terça-feira, 8 de maio de 2012

O maior saque de minérios do mundo (iii)

AS PRáTICAS FRAUDULENTAS DA EMPRESA - A soma de todos os tributos  pagos pela empresa ao Estado brasileiro, somados Prefeituras, governos estaduais e federais, representam menos que 2% de todo lucro. Segundo noticiário da grande imprensa, o governo federal está cobrando na justiça uma divida de 30,5 bilhões de reais, de tributos sonegados pela empresa.    A prefeitura de Paraupebas,(PA) sede da mina de ferro de carajás,  já inscreveu na divida publica ativa a divida de 800 milhões de reais de impostos sobre serviços não pagos, nos últimos dez anos.  Mesmo assim a empresa recorreu e não admite pagar.   Se qualquer cidadão atrasar uma prestação de geladeira perde seus bens.  Já a poderosa Vale...
 - Não satisfeita com essa negação de dividas ao estado brasileiro, a VALE  abriu uma empresa subsidiária nas Ilhas Caymans, para onde fatura suas exportações, e segundo o prefeito de Paraupebas é a forma utilizada para subfaturar a tonelada do minério de ferro e assim falsifica seu lucro liquido.  Por outro lado criou uma nova empresa no município (cantão) suíço de Vadeu, aonde colocou a sede mundial da empresa lá na suíça, para administrar os negócios dos outros 30 paises aonde opera.  E até lá, tem sonegado os impostos para o governo suíço, que entrou na Justiça local para reavê-los.
 - Nem seus laboriosos trabalhadores das minas recebem alguma compensação de tanto esforço e lucro gerado.   Cerca de 70% dos trabalhadores são tercerizados e recebem baixos salários. A empresa não cumpre a  CLT e a Constituição, segundo o Juiz do trabalho de Marabá, que a condenou em vários processos, pois a empresa tem trabalho  continuo durante todo dia, todo ano.  E a lei determina que nesses casos o turno deve  ser de no máximo 6 horas, em 4 turmas.  A empresa não cumpre e usa apenas três turnos de 8 horas, fazendo com que os trabalhadores gastem mais de 12 horas do seu dia, entre idas, vindas e o tempo de trabalho.
- A empresa possui um serviço de inteligência interno  herança do maldito SNI/ABIN, operando por antigos servidores do regime militar, que bisbilhoteiam a vida dos trabalhadores, das lideranças populares na região e dos políticos que podem não apoiar a empresa.   Em um processo recente, a empresa apresentou copias ilegais de mensagens de correio eletrônicos demonstrando sua capacidade de espionagem.   Em 2007, depois de uma manifestação do movimento de garimpeiros de Serra Pelada contra a empresa, foram diretores da VALE, no aeroporto de Carajás, que selecionaram para a Policia, quem entre as 70 pessoas retidas,  deveria ser processado e preso.  E assim selecionados foram transportados do aeroporto para Belém.

Nenhum comentário: