quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Nota de Esclarecimento: Professor Airton

Sobre o momento em que um grupo ficou perdido no meio da floresta, em Marabá.
 
Depois de receber visitas e telefonemas de diversos amigos e, por sugestões deles, resolvi escrever esta nota para esclarecer alguns pequenos equívocos noticiados nos últimos dias sobre o grupo que perdeu no meio da floresta próxima de Marabá, mas também para agradecer o apoio e solidariedade que nos foram concedidos no domingo à noite.
Entendo perfeitamente a repercussão do caso na imprensa e nas redes sociais em razão do último episódio ocorrido no estado do Tocantins quando Yego Cunha Leal, do Curso de Geologia, da UFPA, Campus de Marabá, ficou perdido e acabou morrendo.
Quero apenas dizer que meu nome é Airton dos Reis Pereira, professor da Universidade do Estado do Pará (UEPA) e não Airton Souza a quem, aqui, peço desculpa pelo equívoco da imprensa em usar o seu nome.
A área onde o grupo se perdeu não está localizada na Fazenda Taboquinha, mas na Fazenda Cigana, também conhecida por Balão II, a 20 km da cidade de Marabá, onde um grupo de 36 famílias de trabalhadores rurais ligado ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Marabá ocupa desde 2004. Lá estas famílias cultivam além de roças anuais (arroz, milho, feijão, mandioca, etc.), criam pequenos animais (galinhas, porco, etc.) e plantam cupuaçu, açaí, bananas, etc. Esse grupo de trabalhadores rurais aguarda, a muito tempo, a criação de um Projeto de Assentamento por parte do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), de Marabá. São trabalhadores que precisam do apoio e da atenção não só do INCRA, mas também da EMATER e da Secretaria Municipal de Agricultura, em razão do cultivo que têm e da floresta nativa que precisa ser preservada e usada como meio de sustentação dessas famílias (castanha, cupuaçu, etc.).
No domingo, 01/09/13, eu, minha esposa e um de meus irmãos que estava me visitando resolvemos visitar outro irmão que faz parte desse grupo famílias de trabalhadores rurais da área. Por volta das 10:00h tentamos chegar até uma castanheira caída no meio da floresta. Na volta nos perdemos, conseguindo chegar tão somente na divisa da Fazenda Mutamba já por volta das 14:30h, do outro lado da área. Como meu irmão mais velho começou a passar mal, eu e meu outro irmão conseguimos sair do local, só por volta das 17:40 depois de percorrer vários quilômetros a pé. Foi nesse momento que consegui ligar para Luiz Bressan, Secretário Municipal de Educação, de Marabá e para Francisco Alves, agente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), da Diocese de Marabá, que são meus amigos. Luiz Bressan acionou o Corpo de Bombeiros que juntamente com um grupo de trabalhadores rurais da área e com o agente da CPT adentraram a mata durante a noite para resgatar os três que haviam ficando para traz. Felizmente todos estão salvos e passam bem. Aproveito para agradecer imensamente ao Luiz Bressan que acionou o Corpo de Bombeiros e permaneceu na área até que os três fossem encontrados. Quero agradecer também, de forma especial, aos Bombeiros, e, sobretudo, ao Francisco Alves, da Comissão Pastoral da Terra e aos trabalhadores rurais da área que não mediram esforço para entrarem no meio da floresta fechada durante a noite para ajudar a resgatar os membros de minha família. O empenho e a solidariedade de todos foram muito importante.
Marabá, 4/9/13.

Nenhum comentário: