sexta-feira, 9 de março de 2012

Informes sobre a CELPA vi

NOSSO DESAFIO:
a) O primeiro desafio será atuarmos de forma autônoma frente a posição dos Governos e da ANEEL.
b) Acho que a situação da CELPA, se tivermos capacidade, poderemos pautar e colocar na defensiva as privatizações da energia, é uma das principais lutas no tema da privatização. Teríamos que transformar esta luta como uma luta de todos. Os trabalhadores da energia, movimentos sociais e demais sindicatos, partidos de esquerda, entidades, associações, etc. Quem sabe deveríamos criar uma espécie de “assembléia dos movimentos sociais” para aglutinar todas as forças e construir unidade.
c) Pelo que estamos vendo teríamos que construir as seguintes propostas:
  1. Lutar para retomar a empresa para o controle estatal com controle social.
  2. Lutar para não deixar que ocorra nenhum aumento de tarifa nos próximos anos.
  3. Não permitir que nenhum centavo de dinheiro público vá para o pagamento da dívida privada.
  4. Garantir que o lucro que a Celpa tiver nos próximos anos seja convertido em sua totalidade em investimentos para melhoria do sistema e da qualidade. Não permitir que nada seja remetido aos seus acionistas.
  5. Renegociar todas as dívidas com taxa de “juro zero”. Os valores equivalentes a esta economia em juro (diferença) garantir que se transforme em investimentos para melhoria do serviço da CELPA. Como podemos ver nos balanços da Celpa, ela tem pago em media em torno de  R$ 100 milhões por anos de juro, e isso teria que ser revertido em investimento. Ou seja, o capital financeiro também sairia perdendo.
  6. Não permitir que nenhum trabalhador seja demitido e nem ocorra retirada de direitos. Cobrar o fim da terceirização dentro da Celpa.
  7. Cobrar uma auditoria pública imediata com controle social para investigar todos os negócios envolvendo a CELPA e o Grupo Rede. Existem varias suspeitas de inúmeras fraudes que este grupo realiza.

Água e energia não são mercadorias!

Nenhum comentário: