim e o João Salame. Trocando em miúdos, existe uma grande diferença entre o que se promete e o que realmente se pode cumprir.
Por defender os interesses da categoria que eu represento junto com meus companheiros do SINTEPP, passamos a ser criminalizados pelos aliados do Prefeito João Salame. Criaram até falsos perfis no facebook para tentar manchar o meu nome, já que não encontraram nada que pudesse desabonar minha conduta pessoal como pai, filho, sindicalista e como profissional que sempre fui. Sempre tive o devido compromisso com as coisas que me proponho a fazer.
No SINTEPP, conseguimos alcançar a verdadeira valorização de toda a nossa categoria e até isso agora é atacado pelo Secretário de Educação. Que tem munido o Prefeito João Salame com informações que não condizem com a realidade da educação do município de Marabá. Acredito que tudo isso iniciou com a profunda crise que se instalou na gestão compartilhada da SEMED, onde o Secretário sempre manifestou a sua falta de segurança com a presença do SINTEPP nas mesas de negociação. O Secretário simplesmente nunca aceitou o fato do Prefeito João Salame ouvir a Coordenação do SINTEPP em muitas situações onde o Senhor Bressan sempre estava completamente equivocado. Prova disso é a famosa suplementação de carga horária, que apesar de ter sido autorizado pelo Prefeito no início de 2013, só agora, um ano depois, começa a ser implementada pela SEMED.
Uma das promessas do Prefeito João Salame foi nomear pessoas competentes tecnicamente para cada Secretaria do seu governo. Quero registrar aqui para o Sr. Prefeito, que ainda há tempo para cumprir esta promessa. Quero deixar claro ao Prefeito João Salame que se existe apenas um responsável por esta greve, o nome dele é Bressan, pois o mesmo não teve a capacidade e o conhecimento exigíveis para uma pessoa que ocupa um cargo tão importante. É preciso lembrar que a educação não é uma mercadoria. A educação não é uma mercearia, onde qualquer um acha que pode gerenciar.
Sr. Prefeito, se hoje há milhares de crianças sem aula, não queira nos responsabilizar por isso! Se hoje o seu nome tem sido vítima da raiva de grande parte da nossa categoria e dos ataques de grupos oportunistas, não tente nos responsabilizar por isso!
Nós não nos escondemos em perfis falsos de facebook!
Nós sempre lhe falamos tudo cara à cara e olho no olho! Mas você conhece muito bem o nível de algumas pessoas que lhe acompanham diuturnamente. Essas pessoas, assim como o Sr. Bressan são os únicos responsáveis.
Por fim, Sr. Prefeito, quero registrar que estamos cumprindo com o nosso dever de reivindicar e lutar pelos interesses da nossa categoria. Assim como achamos que o Prefeito deve estar sempre atento aos interesses da sociedade marabaense. Não será com esta briga, embebida por sentimentos pessoais, que vamos avançar nas negociações que levarão esta greve ao fim. É a primeira vez que o Prefeito está sendo testado a dialogar nos momentos de crises, pois nem sempre os servidores vão concordar com tudo que a Prefeitura de Marabá acorda com o SINTEPP e a categoria tem todo o direito de discordar. A continuidade desta greve só servirá para criar ainda mais intrigas e discórdias e ainda vai contribuir para a radicalização do movimento paredista, que sem dúvida continuará crescendo nestas próximas semanas.
Grande parte da nossa pauta é perfeitamente passível de negociação, mas nem isso o Sr. Bressan foi capaz de perceber. Pois a sua raiva desta coordenação o impede de ver as coisas com a devida impessoalidade com qual o serviço público deve ser gerenciado.

SINTEPP

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Nota do PSOL – Avaliação do primeiro ano do Governo Salame


Nota do PSOL – Avaliação do primeiro ano do Governo Salame

 

Já se passaram mais de 365 dias de governo Salame e o que se visualiza é a continuidade do desgoverno Maurino. O povo já não tem paciência de escutar a mesma explicação para tudo de errado que continua acontecendo em Marabá. Passou um ano e nada de significativo mudou na cidade, poderíamos perguntar às pessoas o que elas viram de mudança em 2013, e com certeza a resposta seria “não mudou nada!”.

            As ações do prefeito estão parecidas ou senão pior que as do Maurino, vejam alguns exemplos: promessas constantes, parece que a campanha eleitoral não terminou para ele; atraso no salário dos servidores, principalmente da educação; falta de remédios e vacina nos postos de saúde; operação tapa buraco nem se fala, se as ruas do centro de Marabá estão esburacadas imagina as da periferia; perseguição aos trabalhadores através de suposto grupo de “inteligência”.

            Nós do PSOL-MARABÀ até que gostaríamos de fazer uma análise positiva da situação de Marabá. Mas infelizmente isso não é possível, pois, as promessas de campanha que o Salame propagou para se eleger como prefeito, não está sendo cumprida, nem parcialmente, como por exemplo, as UPAs, os 500 km de asfalto, a climatização nas salas de aulas, os computadores para os alunos, os médicos da família e muito mais. E o que está sendo feito não é de sua responsabilidade, mas tenta tirar proveito, com a obra de saneamento denominada de “Grota do Aeroporto” é do Governo Federal com recursos do PAC, e o governo do Salame se aproveita para fazer mídia para seu fracassado governo.

            Poderíamos passar um bom tempo relatando às obras não realizadas pelo Salame, mas não há tempo para tanto. Porém, é necessário enfatizar algumas que não foram apresentadas no programa do Salame, mas está querendo empurrar de goela abaixo no povo marabaense: privatizar a saúde, e terceirizar todos serviços das áreas sócias, tirar direitos adquiridos pelos professores, atrasar as matrículas dos alunos, superlotar as salas de aulas, tirando a possibilidade de o professor proferir uma boa aula.

            Além de tudo isso ainda tem o “MENSALINHO” que foi anunciado pelo João blá, blá, até agora não mostrou para a sociedade marabaense quem são os vereadores sugadores do nosso dinheiro. A câmara municipal permanece com as mesmas regalias, será se o “MENSALINHO” permanece no governo Salame?

            Não podemos esquecer das casas populares que estão sendo entregues para o povo. Essas casas não estão sendo bem construídas, muitas delas estão rachadas, sem lajotas no piso, o esgoto entupido. Esses conjuntos residenciais são entregues sem escola, sem posto de saúde, sem transporte e sem segurança. As áreas de lazer como as praças são entregues sem os bancos e as quadras de esporte já estão em péssimo estado.

                Nós do PSOL compreendemos que só poderá haver mudança com muita luta. O mês de junho de 2013 entrou na história, desestabilizou governos estaduais e municipais recém eleitos, o povo foi para rua exigindo mudanças, pois está cansado de descaso com saúde, educação, segurança e transporte. O povo reprovou que milhões sejam gastos com estádios, enquanto nenhuma escola é construída. Em Marabá tivemos manifestações também, o povo se indignou, foi para rua exigir redução da tarifa de ônibus e contra a terceirização dos hospitais municipais, infelizmente, o prefeito não deu ouvido para as manifestações. É preciso que junho de 2013 se repita com mais força em 2014.

Temos que continuar reivindicando a pauta entregue em Junho. Redução da tarifa de ônibus, imediata convocação da Conferência Municipal de Saúde para escolha do novo conselho de Saúde legítimo e não a terceirização dos hospitais municipais.

            Deixamos nosso total apoio a luta dos trabalhadores da educação que estão em greve defendendo seus direitos conquistados, e que o Prefeito João Salame quer tirar. Exemplo claro da falta de palavra do prefeito, que chegou a assinar uma carta de compromisso com a categoria.

    Executiva Municipal
Filie-se ao PSOL

 

VIVO,TIM, CLARO, OI

A TELEFONIA CELULAR EM MARABÁ, CAUSA INDIGNAÇÃO E PREJUÍZO ! SUGIRO A COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR DA CÂMARA MUNICIPAL, UMA FORÇA TAREFA COM O PROCON, BUSCANDO APOIO DO MINISTÉRIO PÚBLICO, PARA UMA SOLUÇÃO.

MST 30 anos



MST símbolo de luta em nosso país 30 anos de vida do MST é uma prova cabal da capacidade de luta e organização do nosso povo. Um movimento que tem base social, que está organizado nacionalmente e que tem uma longa trajetória de enfrentamentos, vitórias e resistência, inclusive com a perda de inúmeras vidas, na dura luta pela Reforma Agrária. Infelizmente nos últimos anos a Reforma Agrária tem perdido espaço para o agronegócio, sob os auspícios do incentivo governamental em detrimento da agricultura familiar. A luta do MST é mais importante do que nunca, é a resistência no campo que assegura a luta em defesa não só da democratização da terra, mas também contra a perda de direitos indígenas, pelo fim do trabalho escravo e contra as mudanças na legislação ambiental que favorecem os interesses dos grandes proprietários. Longa vida ao MST! A certeza de que a luta pela terra é uma questão estratégica para obtermos as mudanças estruturais que o país precisa, é a luta pela vida e por uma sociedade justa e igualitária. Ivan Valente, Deputado Federal – PSOL/S

Greve continua e o Governo Salame segue sendo derrotado nas ruas!

Caros filiados, Infelizmente estamos concluindo o nosso 4º dia de Greve sem nenhuma mudança de postura do Secretário Luiz Bressan. Lamentamos que esta seja a postura adotada pelo Governo Democrático e Socialista do Prefeito Salame, que por conta dos acordos firmados com o PT, não consegue avançar numa educação realmente de qualidade social e que respeite todos os trabalhadores. A Greve foi uma decisão do conjunto de todos os trabalhadores presentes na Assembleia Geral dos trabalhadores em educação. A categoria recebeu todas as informações encaminhadas pela SEMED no dia 22 de janeiro de 2014. Lamentamos que agora que o Bressan chegou ao poder, não valorize as decisões tomadas pelo coletivo dos trabalhadores, assim como faziam os antigos militantes do Partido dos Trabalhadores, que agora devem estar ainda mais envergonhados com a postura arrogante que o Sr. Bressan passou a assumir à frente da SEMED. Diante de tudo isso, a categoria ratificou a decisão de continuar em Greve por tempo indeterminado. Agenda da Greve: Dia 31 de janeiro (amanhã) = Ato Público na Avenida Antônio Maia na Velha Marabá Concentração: Posto de Gasolina na entrada da Velha Marabá Horário: A partir das 07:30 da manhã Dia 31 de janeiro (amanhã) = Ato Público na Escola Avanir Tenório na Liberdade (final da Avenida Antônio Vilhena) Horário: A partir das 13:00 Dia 03 de fevereiro (Segunda-feira) = Assembleia Geral Horário: 09:00 da manhã Local: Auditório da Escola Mendonça Vergolino