segunda-feira, 22 de março de 2010

Lesionados pela mineradora Vale em Carajás pedem auditoria no INSS

Senador recebe lesionados pela Vale!




Um grupo de funcionários que se consideram lesionados pela mineradora Vale em Carajás, no Pará, se reuniram com o senador José Nery na última quarta-feira, 18, e solicitaram ao parlamentar que encaminhe um ofício junto ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) pedindo uma auditoria no órgão. Eles alegam que o INSS está sofrendo ingerência da empresa ao reintegrar trabalhadores que ainda não se recuperaram de problemas de saúde para legitimar suas demissões.

Nery não se mostrou surpreso com as denúncias. “Tenho falado sempre na tribuna do Senado sobre o tratamento criminoso e desrespeitoso que Vale mantém contra o Pará e também contra seus funcionários”. Ele se comprometeu a enviar o ofício ao INSS, mas pediu aos trabalhadores que levantassem todos os documentos necessários para justificar a possível auditoria. “O mais adequado é citarmos pontos específicos do órgão onde a irregularidade possa estar ocorrendo”, afirmou.

O senador deve falar pessoalmente com o presidente do INSS, Valdir Moysés Simão, sobre o tema. O grupo também cogitou a possibilidade de se realizar uma audiência pública no Senado com a presença de representantes de centrais sindicais, da Vale, do INSS, Poder Judiciário, Ministério Público Federal e Ministério do Trabalho e Emprego.

Para o Movimento dos Lesionados e Discriminados pela Vale Carajás - Pará, a empresa mente ao dizer em sua propaganda institucional que é exemplo de respeito a seus funcionários. “É uma empresa que está expropriando riquezas e deixando uma legião de doentes”, afirmou um dos trabalhadores na reunião.

Durante o encontro, o grupo também destacou que a Vale manipula quase todos os sindicatos e com isso dificulta a luta por direitos dos funcionários. O Movimento denuncia que o último acordo coletivo em Carajás não teve a devida divulgação e ainda incluiu uma cláusura dizendo que os afastados teriam direito a mais um ano de permanência nas casas oferecidas pela empresa aos trabalhadores. “O problema não é só a casa, mas também perder junto outros direitos como educação e saúde”, completou outro funcionário.

Aletheia Vieira/Assessoria de Imprensa do senador José Nery

Nenhum comentário: