domingo, 24 de fevereiro de 2013

`Poemas do Centenário IV

PRA SER MARABAENSE...

Precisa ter subido o Tocantins de "motor" Pô-pô-pô até o Zero.
Ter ido ao menos uma vez na Prainha.
Ter chupado "Manga Buceta".
Ter chupado Macaúba.
Ter pego Carí nas locas do Tocantins.
Ter catado Muricí na Mangueira.
Buscado Manguita pros lados do Itupiranga.
Ter catado ovo de tracajá na praia do Tucunaré.
Ter tirado Tiúba.
Ter visto o Ocidin acariciar uma nota de cruzeiro e dizer seu valor sem ter nenhuma visão.
Ter andado no aterro até a Vila Militar.
Ter pego carona pra assistir aulas do Honorato, do Amoras e do Sebastião no SENAI.
Ter comido palmito dos brotos de Babaçú, na urbanização da Cidade Nova.
Ter atravessado o Itacaiúnas de canoa pro Amapá.
Ter ido ver as borbulhas das Cacimbas no Amapá.
Ter comprado querozene na casa Fé em Deus.
Ter comprado Mangulão na Damázia.
Ter comprado linha e agulha no Agripino.
Ter comprado prego no Xandú.
Ter comprado milho no Vila Nova.
Ter comprado Linguiça no Mãozinha.
Ter cantado “ô Arreda o Contrário”, junto com o Palmica.
Ter visto uma luta do Sales.
Ter ido num circo no Pueirinha.
Ter assistido um batizado, feito pelo Baltazar.
Ter comido Pão Doce do Valdemar da Padaria Luso-Brasileira.
Ter tomado Cupú batido com leite de Castanha e socado com a Forquilha.
Ter acendido uma Lamparina ou um Candeeiro quando a "Luz" acabava.
Ter entrado no curral do Cine Marrocos pra comprar a entrada pro filme do Tarzan...ôôôôôôôôÔÔÔÔÔ!

Se você não passou por nenhuma dessas experiências tem de fazer um curso intensivo pra ser um marabaense.
Obs: isso é só uma brincadeira. Sei que existem muitos marabaenses que estranharão todas essas situações e é verdadeiramente marabaense...mas me desculpa!... chegou depois de nós!

Celso Santana.

2 comentários:

Damião disse...

Excelente, tivemos oportunidade de viver alguns desses momentos chegamos em Marabá entre 1979 e 1980, inclusive vivemos a grande enchente

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.