quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Eleição 2012: Pesquisas causam confusão

Há alguns dias que não escrevo no meu próprio blog, pois a falta de tempo devido a campanha eleitoral, as aulas do mestrado, convívio familiar e outras tarefas de ordem profissional tem causado um certo afastamento. Resolvir escrever um pouco sobre o atual quadro eleitoral e sua dinâmica, pois não dá pra ficar calado, e como diz Silvan Santos "quem é que consegue ficar parado dentro do fogo?".
Tenho participado de várias caminhadas ao lado do nosso futuro prefeito de Marabá Manoel Rodrigues, em todas percebo o desejo de mudança. Pessoas que não querem os que já governaram essa cidade, e muito menos aqueloes que estiveram fazendo marketing de todas as campanhas do PSDB e PTB desde 1992. Continuar com quem governa atualmente, isso nem pensar. No entanto, as pesquisas se apresentam como uma espécie de mediadora para decisão do eleitor. Essa despolitização que os candidatos da direita apresentam em seus programas de rádio e TV, só causa cada vez mais confusão na cabeça do eleitor.
A metodologia utilizada precisa ser questionada, por exemplo, numa delas diz que "tantos eleitores da Zona Rural aponta que o programa de TV do candidato X é o mellhor", sendo que na Zona Rural não passa programação local de TV, logo não vêem o Horário Eleitoral. Nossa concepção análitica é que de que as metodologias utilizadas nas pesquisas destoam da realidade. Diferentes métodos de colher os dados provocam debates entre os especialistas e podem dar resultados diferentes. Diferenças acontecem e podem ser relevantes. Há detalhes em questionários que podem ser inseridos propositalmente para alterar resultados. Isso não é regra, mas ocorre.
Espero que todos façam uma reflexão ao acompanhar de perto as propostas dos candidatos para tomar a decisão.

Nenhum comentário: