terça-feira, 10 de novembro de 2009

CONFLITOS NO CAMPO: Nota do PSOL

De quem é a Terra ?
No principio,criou Deus os céus e a terra, porém, estava sem forma e vazia. Não havia ainda nenhuma planta do campo, pois ainda nenhuma erva do campo havia brotado;por que o senhor Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo” ( Livro do Gênesis)
A principio toda a terra teve um único dono que segundo as sagradas escrituras a concedeu sob concessão para que as criaturas que nelas habitassem podessem viver em harmonia e com o minimo de dignidade possivel vivendo do fruto que dela brotasse. Entretanto, o ‘Grande’ opositor do Deus todo poderoso quiz sobrepuljá-lo e desceu de sua condição superior para corromper ‘O homem’ a maior obra do criador. A ganância, a ânsia maldita pelo poder de controlar a vida e a morte, o deitar e levantar da mais perfeita criatura do criador supremo ganhou força, pois, o mal neste momento sobrepôs-se ao bem e governa a terra onde Severina vive e morre e nem a cachorrinha baleia tem direito a deitar e levantar com o minimo de dignidade e esperânça por dias melhores.
Quem deu aos Senhores da vida e da morte o direito de abrir a boca e gritar mais alto que os seus semelhantes.(que deveriam ser iguais ) De que tem direitos sobre a terra, que os 8.511.965 Km do território brasileiro lhes pertencem, que devemos baixar a cabeça toda vez que esses senhores usarem o poder das armas para aviltar a dignidade do homem do campo. É lamentavel o papel do Governo Federal que durante decadas e decadas, que se transformaram em séculos, vem bancando essa balburdia, esse lastro de desigualdade com as riquezas do subsolo, o dinheiro do povo e o suor e o sangue do trabalhador brasileiro do campo e da cidade.
É vergonhoso, é inadimissivel que após o periodo de opressão dos governos repressivos, da abertura desastrosa operada pelo Governo collor, da década de entreguismo dos bens públicos sustentada pelo governo FHC. Que o Governo ‘dito’ popular continue dando seguimento ao percurso iniciado por seus antecessores que negavam e ainda negam, a perseguição, o segregacionismo,o ódio e o horror a grande massa , que só serve para alimentar com o suor do seu labor as contas bancarias de uma minoria opressora. Desejamos que o aniversário da queda do muro de Berlim, venha ajudar a derrubar o muro da vergonha que cercam os milhões de hectares de terras griladas no Pará e no Brasil que servem de capital especulativo e para o enriquecimento ilicito de centenas de malversadores do dinheiro público.
Desejamos também que o Estado e a Justiça Estadual comecem a fazer ‘justiça’, mandando para a cadeia os assassinos dos trabalhadores rurais que morreram ,e continuam sem justiça , na Curva do S em Eldorado dos Carajás e muitos outros que pereceram em busca de chão para plantar e minimizar o problema da fome que assola o nosso país. Justiça que clama Irmã Doroty Stang , João Canuto , Paulo Fontelles, Dezinho e muitos outros. Mas sabemos que isso fere de ‘morte’ o estado de direito dos ‘Ruralistas’ e do Latifundio. E por isso a impunidade no campo continua. Que o julgo repressor do Estado não recaia somente sobre o homem do campo e da cidade que atinja também os Opressores do povo.
Nós militantes, filiados e dirigentes politicos do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL – Marabá) REPUDIAMOS veementemente os atos de perseguição Pólitica e Moral impetrados contra os Dirigentes do Movimentos Sociais do Campo e da Cidade, em Especial o MST e seus dirigentes no Estado do Pará.

Nenhum comentário: