segunda-feira, 29 de novembro de 2010

IBGE divulga dados regionais

O PIB do Pará segundo os novos dados do IBGE, apresenta Belém participa com 10,3%, seguido por Barcarena, com 2,74%; Marabá, com 2,33%; Parauapebas, com 2,30%; Ananindeua, com 2,11; Tucuruí, com 1,82%; Santarém, com 1,18%; Castanhal, com 0,70%; Paragominas; com 0,51%; Canaã dos Carajás, com 0,50%; Oriximiná, com 0,48%; Itaituba, com 0,41%; Redenção, 0,40%, e Altamira, 0,38%. Manaus lidera a participação percentual relativa, correspondente a 25,76% do PIB da região Norte.


O PIB per capita paraense é de R$ 7.007. O município de Barcarena apresentou o melhor desempenho, com um PIB per capita de R$ 43.249. As cidades de Canaã dos Carajás (R$ 28.019), Tucuruí (R$ 27.305), Parauapebas (R$ 23.029) e Marabá (R$ 15.857) formam a lista das cinco localidades com o maior PIB per capita do Pará - todos acima da média nacional(R$ 14.465). Já o município de Jacareacanga possui o menor PIB per capita do Estado, com apenas R$ 1.566 (Fonte: Blog Espaço Aberto Pebas)
 
---------------------------------------------
 
Analisando os dados com um enfoque no atual modelo de desenvolvimento da região, a atividade de mineração sem duvida nenhuma tem sido a principal nesse crescimento. Vale ressaltar, que mesmo com essas informações, temos ainda uma grande parcela da população afetada pelas consequencias da presença ineficaz de um Estado que está a serviço das mineradoras, do agronegócio, dos banqueiros, do latifúndio e do aparelhamento das formas pernciosas de exploração nessa região.
 
Agora mesmo entra em cena na Assembléia Legislativa a solicitação do governo do PT em favorecer a Vale/Alpa com isenções de impostos. Dificultando ainda mais o acesso as politicas públicas, por falta de recursos em detrimento as benesses que o Estado facilita as  grandes empresas. Retrato presente de um passado que simbolizado pelo Estado repressivo pós 64.

Nenhum comentário: