sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Grupo da vereadora Toinha entrega cargos ao prefeito

 
 
CARTA ABERTA DA “Articulação Socialista-AS” Tendência Interna do Partido dos Trabalhadores entregue a direção do partido e ao prefeito João Salame
---------------------------------------------------------------------------------------------------

 Esta carta tem como propósito estabelecer um diálogo interno no partido, ao mesmo tempo, apresentar nossa decisão em relação a participação na gestão municipal, no que diz respeito a atual conjuntura vivenciada pelo nosso grupo. Para tanto, pontuamos alguns elementos para o debate.

Como é de conhecimento de todos e todas a “AS” Articulação Socialista, tendência interna do PT, nesses últimos tempos tem vivenciado um momento importante na afirmação e principalmente no crescimento e visibilidade da nossa tendência. Neste contexto a ousadia tem sido uma das principais causas para que esse resultado viesse se consolidar contribuindo no debate interno do partido e seu fortalecimento.

Em 2012 tomamos a decisão em concorrer as Prévias internas do Partido, pois entendíamos que o PT, pelo conjunto da obra, realizada principalmente pelo Governo Federal nos credenciava a ter uma candidatura forte que pudesse implementar um novo projeto de desenvolvimento no município baseado na participação popular e na implementação de políticas voltadas para a melhoria da qualidade de vida da população. E todos os debates democráticos que se deram em torno das prévias caminhavam no mesmo rumo. Findado as eleições internas para a escolha do candidat@, tendo o companheiro Luiz Carlos como vencedor, tratamos de ajudar na construção da candidatura de forma unificada e na tentativa de ajudar na articulação de outros partidos da base da presidenta Dilma para ampla frente que pudesse vencer as eleições.

As discussões em torno da frente ampla para disputar as eleições municipais apontavam duas principais lideranças o Luiz Carlos e o Salame que pela avaliação dos demais partidos, esse último tinha as melhores condições políticas em aglutinar os demais partidos, fomos procurados pelo então pré-candidato do PT para decidirmos em ser vice, de pronto, propomos em ajudar internamente na articulação para que tivéssemos uma decisão unificada, marcamos então uma reunião com o Salame para batermos o Martelo em torno de sua candidatura, pois entendíamos que uma candidatura forte junto com o PT haveria de o partido estar unificado. Neste sentido toda nossa militância foi para a campanha que culminou com a vitória larga da coalização de partidos.

O debate em torno da composição do governo não foi uma tarefa fácil ao PT, primeiro, pela vaidade de lideranças que deveriam mediar o debate, segundo, pela imposição de nomes para determinada secretaria, terceiro, pelo tratamento inicial dado pelo prefeito eleito, pois entendemos que o PT teve um papel significativo e estratégico para a vitória do Salame, tanto pela participação da militância, como dos parlamentares e principalmente pela participação do ex- presidente LULA na campanha, portanto, essa participação nos credenciava a ser o principal parceiro na administração municipal e não foi o que aconteceu. Os espaços oferecidos de forma estratégica levaria o racha interno e a quem interessava a divisão interna do PT? Tanto foi que não havendo consenso e nem disposição de dialogar mais sobre os mesmos, e mesmo com intervenção política do presidente estadual do PT a vaidade e a imposição falaram mais alto dentro do PT.

Fomos contemplados com a diretoria de ensino na SEMED, é bom destacar, que esse espaço foi uma negociação direta com o prefeito, o mesmo entendia que pelo acúmulo da vereadora na área da educação ajudaria na gestão, pois internamente fomos excluídos de participar da gestão, mesmo tendo uma vereadora que tem dado suporte a administração municipal e por entender também que o PT é governo e esse princípio partidário acatamos. Portanto nossa atuação na SEMED foi sempre vista como ameaças por aquele que dirige e seu grupo, chegando ao limite com demissões, perseguições e boicotes de todas as formas. A gestão na SEMED tem sido marcada pelo individualismo sem qualquer respeito aos companheiros profissionais que nela atuam por direito e por serem concursados, mas tem uma marca por ser da “AS” e o PT em nenhum momento tomou qualquer atitude em debater a problemática que vem ocorrendo. Temos responsabilidades em ter uma boa gestão na SEMED por entender ser um espaço de política pública fundamental no desenvolvimento do município, mas é também preciso que o PT debata rumos, estratégias, postura de dirigente e, acima de tudo, faça o debate político sobre as decisões tomadas.

Neste contexto, e por termos sempre pautado no PT o debate sobre a condução na SEMED, fomos convidados pelo Prefeito João Salame a entregar os cargos que ocupávamos na SECRETARIA DE EDUCAÇÃO e é por meio desta, que estamos tomando a decisão de oficializar a entrega de todos os espaços da “AS” na gestão municipal para que o prefeito fique a vontade em nomear profissionais da sua inteira confiança e implementar sua marca com a participação daqueles que ele achar mais importante no desenvolvimento do município.

Por fim, não podemos aceitar a crítica e a imputação ao PT sobre a crise na educação e seus desmandos, essa responsabilidade deve ser direcionada a “outros”, pois temos clareza de que a forma como está dividida a SEMED levará ao desgaste do partido. Portanto é imperativo que a nova direção do PT tome a atitude de debater se queremos continuar com esse espaço da forma como está ou se tomamos a decisão de sair definitivamente do governo.

Saudações Petistas;

Coordenação Municipal da AS – Articulação Socialista

Nenhum comentário: