quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Serra Pelada, o filme versus a história? (7)

O segundo ponto que gostaria de ressaltar advêm do primeiro: a covardia histórica do filme. Várias são as lacunas e os apagamentos e acredito que tudo o que não se mostra por opção é devido ao que por decisão se quer mostrar.
Qualquer um que queira entender um pouco mais de Serra Pelada deveria compreender o que foi, antes da descoberta do garimpo, a Guerrilha do Araguaia. Não há como falar de Serra Pelada sem tocar nesse fato marcante e um tanto ocultado da História do Brasil. Ainda no início da década de 1970, pelos caminhos do Araguaia, um movimento organizado pelo Partido Comunista do Brasil (PC do B) contra o regime militar brasileiro eclodiu entre os estados do Pará, Maranhão e Tocantins (na época Goiás) e trouxe para a região um enorme aparato militar de repressão, aparato este até hoje presente na paisagem de Marabá, na forma de brigadas, batalhões... E é nesse cenário que a Figura de Sebastião Curió assume relevância, pois o mesmo comandará a repressão ao movimento. Seis anos após vários assassinatos e o aniquilamento das lideranças do movimento, em 1980, o que significaria para o Governo Militar do Brasil a descoberta da maior mina de ouro do mundo nas proximidades do Araguaia e de lugares onde havia uma efervescência de um movimento dos posseiros pela terra? A resposta é óbvia: financiamento do "perigo vermelho"! Por isso, o mesmo sujeito que agiu contra a guerrilha virá com a intenção de fechar o garimpo: Sebastião Curió, que também não é personagem nem ficcionado no filme.

Nenhum comentário: