terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

NOTA DO PSOL


        53 dias de CONTINUÍSMO.

Há uma prática comum à maioria dos prefeitos que iniciam sua gestão, culpar os gestores que os antecederam pela sua inoperância. Esse fato leva os cidadãos a se perguntarem: Por que esses gestores, não denunciam seus antecessores, para que sejam punidos por irresponsabilidade e mau uso do dinheiro público? Por que nunca realizam uma auditoria pública nas contas? Será que João vai até o fim para punir Maurino? 

Parece que a regra do governo Salame é dar continuidade àquilo que já existia. Pois, o que observamos até o momento é a manutenção de relações amigáveis entre o governo, empresários e outros agentes públicos. O exemplo mais recente disso é o anunciado “MENSALINHO” existente na câmara Municipal, conforme denúncia do próprio Salame, como anda investigação? Ou o governo já se adequou ao mesmo? E a renovação dos contratos com as empresas, que foram denunciadas por indícios de corrupção, e pelos péssimos serviços prestados durante o desgoverno Maurino, por que seus contratos foram renovados? Sem falar na parceria duvidosa entre o executivo e legislativo, que permite aos vereadores continuar tendo cotas para indicar contratações, isso é tráfico de influência?

Enquanto isso, os servidores públicos municipais são obrigados a receberem os salários atrasados de forma parcelada, e o pagamento dos empresários que apoiaram Salame durante as eleições estão atrasados?

Esses fatos não nos surpreendem, pois o Psol na campanha eleitoral disse que o Salame era a mesma coisa de Maurino e Tião. O “CONTINUÍSMO” é visível, Salame continua governando para uma minoria que recebe todo tipo de privilégios, e para o povo resta a velha política  do pão e circo.

Mas, o povo que vive com educação, saúde, segurança e saneamento básico de péssima qualidade não tem paciência para blá, blá, blá. Quer ver sua rua asfaltada, quer os 500 km de asfalto, quer as UPAs funcionando, salas de aulas climatizadas e computadores para os alunos e professores... . Os professores não votaram no Salame para perderem direitos conquistados em seu PCCR, o Salame não prometeu aos servidores públicos municipais planos de austeridades, é por isso que convocamos a população, os trabalhadores, para construirmos a luta contra mais um governo reacionário, que valoriza o grande capital, e arrocha os trabalhadores. Nossos filhos estão sem aula por causa da merenda escolar? Isso é uma vergonha! Não é essa a “3ª VIA” que queremos!

O “CONTINUÍSMO” é notório, pois as pessoas que tinham cargos na Gestão do Maurino continuam na Gestão do Salame, assim como continuou as pessoas que integravam o governo Tião, na gestão do Maurino, isso não é “CONTINUÍSMO”? E sobre o nepotismo, o Salame tem parentes empregados na prefeitura? Menos, ou mais que o Maurino?

O Psol se coloca a disposição dos trabalhadores, para juntos lutarmos contra a perda de direitos, e por serviços públicos de qualidade. Somos oposição de esquerda, oposição à gestão de João Salame, por entendermos que a mesma não representa a mudança que precisamos, basta! Não queremos ser comandados por essa política viciada, que sempre humilha os trabalhadores e eleva os patrões!  
 
DIRETÓRIO MUNICIPAL DO PSOL
MARABÁ, PA 25 DE FEVEREIRO DE 2013

 

Um comentário:

SINTEPP - SUBSEDE - MARABÁ disse...

Parabéns aos camaradas pela NOTA. Acreditamos que assim que se faz oposição! Esta nota deixa claro qual o sentimento da sociedade marabaense e de nossa categoria. É isso que nós queremos, o apoio de um partido que faça a leitura correta dos fatos. uma coisa foi o que o candidato Salame prometeu, outra coisa é o que o Prefeito Salame está realmente fazendo...