quarta-feira, 24 de março de 2010

Nem Tapajós, Nem Carajás!

Com a possibilidade de ser votada ainda hoje a proposta de plebiscito de separação do Estado, uma ampla campanha contra a divisão do Pará ganha corpo e o Contraponto & Reflexão tá nessa.

--------------------------
Atualização:

Criação de novos Estados aumenta gastos públicos

Gasto por habitante no DF é o maior do país; Acre compromete maior percentual do PIB

A divisão de estados para criação de novas unidades da federação acarretaria o aumento de gastos públicos, mostra estudo do Ipea.


Custos de funcionamento das unidades federativas brasileiras e suas implicações sobre a criação de novos estados.

A partir das contas de cada unidade da federação, o trabalho calculou os gastos públicos estaduais na formação de novos estados. E o resultado é mais peso no bolso do cidadão. Um novo estado teria em média custos fixos de R$ 832 milhões anuais.

Em alguns casos, o gasto público estimado superaria o total da produção local, demonstrando flagrante inviabilidade econômica para a criação da unidade, afirma o pesquisa

Das propostas de criação de 16 novos estados desde 1998, dois Projetos de Decreto Legislativo (PDCs) - o DC nº 570/2008 e o PDC nº 631/1998 - continuam em tramitação.

-------------------------------------------

Atualização:

Dados da pesquisa do IPEA de 2009 (janeiro de 2009) ver site do IPEA

2 comentários:

Anônimo disse...

Também voto contra. Tô afim de pagar por essa farra não. Deixa do jeito que está, pelo menos assim a divisão da conta é maior... dói menos no bolso.

E se alguém quer ganhar dinheiro, que trabalhe.

Zé Dudu disse...

Poderia informar quais dados o IPEA usou, e de quando são esses dados?

Em recente palestra sobre a criação de novos Estados, apresentanda por um pesquisador da UFPA, em Paruapebas, os dados dos municípios que formarão o Estado do Carajás, eram de 10 e até 20 anos atrás, fato que contribue em demasia para o aumento e até a inviabilidade de criação de novos Estados.