terça-feira, 3 de dezembro de 2013

SEMINÁRIO: 20 anos da Pedagogia da Alternância na Transamazônica – Pará:
A experiência da EFA da Região de Marabá
Data: 06 de dezembro de 2013
Local: Auditório do INCRA SR 27 – Marabá
Horário: início 10:00 horas e término 17:00
O objetivo principal deste Seminário é celebrar os 20 anos de nascimento da ideia da Pedagogia da Alternância na Região Sudeste do Pará, tornar público as intenções de parcerias entre os órgãos públicos e as organizações dos agricultores familiares em vista de garantir o funcionamento da EFA Jean Hébette em Marabá e o fortalecimento da Pedagogia da Alternância em âmbito regional.
Possíveis atividades no Seminário.
Palestras:
·         20 anos da Pedagogia da Alternância no Pará a experiência da EFA da Região de Marabá.
·         A Experiência do IFPA (Campus Rural) palestrantes Antonio Cardoso
·         A Experiência das CFR´s – ARCAFAR Pará.
·         EFA Jean Hébette – Marabá. Projeto de Educação do Campo e Extensão Rural por Alternância das Região  Sudeste do Estado do Pará (PROEFA), no Território de Carajás.  
·         Pedagogia da Alternância e Sustentabilidade – João Batista Begnami – consultor do MDA e assessor da UNEFAB. Com lançamento do livro.
·         PRONACAMPO, PRONERA e PRONATEC.
Outras atividades:
·         Divulgação de livros e revistas relacionadas à Pedagogia da Alternância.
·         ....
Instituições parceiras:
Ø  Prefeitura Municipal de Marabá – Secretaria Municipal de Educação de Marabá (SEMED)
Ø  Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER – PARÁ)
Ø  Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Pará (IFPA – Campus Rural de Marabá)
Ø  Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA/SR 27)
Ø  Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).
 
 
Um pouco da história...
As origensda Educação do Campo no Pará estão ligadas as experiências educativas de formação de jovens agricultores/as utilizando a Pedagogia da Alternância.  Às margens da Rodovia Transamazônica (BR 230), nas regiões sudeste e oeste do estado foram implantadas em 1995 no município de Medicilândia a primeira Casa Familiar Rural (CFR) e em 1996 em Marabá a segunda Escola Família Agrícola (EFA). No Pará a primeira EFA funcionou no município de Afuá criada em 1992. Recentemente encerrou suas atividades.
O francês Pierre Gilly - Assessor da Associação Regional das Casas Familiares Rurais (ARCAFAR Sul) realizou contatos e sessões de formações nas duas regiões acima citadas apresentando os elementos pedagógicos das Casas Familiares Rurais (CFR´s). Depois foi criada ARCAFAR Norte e Nordeste, e posteriormente a ARCAFAR – Pará, as CFR´s se espalharam em o todo estado através de convênio com o Governo do Estado e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Tendo como principal parceiro a Fundação Viver Preservar Produzir (FVPP/Altamira). www.­fvpp.­org.­br
O marco inicial da Escola Família Agrícola (EFA) da Região de Marabá é o I Encontro de Jovens Camponeses, realizado em outubro de 1993, pela Fundação Agrária do Tocantins Araguaia (FATA) no âmbito do Programa Centro Agroambiental do Tocantins (CAT), em conjunto com seus Sindicatos dos/as Trabalhadores/as Rurais (STTR´s). Neste evento o educador Emmanuel Wambergue “Manu” então Diretor Executivo da FATA relatou a experiência francesa nascida na França em 1935, no Brasil em 1969 e o técnico agrícola do Projeto Agroflorestal do Tocantins (PAF) Francismar deu depoimento como egresso da EFA de Olivânia – Espírito Santo, como também recomendou conhecer as experiências no Maranhão. Este evento serve de referência para celebrar os 20 anos de surgimento da ideia de criar uma Escola Agrícola Projeto Futuro do Jovem Camp onês.
Foi criada uma Comissão de Articulação Pró Implantação da EFA, em 1995 a Associação dos Pais da Escola Família Agrícola (APEFA) esta manteve ativa até 2000.
A EFA iniciou seu funcionamento em 18 de março de 1996 (se mantendo até 2010), formou vários jovens em agricultores/as técnicos/as ou agentes de desenvolvimento rural sustentável, colaborou com a construção da Educação do Campo na região, serviu de base para o nascimento da Escola Agrotécnica de Marabá, posteriormente transformada no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA – Campus Rural), esta instituição desenvolve cursos de Educação Profissional em níveis médio e superior para os camponeses e indígenas populações historicamente agredidas pelos grandes projetos de interesse do capital. http://www.ruralmaraba.ifpa.edu.br/
As EFA´s não conseguiram se expandir na região sudeste do Pará, houve discussões e tentativas de funcionamento, em vários municípios: Jacundá elaborou projeto, mas, somente em Parauapebas a partir de 2002, foi implantada uma escola tiveram êxito no Ensino Fundamental, encerrou  em 2011, atualmente passa por dificuldade por falta de espaço e apoio institucional da Prefeitura. Em São Domingos do Araguaia em 2005 se ensaiou uma experiência.
As Conferências, o Fórum Regional e as organizações tem permitido continuar a história rumo a uma Política Pública de Educação do Campo, em Marabá e região Araguaia - Tocantins, na floresta, na aldeia, no acampamento, no assentamento, ou seja, para os/as camponeses/as e indígenas. http://www.frecsupa.net.br
Considerando o êxito da Pedagogia da Alternância foi retomado a sua Articulação na região de Marabá. Para superar o isolamento dos CEFFA´s retomamos participação na Equipe Pedagógica Nacional (EPN), em vista de garantir formações, documentos pedagógicos, livros e revistas  http://www.unefab.org.br/
Articular arranjos institucionais com a Prefeitura Municipal de Marabá (Secretarias de Agricultura, Meio Ambiente e Educação), Governo do Estado (Agricultura/SAGRI, Educação/SEDUC, IDESP e Extensão Rural/EMATER) e Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA). O principal objetivo é o funcionamento da EFA Jean Hébette prevista para iniciar funcionamento em março de 2014.  
 
 

Nenhum comentário: