sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Professor ou Regente?


No Blog do Aurismar

Como todo período de transição, esse no qual vivemos, que transita entra um período no qual temos um padrão determinado socialmente construído ao longo de séculos e esse novo mundo da tecnologia, da internet de nuvem e tudo o que se relaciona as TICs. surgem vários questionamentos sobre determinados padrões historicamente aceitos. Em especial, vemos na educação ser questionados o próprio conceito sala de aula e regência de sala. Prova disso foi o questionamento feito ao Conselho Nacional de  Educação que dentre outros assuntos trata do entendimento do que seja sala de aula, segundo parecer CNE/CEB 38/02 
"As atividades escolares se realizam na tradicional sala de aula, do mesmo modo que em outros locais adequados a trabalhos teóricos e práticos, a leituras, pesquisas ou atividades em grupo, treinamento e demonstrações, contato com o meio ambiente e com as demais atividades humanas de natureza cultural e artística, visando à plenitude da formação de cada aluno. Assim, não são apenas os limites da sala de aula propriamente dita que caracterizam com exclusividade a atividade escolar". Dessa forma é perfeitamente possível entender o laboratório de informática como um desses "locais adequados a trabalhos" usados para desenvolver a "plenitude da formação de cada aluno". Mesmo estando o professor regente de sala acompanhado de seus alunos, quem rege o trabalho no laboratório é o professor lotado no laboratório. Se isso não acontece está errado. 
No entanto, o laboratório de informática não pode ser, como vinha acontecendo aqui no município de Marabá, um local onde se joga o professor readaptado que, muitas vezes, não possui nenhuma formação específica de regência de laboratório. É preciso estar ali uma pessoa qualificada, graduado com especialização na área. Nessa era tecnológica na qual vivemos, onde a escola perde espaço para as ferramentas de interação da informática, e os sites de relacionamento por vezes suplantam a interação interpessoal do sujeito, esse espaço escolar deveria ser o centro irradiador das discussões e projetos da escola, e, o profissional do magistério que lá exerce a sua docência, não pode e nem deve ser inferiorizado por não atuar na tradicional sala de aula. 

Esse entendimento é fundamental para se chegar a conclusão de que esse docente exerce sim regência de sala e merece os mesmos direitos e gratificações do professor regente da sala de aula tradicional. Se não ficará ele reduzido a um mero técnico de informática e para isso nãop recisa ser graduado.
 

Nenhum comentário: