quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Professore​s civis da ETRB fazem paralisaçã​o contra o assédio moral

Os professores civis da Escola Tenente Rêgo Barros (ETRB), em Belém, cruzam os braços nesta quinta-feira, dia 08, a partir das 7h, com o objetivo de denunciar o tratamento discriminatório em relação à carreira docente e, principalmente, contra o autoritarismo patrocinado pelos militares.

A paralisação foi aprovada em assembleia realizada hoje, dia 07, no Auditório Central da ETRB.

O diretor do SINASEFE-PA, Humberto Brito, ressalta que nos colégios militares os rígidos preceitos de hierarquia, disciplina e obediência são confundidos com humilhação, ameaças e acúmulo de trabalho, práticas que configuram o assédio moral.

O protesto integra a Paralisação Nacional dos Servidores Civis dos Colégios Militares e acontece uma semana após a professora de história do Colégio Militar de Porto Alegre, Silvana Schuler Pineda, conseguir na Justiça Federal o direito de retomar suas funções. Ela foi afastada por discordar do uso de um livro didático pró-ditadura em sala de aula.

“Nosso sindicato repudia todo e qualquer caso de assédio moral contra professores e funcionários. Não concordamos com ordens arbitrárias que desrespeitam os profissionais da educação e a comunidade escolar”, afirma o coordenador geral do Sindicato, Élcio Amaral.

Fonte: SINASEFE-PA

Um comentário:

Anônimo disse...

O que acontece na realidade é que certos professores alias que se dizem professores querem fazer seus cursos pros-graduaçao no periodo de aulas , e recebendo por isso.
o nível do ensino caiu após a entrada de professores que dentro de uma sala de aula , nao ensinam , jogam para os pais ensinarem.
o colégio sempre foi um dos mais requisitados de Belém , senao estao satisfeitos é só pedir transferencia , mas como hoje no Brasil só existem pessoas que querem ganhar dinheiro e nao trabalhar .
80% dos professores deste colégio nao merecem nem passar pelo portao de entrada