sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A fantasia das pesquisas em Marabá

Não precisa ser nenhum especialista no assunto, apenas ler cuidadosamente a metodologia aplicada nas pesquisas, logo se percebe como elas são preparadas para confundir a cabeça do eleitor.  o nível de amostragem destoa da realidade, a forma como vem sendo aplicada já aponta o resultado a quem o contrata. Portanto, todas as pesquisas tem uma grande, mais grande mesmo margem de erro.

A cada divulgação uma tentativa de empolgação, o que na verdade não passa de uma fantasiosa ilusão, caracterizando assim uma campanha mediocre, sem um debate aprofundado das questões relevantes que nos interessa. O cenário que se apresenta fica cada vez mais insolente diante dos grandes desafios que precisamos discutir para avançar contruir uma cidade mais digna de se viver.

As figuras decorativas dessa campanha são expressadas pelas doces ingenuidades que o processo apresenta.

Vamos continuar na luta!

Um comentário:

Guerreiro disse...

Vamos votar contra esse governo de farsantes; contra o candidato do NÃO E NÃO; contra às migalhas que são direcionadas ao estado como um todo, ficando a maior parte ao “Parazinho”; chega de sermos vistos como o quintal de Belém. A hora é essa! Fora aos governantes tiranos, autoritários e farsantes que só se beneficiam do trabalho do povo!

“quarta-feira, 26 de setembro de 2012
A prefeita, o juiz e o delegado

Rondon do Pará viveu hoje um dia atípico. A cidade parou de manhã para acompanhar o julgamento, pelo Pleno do TJE-PA, da queixa-crime proposta pela prefeita do município, Shirley Cristina de Barros Malcher (PSDB), contra o juiz da Comarca, Gabriel Costa Ribeiro.

A prefeita acusou o magistrado de calúnia e de difamação por ter destacado, sentenciando Mandado de Segurança, trechos da petição inicial que ela considera atingir sua honra.

Os magistrados rejeitaram a ação, à unanimidade. O relator, desembargador João Maroja, ressaltou que “não emerge dos autos qual razão explicaria a alegada má fé do juiz da Comarca que, até onde se percebe, agiu apenas no exercício de seu munus”. Observou que “avulta-se a ausência de dolo na mera transcrição de trechos da petição inicial, que como o próprio acusado esclarece, é uma questão de estilo, e até mais do que isso, é um procedimento de segurança, a fim de tornar evidentes as razões de cada parte litigante”. E concluiu estar “convencido de que o juiz Gabriel Costa Ribeiro não cometeu os delitos que lhe são imputados; que, ao contrário, no mais lídimo exercício da atividade jurisdicional, apenas narrou as pretensões das partes de acordo com as alegações delas mesmas; e que determinou a comunicação à Polícia Federal para apuração de eventuais irregularidades na gestão da querelante por estrito dever de ofício”.

A população festejou a decisão do TJE-PA com muitos fogos de artifício. À tarde, por volta das 15 horas, o governador Simão Jatene(PSDB) chegou com grande comitiva no município, a fim de participar do grande comício da prefeita recandidata, que vinha sendo anunciado para esta noite, na Praça da Paz, no centro da cidade, com início às 19 horas.

Jatene e a prefeita desfilaram em carro aberto em Rondon. Mas a carreata recebeu tantas vaias que o governador não ficou para o comício. Foi embora por volta das 17:30h.

Dica para o governador: tanto desagrado da população é por conta da prefeita ter, por motivos políticos e com o aval do governo do Estado, conseguido tirar o competente delegado de polícia de Rondon do Pará, que vinha fazendo um eficaz trabalho em parceria com o juiz da Comarca, Gabriel Costa Ribeiro, um dos mais honrados e dedicados magistrados do Pará. Os munícipes, que sentem na carne os ataques da bandidagem, sabem reconhecer quem faz um bom trabalho. Simples assim.
Postado por Franssinete Florenzano às 22:57 “