terça-feira, 17 de agosto de 2010

Censo 2010!

Um comentário:

Mural de Marabá disse...

A CHARGE NÃO ESTÁ SENDO SINCERA

Camarada, nunca votei no PT, mas uma coisa há de se dizer: muitas pessoas hoje vivem melhor que uma década atrás. Não há como negar.

É claro que precisa fazer muito mais, mas isso só ficará no discurso mesmo. Nenhum partido que assuma o controle desse país mudará a situação radicalmente, fazendo com que essa maioria esmagadora de pobres suba pra classe A.

Vejamos a questão de acesso a internet. O Brasil hoje é um dos países onde mais se acessa a grande rede. Temos aqui, segundo o MSN, mais de 46 milhões de usuários desse serviço. Outros tantos milhões de Orkut e por aí vai. Isso foi um progresso sim.

As vendas de computadores cresceram enormemente. Por exemplo em Marabá, onde computador cerca de 10-12 anos atrás era sonho de consumo de poucos, hoje ele se faz presente em muitos lares. A falta da internet de qualidade é que impede que mais pessoas adquiram um computador.

Acho que alguns índices são verdadeiros.

E vou votar em Dilma. Poderia votar no PSOL, mas naquele debate sobre a questão da propriedade da terra, o Plínio foi muito radical. Hoje não cabe mais querer fazer do Brasil uma Cuba, uma China, uma Coréia. Os tempos são outros, a globalização bate a porta. Até mesmo a velha China virou capitalista: a segunda maior economia do planeta. Claro que isso às custas da exploração da mão de obra, já que lá ninguém pode falar a palavra "direito trabalhista". Não é por acaso que as grandes corporações estão montando suas empresas por lá: mão de obra farta e quase de graça. Só os membros do partido chinês é que ganham.

Não tem mais como adotar certas medidas que no passado nunca funcionaram nesses países fechados. Esses países, todos, quebraram.

E vamos gostar mais de nosso país, indepentende de quem o esteja governando. Não aqui em Marabá, mas em alguns blogs do Sul e Sudeste, as pessoas enaltecem muito aos EUA, sendo que eles lá não são tão bem vindos assim.

Temos erros e acertos. O importante é continuarmos tentando acertar mais e errar menos.