segunda-feira, 15 de março de 2010

Vice de Serra!

Seandora do Agronegócio deve ser a vice de Serra

A CNA - Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil - começou ontem, pela capital baiana, uma série de seminários intitulados O que esperamos do próximo presidente, cujo objetivo é discutir com ruralistas e dirigentes do agronegócio as propostas que o setor vai encaminhar aos candidatos ao Palácio do Planalto. Ao detalhar preocupações do setor, a presidente da CNA, senadora Kátia Abreu (DEM-TO), deu a entender que o único nome com perfil para receber o apoio dos ruralistas é o governador de São Paulo, José Serra (PSDB).

Após falar para cerca de 600 ruralistas de vários estados nordestinos, a senadora enfatizou que uma das maiores preocupações dos empresários do agronegócio é a "segurança jurídica". Conforme ela, a CNA vai reivindicar "com muita clareza" aos candidatos "o compromisso explícito, verbal, documental com a segurança jurídica, com o direito da propriedade, aos contratos. Queremos um marco forte na palavra do governante com relação ao marco jurídico deste país".

Sem citar o nome do presidente Lula, criticou o comportamento dele em relação ao tema, aludindo ao famoso encontro com dirigentes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) quando o petista colocou o boné da entidade. "Não queremos um comportamento dúbio, vai, volta, gera dúvida, põe o boné da invasão na cabeça, não cumpre reintegração de posse, financia movimentos sociais, fecha os olhos para o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) e deixa o órgão repassar dinheiro, financiando as invasões no País", declarou, reforçando que os empresários do campo querem "um presidente que tenha uma posição claríssima com relação à segurança política no País. Se o presidente não tiver satisfeito com a Constituição, que movimente sua bancada e mude-a".

O apoio político do segmento na eleição é considerável. "Do ponto de vista legal", disse a senadora, a CNA representa um milhão e meio de produtores rurais do Brasil, cerca de um terço do Produto Interno Bruto (PIB), 36% das exportações (cerca de US$ 417 bilhões no ano passado) e 16 milhões de empregos. A própria Kátia Abreu tem sido cotada como uma espécie de "plano b" para ser vice de Serra, no caso de o governador mineiro Aécio Neves (PSDB) insistir em não ocupar a vaga. Disse que só aceitaria se houvesse uma convergência de fatores que superasse as deficiências da opção, principalmente o fato de ela representar um Estado pouco populoso como o Tocantins.

"Não corro, não. Mas estamos esperando Aécio" - Kátia Abreu (DEM), Senadora, ao admitir candidatura a vice de Serra. (Fonte:

2 comentários:

Rita Lavoyer disse...

Olá, eu o encontrei na Cia dos blogueiros. Muito interessante e inteligente o seu blog.
Parabéns!

Anônimo disse...

Será que os estudantes da UFPA são mais feios?


Nesta semana vi e constatei que durante a saída dos estudantes da Faculdade Metropolitana, que fica as margens da Rodovia Tranzamazônica, são guarnecidos por policiais militares, provavelmente para inibir a ação de criminosos.
Até aí tudo bem, é dever da polícia. Mas alguns metros da Metropolitana está a Universidade Federal do Pará e nestes últimos anos nunca vi se quer um policial nesta tarefa de guarnicer os estudantes da UFPA no horário de saída, para inibir estes atos criminosos. Muito pelo contrário várias pessoas já foram assaltados nas paradas de ônibus a beira da VP-8. Policias vistos neste tempo que já beira cinco anos, só esperando ônibus junto com os estudantes, pois próximo do Campus I também fica o 4º BPM.
Meu intuito aqui não é criar atrito, nem fofoca é perguntar porque na metropolitana tem policiamento ostensivo, principalmente nestes horários, em uma instituição privada, e além da UFPA, acredito que as escolas públicas não tem policias nos horários de entrada e saída ?
Será que os estudantes das instituições públicas são mais feios ou merecem menos?

Fabiano dos Santos Rodrigues