quarta-feira, 28 de abril de 2010

Te cuida Ana Júlia!!

Sintepp deflagra greve dia 07/05

Os trabalhadores em educação, depois de 3 anos de discussão e quase 5 meses de espera, ficaram revoltados com a proposta de PCCR do governo Ana Júlia. A proposta apresentada é péssima: não estabelece o piso salarial; não contempla toda a categoria, pois se restringe ao magistério (professores e técnicos em educação); não beneficia o professor com nível médio na progressão vertical; na progressão horizontal não define o interstício e não assegura a progressão de fato (depende de autorização da SEPOF) e o percentual estabelecido é de apenas 0,5% (no estatuto do magistério o interstício e de 2 em 2 anos e percentual é de 3,5%). O PCCR do governo é, portanto, um claro retrocesso.

Por isso a resposta da categoria não podia ser outra. Se o governo não sabe ouvir e não respeita a vontade da categoria, usaremos a força e a disposição de luta dos trabalhadores em educação de todo o estado, para conquistar o PCCR que merecemos. A assembléia realizada hoje (27/04) no Paes de Carvalho contou com a presença de cerca de 2.000 trabalhadores, que por ampla maioria decidiram pela greve a partir do dia 07/05. Além disso, foi definido um calendário de mobilização que inclui a realização de um seminário estadual sobre o PCCR dia 30/04, participação massiva no ato do 1º de maio, realização de um ato unificado (município e estado) em Belém dia 05/05 e um grande ato no dia 07/05 para iniciar greve.

 
Em nota o Sintepp, conclama todos os dirigentes e a categoria a reunir com pais, alunos e a sociedade em geral explicitando as razões da greve. Ademais é fundamental reunir os trabalhadores em todos os municípios visando construir uma poderosa greve contra esse governo anti-popular e anti-democrático.



2 comentários:

blog.doclebfilo disse...

Só lamento que o SINTEP, SO SE MOBILIZA NO PERÍODO POLÍTICO, ISSO E LAMETÁVEL.SEMPRE FUI MILITANTE DO MOVIMENTO, MAS HOJE MIM MANTENHO POR CAUSA DOS MOVIMENTOS QUE TOMA CUNHO PARTIDÁRIO E NÃO CLASSISTA.

Anônimo disse...

os servidores de maraba tambem decretaram greve, não aceitaram os 5% proposto pelo prefeito.Agora vamos ver quem é mais forte, e claro , vai depender da coordenação do movimento serem fortes, naõ demonstrarem fraqueza, falta de conhecimento, falta de estudo das contas da PMM.