terça-feira, 29 de setembro de 2009

Museu Histórico de Marabá

Pai de vereadora, avô do dono da cidade, frei, ex-prefeitos e fundadores da cidade, estão entre os concorrentes do concurso que deve dar o nome para o Museu Histórico de Marabá, que será abrigado nas dependências do prédio denominado de Palacete Augusto Dias.
Algumas criticas foram públicas recentemente em um artigo de um jornal local a poucos dias. E, logo veio a resposta por parte de um dos interessados. Acontece, que as regras dete concurso são duvidosas, não estão claras com relação a a puração dos "votos", e com isso deixa uma certa suspeita com relação ao resultado. Ainda mais quando a cidade passa por um processo de leolização.

5 comentários:

José disse...

Caro Riba

Vejo que este concurso é mais uma manobra da presidente da câmara para emplacar o nome do seu pai.

ricardo_xerfan disse...

Meu caro Ribamar, respeito a sua opinião, mas recomendo que o sr. faça um breve estudo sobre quem foi Raimundo Rosa e quem foi João Correa da Rocha.
Posso te adiantar que o primeiro jornal de Marabá foi de João Correa da Rocha, Mais conhecido como Sr. Rocha. Ele foi convidado pelo prefeito da época para vir morar em Marabá e implantar um jornal aqui na região, que por sinal, era GRATUITO.
Outra coisa, o sr. viaja de avião?
O sr. sabia que na época do governo militar (ditadura), o aeroporto de Marabá havia sido desativado pelo governo?
O sr. sabe quem fez abaixo-assinado para a reinauguração do aeroporto?
Se souber, vai ver que foi o Sr. Rocha, que por sinal é meu bisavô.
Recomendo ao sr. estudar um pouco sobre a história da sua cidade, antes de falar sobre as pessoas que contribuiram para a cidade.

Anônimo disse...

Ribamar,

è Lamentavel o desconhecimento e a malicia do comentario acima referido, quando trata o nome de Raymundo Rosa, como manobra politica. Não sabe o José que o Jornalista Raymundo Rosa, foi um atuante militante politico nesta Cidade, que já falava do declinio e dos crimes ambientais contra os castanhais em seus artigos ainda na decada de 60, que recebeu e escondeu em sua casa o Ilustre Luis Carlos Prestes quando perseguido, que foi cassado pela ditadura militar (acredito que seja o unico vereador do Norte do País que teve seu Mandato cassado), que foi preso e torturado por defender os ideais socialistas. Uma das pessoas que cujo trabalho e luta ajudaram a construir e desenvolver nossa cidade principalmente no campo das ideias e da politica.
Que as diferenças politicas sejam consideradas em qualquer momento de nossa atuação, no entanto, não reconhecer as personalidades e pessoas que ajudaram a construir nossa cidade, ou é, desconhecimento ou burrice.

PArabens a Casa da Cultura de Marabá e a CMM pela indicação do nome de Raymundo Rosa e de todos os outros ali alocados.


Benedito Arueira

www.ribamarribeirojunior.blogspot.com disse...

Com relação a recomendação do sr Ricardo, faço algumas reflexões:
1-Como conhecer a história da cidade feita pelos "anônimos" pessoas que contruiram de fato a história dessa cidade e que hoje não são lembradas?
2- Como reconhecer apenas os que "fizeram" a história por pertencer a determinado grupo, família? ou feudo polítivo?

3-A história dessa cidade e dessa região foi forjada por trabalhadores, castanheiros, pescadores, mariscadores, e tantos outrso que aqui derramaram seu sangue, (aliás derramado pelos "grandes" que boa parte deles hoje tem seus nomes em prédios públicos e ruas de Marabá.

4- A história quem faz é o povo!!!

macedo disse...

Ribamar
Eu não entendi essa do Ricardo, a SUA POSTAGEM QUESTIONA AS REGRAS, E ELE QUESTIONOU VC, COMO SE VC NÃO CONHECESSE A HISTÓRIA DESSA CIDADE.

VAMOS DEBVATER COM ESSA CARA!

fRANCISCO mACEDO