sexta-feira, 29 de março de 2013

Marabá: Dos quindangues, caucho e campos naturais




(...) O governador do Pará, Lauro Sodré, deu asilo aos florianistas expulsos de Boa Vista (Tocantinópolis), criando, para eles habitarem, o burgo agrícola do Itacaiúnas. O local preferido - Praia dos Quindangues - é o melhor do Tocantins.
Demora na riba esquerda 11 quilômetros abaixo da foz do Itacaiúnas. O assentamento das ruas é 23 metros acima do nível da água nas maiores enchentes e 38 a 40 metros de altura acima do nível da agua no verão. A taxa da ascensão é 16 por 100. (...) Foi assim que uma catástrofe política povoou o deserto. (CARVALHO, Carlota, 1924 p. 235)
 
É assim, que Carlota Carvalho descreve o surgimento da cidade de Marabá, a partir da constituição de um pequeno vilarejo comandado por Carlos Leitão após ser expulso do então Estado do Goiás.
Apesar de ainda pouco conhecida do grande público brasileiro, o Sertão é uma obra que se coloca entre as mais densas e ricas contribuições à interpretação do Brasil interiorano. A descoberta do caucho e dos campos naturais para pastagem foram sem sombra de duvida importante para o começo da colonização - Não podemos deixar de mencionar que do outro lado do Tocantins já aldeavam por lá os Gavião, vindo também do Maranhão pela forte expulsão das frentes econômicas de produção de arroz que se instalou ali desde meados do séc XVIII.

Nenhum comentário: