sábado, 9 de março de 2013

Prefeito derrotado na AMAT se desfilia da entidade

O prefeito derrotado na Amat João Salame (PPS) decidiu retirar o município de Marabá da Amat, a Associação dos Municípios do Araguaia Tocantins. Após a recente eleição que escolheu o colega de partido, o Prefeito de Tucuruí, Sancler Ferreira (PPS).

Leia AQUI

=========

Acontece que Salame também usaria a entidade para fins politiqueiros, como  é o caso da malfadada divisão territorial. Não sabendo ele que essa entidade está acima desses interesses, tem que ser fortalecida para que os municípios tenham maior representatividade.

ADIR CASTRO  - COMENTA:

Realmente está acontecendo um descaso com a vida do ser humano por parte dos administradores que elegemos. Seria bom dividirmos essa culpa, já que não fomos obrigados a votar em nenhum dos que hoje são detentores de mandatos e que viram as costas para a saúde e educação pública, principalmente. A AMAT agora não é mais interessante. Isso parece com o que chamam de "dor de cotovelo", quando o sujeito é trocado por outro pela namorada. Se a AMAT é um prostíbulo, porque tanta briga por esse bordel? Ou será que era intenção do prefeito ser eleito e depois, igualmente Nero, atear fogo nesse bordel? Se essa era a intenção, foi louvável. Eu que moro em Marabá há cerca de 30 anos, desconheço os préstimos da AMAT para com Marabá e região. Mas talvez eu, desinformado que sou, não tenha percebido as vantagens da AMAT.

Perde-se tempo e dinheiro com a AMAT, enquanto os municípes das cidades afiliadas morrem nas portas de seus hospitais públicos; um batalhão de pessoas saem das escolas na condição de analfabetos funcionais; as estradas de ligação entre esses municípios estão no chão batido e cheios de crateras; ruas com esgoto escorrendo pelas sarjetas, isso no caso em que existem sarjetas, pois a maioria das ruas das afiliadas é de chão batido; menores, idosos e doentes mentais abandonados à própria sorte sobre as praças e logradouros públicos... Enquanto isso os prefeitos associados mostram seu ego.

Nenhum comentário: