sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Documentos retirados do Pará

Estamos vivendo uma situação inusitada e estarrecedora:

a) o Ministério da Justiça (Ministério Público Federal) determinou às nossas universidades que "criem, organizem e implantem imediatamente" cursos de formação intercultural de professores para atender as escolas e populações indígenas;
b) o mesmo Ministério da Justiça ( leia-se Fundação Nacional do Índio - Brasília) manda encaixotar e retirar do Pará toda a documentação relativa aos povos indígenas.
c) o MEC/SECAD e CAPES lançam várias editais de fomento, às IES com cursos Stricto Sensu, para a realização de estudos e pesquisas sobre populações indígenas.
d) São documentos originais dos quais NÃO HÁ CÓPIA.
Então, considerando-se que:
- são documentos originais, contendo parte da história do Pará, da Amazônia e do Brasil;
- contem informações sobre as populações indígenas desde o início do Séc. XX;
- importante fonte de consulta no momento em que vamos nos empenhar em atender aos desafios propostos pelos nossos Ministérios da Justiça e da Educação;
- são documentos importantíssimos que devem permanecer no Pará para subsidiar a formulação de propostas e cursos;
- devem converter-se em acervo de qualquer uma das nossas IES públicas, as quais têm plena condição de recuperá-los, preservá-los e disponibilizar ao público versões digitalizadas.
Precisamos de uma mobilização exemplar mostrando nossa surpresa e indignação por semelhante determinação, especialmente quando discutimos as populações estão sobre as terras que sofrerão os impactos pelas grandes obras.

Nenhum comentário: