terça-feira, 25 de março de 2014

Nota do Blog

Sobre a matéria publicada em 2011 - ver link  abaixo, recebemos da assessoria de comunicação o seguinte comunicado:

A Madepar recorreu à Justiça do Trabalho para sair do cadastro de empregadores flagrados com mão de obra escrava, a chamada “lista suja”. O nome da empresa e de seu diretor presidente Wilson Dissenha, incluídos na relação em julho de 2011, foram excluídos em 30 de novembro de 2012 por determinação da justiça. A decisão final sobre o caso foi tomada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, a qual não cabe recurso.

Aqui

Nenhum comentário: