terça-feira, 18 de dezembro de 2012

MP PEDE A CASSAÇÃO DE SALAME E MAIS TRÊS CANDIDATOS DE MARABÁ



 Prefeito eleito de Marabá João Salame (PPS) foi denunciado pelo Ministério Público Eleitoral por arrecadação ilícita de doação eleitoral, abuso de poder econômico e capitação ilícita de votos .Segundo a denúncia, um boletim informativo da Igreja Assembleia de Deus teria beneficiado Salame, seu vice Luiz  Carlos (PT) e os vereadores Irismar Sampaio (PR),e Leodato Marques (PP).  diante disso, o MP quer a cassação de todos eles. Sobre este assunto, João Salame disse que foi pego de surpresa com essa notícia, por várias questões. primeiro porque isso não faz parte dos seus princípios e, segundo, por que fez uma campanha modesta Salame disse também que, embora não tenha sido notificado ainda, está com a consciência tranquila. Por fim, o prefeito eleito declarou que a vontade do povo nas urnas precisa ser respeitada: João Salame, o vice Luis Carlos e todos os 21 vereadores eleitos serão diplomados hoje no plenário da Câmara Municipal, em cerimônia que inicia às 18 horas. (Zeca News)
 
============================
 
Como o PSOL faz oposição aos governos de DIREITA, e já anunciou em nota sua posição em relação ao governo do PPS/PT, o partido se mobilizará para que a cassação seja consolidada.

5 comentários:

Aurismar Lopes Queiroz disse...

Ora, isso chega a ser ridículo! O psol vai defender uma estratégia, besta, do Tião Miranda e seu grupo? Um informativo da Assembleia de Deus? Isso é ridículo!

Adir Castro disse...

Li a matéria no CT. O folhetim é de conhecimento público. Foram cerca de 12 folhetos, segundo informava o folhetim. Contra os fatos não há argumentos. E os fatos foram impressos e distribuídos para centenas de pessoas. Se fosse cumprir a lei ao pé da letra, ele seria cassado. Mas como estamos no Brasil, e mais especificamente em Marabá, e como ainda não inventaram dinheiro que não compre nada, o governo dele será uma reprise de seu antecessor... cassa, volta, cassa, volta... E assim passarão os quatro anos. Isso também será um motivo para justificar alguma falha de percurso no que diz respeito ao cumprimento das "promessas". O Maurino se dizia perseguido e impedido de trabalhar por Marabá.

www.ribamarribeirojunior.blogspot.com disse...

Ridículo nada!!!

O POSL deve assumir todas as forma sde lutas por justiça e contra a corrupção. E se for comprovado o abuso de poder econômico, é papel do partido mobilizar a sociedade para cassação.

Que papel de Tião que nada, toda vez vc utiliza deste discurso. Independente de quem entro com aç]ao é paepl do partido acionar a justiça para cobrar providência em um caso como este. Pois, as igrejas foram utilizadas de forma indevida nessa campanha. panfletos oficiais e discursos nas tribunas em defesa de candidaturas reacionárias.

www.ribamarribeirojunior.blogspot.com disse...

ERRATA

Ridículo nada!!!

O PSOL deve assumir todas as forma sde lutas por justiça e contra a corrupção. E se for comprovado o abuso de poder econômico, é papel do partido mobilizar a sociedade para cassação.

Que papel de Tião que nada, toda vez vc utiliza deste discurso. Independente de quem entroU com açÃO JUDICIAL é papel do partido acionar a justiça para cobrar providência em um caso como este. Pois, as igrejas fizeram campanhas utilizando de forma indevida. Panfletos oficiais e discursos nas tribunas em defesa de candidaturas reacionárias.

Joyce Rebelo - Unidos pra Lutar disse...

Todas as formas de luta são louváveis! Até aos céus frente ao sistema que nos assola dia-a-dia. Se há brechas que o próprio sistema até por falhas acaba deixando precisamos utilizá-las contra os governos de direita declarada e até contra os que se disfarçam com discurso de esquerda (no caso João Salame e sua trupe) para enganar a sociedade. Deste governo não espero nada! O discurso de João Salame sempre está alicerçado no campo da Educação, com um viés voltado para construção de escolas e meritocracia. E Luís Carlos ou Bressan serão somente mais alguns agentes que aplicarão sua política, haja vista que não dá pra bater somente nas posições do novo secretário, sendo que qualquer retirada de direito futuramente somente poderá ser sancionada com a assinatura do Prefeito. Sendo assim, há uma grande conivência e entrelaçamento do que será visto na prática pelo João do SIM! Quantas revogações no PCCR, o Sr. Dysney e Calandrini assim o fizaram??? Nenhuma! Pois somente o executivo tem esse poder!