segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Uma perda...



NOTA DE PESAR - AQUI


O superintendente do Serviço do Patrimônio da União (SPU) no Pará e presidente regional do PC do B, o ex-deputado estadual Neuton Miranda, de 61 anos, morreu por volta das 23h deste sábado (20) de um ataque fulminante do coração. Ele estava na cidade de Belterra, próxima a Santarém, no Oeste do Estado, a serviço do SPU, quando sofreu o infarto.

Segundo informações de assessores, Miranda passou o dia bem e começou a sentir falta de ar quando se preparava para dormir, em um hotel da cidade. Uma ambulância foi chamada e o superintendente chegou a caminhar até o veículo, onde recebeu os primeiros socorros, mas não resistiu.

Além de dirigente regional do PC do B, Neuton Miranda era membro do Comitê Central do partido. Durante a ditadura militar, viveu na clandestinidade. Com a anistia, voltou a assumir sua identidade, realizando trabalho político visando a recomposição e legalização do Partido Comunista do Brasil, então proscrito, no Estado. Ele assumiu diversos cargos na administração estadual, entre eles, o de presidente da Cohab, no primeiro governo de Almir Gabriel, mas rompeu com o dirigente tucano, logo após o massacre de Eldorado dos Carajás, em abril 1996, quando foram assassinados 19 trabalhadores rurais sem-terra.

O corpo de Neuton Miranda será transportado de Santarém para a capital ainda neste domingo (21), por um avião cedido pelo governo do Estado. O velório acontecerá na capela mortuária da Beneficência Portuguesa, no bairro do Umarizal.

O corpo está sendo velado no salão nobre da Assembléia Legislativa do Estado, onde deve continuar a receber homenagens.

---------------------------------

Em nota Renato Rebelo (pres. nacional do PCdoB) enaltece Neuton!

Neuton foi um exemplo de militância revolucionária. Militou no Partido por 38 anos. Foi líder estudantil e vice-presidente da UNE na gestão de Honestino Guimarães, foi perseguido pela ditadura militar, sendo obrigado a viver clandestino em seu próprio país. No auge da repressão, no ano de 1972, entrou para as fileiras do Partido Comunista do Brasil. Trabalhou na organização partidária em Minas Gerais e em São Paulo. Após 1979, foi destacado pela direção para reorganizar o PCdoB no Pará.

--------------------------------
Atualização:

PSOL lamenta morte de Neuton Miranda

5 comentários:

Ronaldo disse...

No PC do B, aprendi com Neuton Miranda a curar-me do “esquerdismo”, doença infantil do comunismo, conforme ensina Lennin em sua memorável obra. Verdadeiro revolucionário, Neuton dedicou sua vida à causa libertária, em prejuízo da sua vida pessoal.

Neto disse...

cada dia ficamos mais pobres de homens sérios e trabalhadores.
Que a força de Neuton, dê forças aos companheiros que ficam, para lutarem pelos seus ideais

Anônimo disse...

Conheci poucos homens coerentes com as suas palavras. O Neuton era um deles.Pessoas assim, nunca morrem. Valeu Neuton!!!

Anônimo disse...

Riba, perca não existe: melhor PERDA, não?

Anônimo disse...

O único Miranda digno da familia!!!