quarta-feira, 6 de novembro de 2013

SALAME CONTINUA CASSADO!

O prefeito João Salame Neto (PROS) lamentou a decisão proferida na manhã de ontem (5) pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral (TRE), do Estado do Pará, que determinou seu afastamento do cargo que exerce desde janeiro deste ano. O prefeito considera que a decisão da Corte entra em confronto com a lei e com os fatos. A infração da qual é acusado – distribuição de combustível para participantes de uma carreata nas eleições de 2010 – sequer pode ser considerada crime eleitoral, à luz da atual legislação, notadamente, quando nos autos restou provada sua efetiva realização. Tratou-se de mero ato de campanha eleitoral para o qual a lei autoriza a distribuição de combustível.
Em outra vertente, o prefeito considera que sua renúncia ao cargo de deputado estadual – ato necessário quando da posse no cargo de prefeito de Marabá – fez extinguir o objeto da ação penal.(Marabanoticias)
Porém, não é bem assim, o prefeito vai ter que gastar muita energia para tentar se livrar dessa. Isso serve de lição a todos os políticos que imaginam que ganhar eleição pode ser a qualquer custo.
 
 

3 comentários:

Anônimo disse...

Interessante o choro. Quer dizer que o fato de uma pessoa muito ligada ao Salame ter sido presa com cerca de 13 mil reais em dinheiro vivo, aliciando eleitores naquela eleição de 2010 pode ser tudo apagado só porque ele deixou de ser deputado? Se alguém comete um crime e muda de cidade ou estado e até de nome, isso o isenta da punição? Não entendi a defesa, mas compreendo o choro de quem pode ficar sem a "teta" caso ele não volte. Em relação a ele voltar tá meio complicado. O partido dele é insignificante em Brasília. Tião tinha o PTB na base de Lula a época; Maurino tinha o PR, ainda na base de Dilma. Salame teve convites do PDT e PMDB... Esses partidos, principalmente o segundo, poderia lhe ajudar diante dessa situação. Chegar lá em Brasília com esse choro, não resolve nada. Ainda mais diante da conversa dele com o ex-prefeito de Marituba. Conversa essa que pode não comprometê-lo, mais pode deixá-lo ainda mais enrolado, já que essa conversa vem desmoralizar o judiciário, seja estadual ou federal. Se voltar, volta em falso. A qualquer momento cai novamente.

Anônimo disse...

Interessante o choro. Quer dizer que o fato de uma pessoa muito ligada ao Salame ter sido presa com cerca de 13 mil reais em dinheiro vivo, aliciando eleitores naquela eleição de 2010 pode ser tudo apagado só porque ele deixou de ser deputado? Se alguém comete um crime e muda de cidade ou estado e até de nome, isso o isenta da punição? Não entendi a defesa, mas compreendo o choro de quem pode ficar sem a "teta" caso ele não volte. Em relação a ele voltar tá meio complicado. O partido dele é insignificante em Brasília. Tião tinha o PTB na base de Lula a época; Maurino tinha o PR, ainda na base de Dilma. Salame teve convites do PDT e PMDB... Esses partidos, principalmente o segundo, poderia lhe ajudar diante dessa situação. Chegar lá em Brasília com esse choro, não resolve nada. Ainda mais diante da conversa dele com o ex-prefeito de Marituba. Conversa essa que pode não comprometê-lo, mais pode deixá-lo ainda mais enrolado, já que essa conversa vem desmoralizar o judiciário, seja estadual ou federal. Se voltar, volta em falso. A qualquer momento cai novamente.

Anônimo disse...

com essa gravação que ele fez com o ex de marituba e entregou ao TRE, ele simplesmente jogou a merda no ventilador, pensando que ficaria de fora, mas a merda vai pegar somente nele. o cara é sem noção, armando chantagem contra o poder judiciário, que todos sabem que não é sério, mas é corporativista. será que os caras lá em Brasília, diante do que ouvirão, vão dar liminar suspendendo essa ação contra ele. dessa vez ele jogou pedra na lua mesmo. expôs as vísceras do sujo poder judiciário, paraense e brasileiro. vai pagar caro por isso. chantagem é complicado.