quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Carta aberta!

Leônidas Mendes solicita, e o blog publica, na íntegra, comentário escrito por ele e encaminhado ao Blog do Hiroshi Bogéa.


“ Hiroshi…

Espero que, em respeito a liberdade de opinião, você publique este breve comentário. Mas, ou você, ou quem lhe informou, está faltando com a verdade quando se trata da mobilização do MST aqui, na região sudeste do Pará. Primeiro, a tese do admirável gado novo, isto é, que o povo é sempre conduzido, que é preciso alguém mais alto pra lhe guiar, é preconceituosa e trata nosso povo como gado pra ser tocado. Devo lhe dizer que, como historiador, um dos méritos do MST foi ter escapado a esta lógica e primar pelo debate e pela opinião de todos os seus membros; seus líderes não são "novos Düces", são pessoas comuns e discutem tudo com os participantes, da segurança à saúde de seus assentamentos/acampamentos.

Segundo, um eterno problema de quem não vem viver de perto o movimento de luta pela terra no Brasil, quando não tenta a criminalização (a tese da invasão de propriedade; diga-se de passagem, nem os fazendeiros crêem mais nela, pois, há muito o MST só promove ocupação em grandes fazendas sabidamente grilhadas vez que não querem aumentar o desgaste natural junto a opinião pública e sabem que qualquer juiz certamente determinaria a reintegração de posse. Meu caro Hiroshi, veja que os fazendeiros já perceberam isso, não só mudaram seu discurso como mudaram seus métodos: foram eles que fecharam a PA e não os sem-terras); ou tentam a politização, isto é, há sempre pessoas e interesses político-partidários exógenos no movimento, enganando o povo.

Ah! Hiroshi, tenha dó! Você se lembra que antes diziam que era o PT que conduzia o movimento? Agora são "lideranças ligadas ao PSOL. Você só pode estar de brincadeira! Venha ao acampamento, você verá que algumas lideranças até nutrem simpatia pelo PT (o PT de Lula e Dilma, entenda bem; não o PT de Ana Júlia e Cláudio Puty), outros pelo PSOL (da Heloisa Helena e do Edmilson Rodrigues), outros pelo PCdoB, outros pelo PSTU, etc, etc, etc. Mas, também verá que há quem tenha simpatia pelo PMDB (isso mesmo, pelo PMDB e pelo Jader, que, aliás, terá muitos votos entres os militantes do movimento, provavelmente mais do que o candidato do PSOL; e eu, lhe garanto, lamento muito por isso).

Como venho acompanhando, como historiador que sou, o MST e suas mobilizações, tenho conversado muito com seus integrantes, e posso lhe assegurar, convido-o mesmo a vir ver de perto, é aberto, está à beira da estrada: muitos, inclusive, afirmam que vão votar no tal do Jatene (e uma vez mais posso lhe garantir que lamento). Pois é, meu caro Hiroshi, não é gado, não se trata de crianças, nem de soldados, são pessoas, seres humanos comuns, como eu e você, têm opiniões, gostos, desejos, sonhos, vontades e não são tangidos.

Espero que você tenha lido a excelente entrevista do Charles Trocate no blog do Zé Dudu; se não, leia. Você verá que porque o MST vem resistindo às perseguições (inclusive da grande mídia, do PIG, segundo PHA), aos massacres, aos assassinatos de seus líderes; e notará quão importante foi escapar da lógica do admirável gado novo.

(Devo lhe dizer que enviarei cópia deste texto para outros blogs; que não sou membro do MST; que não tenho delegação para falar em seu nome; que não sou dono da verdade, mas estou acompanhando, como historiador, as ações do movimento há muito tempo)

Sem mais, agradeço pelo espaço,

Leônidas Mendes Filho

(Parauapebas/PA)

Um comentário:

CLUBE DE XADREZ MARABÁ disse...

Destaque Empresarial e a Responsabilidade Social
No município de Marabá afagar o ego de empresários e políticos é uma arte e um bom negócio. Pelo menos é o que penso quando vejo a divulgação de destaques empresariais de um determinado instituto de pesquisa. Os empresários e políticos locais abraçam muito fortemente estes órgãos por lhes darem uma visibilidade, fruto de “pesquisa no comércio local”.
Olhando as páginas de um noticioso local, vejo a chegada de um dirigente de um órgão de pesquisa que, realizará a 11ª Festa de Condecoração. Porém, o que não se sabe é a origem deste, de que forma é feita esta pesquisa ou se é mesmo realizada. O que acontece, é que rende uma fortuna aos seus realizadores. Isto sem contar que a entidade não apresenta o seu site, sua metodologia, nada.
A Cidade de Marabá não precisa destes oportunistas que não possuem uma instalação local e nem contribuem para o crescimento empresarial, político e social.
O que precisa para ser reconhecido para receber uma condecoração? Basta aceita o pagamento da referida comenda que lhe dará direito ao baile, jantar e publicidade.
O que vejo é que não há nenhum fundamento a tal pesquisa. Muito menos são reconhecidas as melhores empresas. Tudo é em função de uma imagem de sucesso e a contrapartida financeira ao instituto.
A sociedade precisa abrir os olhos e fugir destas artimanhas. Não estou dizendo que se trata de um golpe, pode ser que não seja. Como a entidade não está estabelecida em Marabá e nem se sabe onde, como não encontramos o site e etc, fiquemos precavidos com estes recohecimentos fáceis.
Por outro lado, quais os critérios para receber esta comenda? Você sabe? Tempo de funcionamento, limpeza e higiene, produtos fiscalizados, responsabilidade social, investimento na cidade e nos seus funcionários.
Lamento mais não me convence a tal pesquisa e a credibilidade da entidade.
Pesquisei o nome e a sigla para ver se encontrava o site da “danada”. Não encontrei nada. Mas, fiquei sabendo que a mesma aplica a mesma estratégia no Brasil todo e ninguém fica incomodado. Eu estou preocupado porque, como empresário sou fiscalizado, obrigado a pagar os impostos e não vejo o mesmo com este instituto.