quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Um intrave para o desenvolvimento

Segundo a FAPESPA órgão criado pelo atual governo do estado para financiar pesquisas, o estado do Pará têm carência de profissionais com formação especializada, eisso seria uma das principais barreiras que impedem o desenvolvimento da região. Atualmente, o Estado conta com 83.401 alunos de graduação; 2.247 de mestrados; 636 de doutorado e 1.504 doutores.

Os números, porém, estão bem abaixo do esperado ou do necessário. Se comparado com o Estado de Santa Catarina, por exemplo, conta com 3.360 mestrandos, 2.061 doutorandos e 3.100 doutores. Com suas riquezas naturais, minerais e energéticas, o Pará tem tudo para se tornar modelo de desenvolvimento fortemente atrelado ao uso da ciência e tecnologia.

Mas, para isso, ainda precisa investir pesado na formação de recursos humanos. hoje a grande maioria dos cursos de doutorado está centrada na Universidade Federal do Pará (UFPA).

Um comentário:

prof edivan disse...

O problema se constitui ainda na centralização das pós graduações na capital. como vamos desenvolver se o ensino de pós nao chega no interior. Marabá já merecia um mestrado ou doutorado.