quarta-feira, 13 de março de 2013

Novo papa e a ditadura na Argentina

Novo papa é associado a sequestros de jesuítas e bebê durante ditadura argentina. Cardeal se orgulha de amizade com um dos comandantes da Junta Militar que em sete anos deixou 30 mil mortos, e foi chamado a depor em vários processos

Anunciado hoje (13) como novo papa em uma votação tida como surpreendente, o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio é investigado dentro de seu país pela colaboração com a ditadura. Nos dois processos mais famosos, responde pela ajuda que teria dado ao sequestro e à tortura de dois jesuítas e à apropriação de bebês, prática comum do último regime militar (1976-83).

VEJA AQUI AMPLA MATÉRIA SOBRE O ASSUNTO

Nenhum comentário: