quinta-feira, 8 de outubro de 2009

VALE QUER ISENÇÃO DE ISS

Vereadores tentam impedir isenção de ISS à Vale.

Mais uma vez a Vale debocha do povo, ao pedir isenção de ISS - imposto sobre serviços ( a ser cobrado no período da obra da Siderúrgica, que deve gerar 17 mil empregos).

Dessa vez até deputado do PSDB (partido responsável pela privatização da ex-estatal) esbravejou contra mais este ato de irresponsabilidade com o município de Marabá.

Empregos: para o deputado Wandenkolk, os empregos qualificados não serão para trabalhadores da região, por não possuírem a tal qualificação ( e a própria empresa não ter este cuidado de qualificar e nem de fomentar o apoio a qulificação). Para Marabá serão dados apenas empregos nas marcenarias, carpintarias e outros de cárater pífios.

È, entendimento de todos que a Vale tem que contribuir com o muncipio, principalmente, porque o governo do estado já está DANDO DE GRAÇA Á AREA QUE VAI SER CONSTRUíDA A NOVA SIDERÚRGICA.
È unânime também que a Vale deve assumir partes dos problemas que ela vai causar como: crescimento desordenado, saturação no atendimento hospitalar, aumento da violência e criminalidade, inchaço populacional e outros...
Vale ressaltar que além dos milhões que o governo vai pagar em indenizações, a Vale não paga um centavo de ICMS dos produtos que extrai no Pará.
È mole ou quer mais, fazer milagre com o santos dos outros - aliás com a miséria do povo daqui.

10 comentários:

Walter disse...

Se a prefeitura e a Câmara permitir essa aberração, acho que somos obrigados a não confiar mais nessa raça ruim.

Isentar a vale é isentar ela também das responsabilidades e crimes que ela comete copntra nossa gente.

Anônimo disse...

português sofrivel...

Anônimo disse...

Caro Ribamar, o raciocinio é o seguinte > Ano que vem tem eleição, essses deputados dizem que são contra a isenção para a Vale só até a mesma acenar com dinheiro para suas campanhas, entenderam ? É o jogo do "agora eu bato depois eu assopro". Em 10.10.09, Marabá-PA.

Carivaldo disse...

iSNETAR A VALE SERIA UMA FORMA DE ISENTÁ-LA TAMBPEM DOS PROBLEMAS. E ISSO PODE NÃO SER BOM PAR AO POVO D EMARABÁ, ENTÃO O BOM SERIA QUE A SOCIEDADE SE MOBILIZASSE.

Francisco Macedo disse...

O Anômino 15:47h deve ser no minímo um idiota. Não fez nenhuma referência ao texto, ou deve tá pensando nos seus antepassados que por aqui colonizaram essa porção de terra chamado Brasil.

Faça o debate (...)

Anônimo disse...

Ô Francisco Macedo. O amigo das 15:47 apenas fez referência à péssima redação elaborada pelo poster. E olha que o cara é professor. Pra você ver como a gente tá bem.

www.ribamarribeirojunior.blogspot.com disse...

Realmente não estamos bem, porque pessoas como você não tem coragem de se identificar.

A referência feita pelo 15:47 é da mesma autoria do 20:22. Uma pessoa que tem não tem personalidade e despreparada para o debate.

Venha!!!

Anônimo disse...

Tô axando quê esti ai é defensor da Vali.

rar rara arrara

georgina tolosa disse...

CARLOS?? QUEM É CARLOS?

CARLOS ALBERTO DE NOBREGA?

CARLOS ALBERTO TORRES?

CARLOS ALBERTO DA CONCEIÇÃO?

OU UM QUE SE TRAVESTE DE UM NOME PARA NÃO SE IDENTIFICAR, PORQUE TEM MEDO??

Fábio disse...

Prezaado Ribamar

A pauta política do estado deveria iniciar com dois pontos: a revisão da Lei Kandir e a necessidade da Cia Vale discutir com a sociedade paraense uma agenda de investimentos conseqüente e comprometida com o desenvolvimento estadual. É preciso cobrar isso à classe política: saber como eles se posicionam a respeito e o que fizeram quanto a essas questões.
Quanto à gestão do Agnelli, é preciso lembrar que os bons resultados que ela apresenta, em termos de números e índices, resultam de uma política empresarial financeiramente complexa, baseada no curto prazo e descomprometida com o longo prazo. Os interesses da Folha de São Paulo na manutenção dessa política são comerciais, obviamente.