sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Caso Gerson do Badeco

Advogados do vereador Gerson do Badeco (PHS)  protocolaram ontem (10) a defesa por uso indevido do veículo oficial da Câmara Municipal de Marabá durante a campanha eleitoral.
 
Na defesa os advogados questionam a legalidade do MPE  de acionar o processo investigatório contra o edil. Questionam também que não houve uma ordem judicial para autorizar a investigação. Apesar da Justiça Eleitoral ter em mãos um vasto material com provas: Filmagens e fotografias.
 
A denuncia foi feita pelo suplente Ilker Moraes (PHS) e a promotora eleitoral Josélia Leontina de Barros Lopes ajuizou Representação Eleitoral na 23ª Zona Eleitoral de Marabá contra Gerson do Badeco, por abuso de poder político. A denuncia afirma que por ocasião da disputa eleitoral deste ano, Badeco fez uso do veículo oficial da Câmara Municipal de Marabá em sua própria campanha, tendo retirado do carro os adesivos com o logotipo oficial do Legislativo, para tentar impedir que o mesmo fosse identificado como veículo oficial. Foram feitas fotos do carro em frente da casa do vereador parado a noite; em frente o Comitê da coligação pegando material e na noite do comício na Santa Rosa.

Caso Ismaelka

Em 2010, o Ministério Público advertiu todos os vereados sobre  o uso indevido de carros oficiais à serviço da Câmara Municipal. Isso após o uso indevido do veículo pela então vereadora do PTB Ismaelka Queiroz.
Na época o Ministério Publico chegou a encaminhar notificação cobrando providências. Uma comissão apuradora foi criada, mesmo o caso tendo bastante repercussão, não deu em nada. Apenas um afastamento!
 
 

Um comentário:

Anônimo disse...

Caro Ribamar,me pergunto, como uma denuncia do Ministério Publico, com provas da Policia Federal, não pode ter respaldo, por falta de uma autorização de Investigação? queria que vereador, justifique o que o mesmo estava fazendo com o veiculo da prefeitura, no Comitê ou no próprio Comicio na Santa Rosa? Não cabe ao mesmo julgar a legalidade da denuncia ou provas, e sim se explicar perante a população de Marabá.