segunda-feira, 4 de maio de 2009

Nota do MAB

Nota de solidariedade do MAB ao MST

Nós do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) nos solidarizamos ao Movimento Sem Terra (MST) que têm sido vítima de um violento processo de criminalização e perseguição em todo o país e, em especial, no Rio Grande do Sul. A perseguição que os militantes do MST sofrem faz parte de uma ação ilegal, orquestrada pelo Governo do Estado, Justiça Federal e Ministério Público, já que fere o artigo 184 da Constituição Federal, cujo texto prevê a desapropriação dos latifúndios e o assentamento das famílias sem terras.

Consideramos que o fechamento das escolas itinerantes é mais uma ação política contra a luta social e uma afronta ao direito humano de acesso à educação. Esta metodologia de ensino é reconhecida como a mais viável para acompanhar os acampamentos que se deslocam para outras regiões em função da luta pela terra.

Também repudiamos o despejo do acampamento ‘Jair da Costa’ de dentro de um assentamento no estado, sob a alegação de que o acampamento se encontra em área de preservação ambiental. O fato não é verdadeiro. O acampamento está em uma área coletiva do assentamento, enquanto a área de preservação localiza-se em outro ponto do assentamento.

Enquanto Via Campesina, o MAB se une ao Movimento Sem Terra e aos demais movimentos na denúncia do modelo energético e do agronegócio que, através de empresas que controlam estes setores, roubam do povo a dignidade e a vida. Consideramos a luta pela reforma agrária justa e necessária e nos somamos ao MST na construção de uma nação cujas riquezas permaneçam com a classe trabalhadora.

Exigimos respeito e liberdade de ação e manifestação aos movimentos sociais e ao MST, que o Ministério Público, a Justiça e o Governo do Estado do Rio Grande do Sul revejam suas ações e, por fim, nos unimos ao jejum iniciado pelo MST em Porto Alegre contra o despejo do acampamento, em Nova Santa Rita.

Reforma Agrária: Por Justiça Social e Soberania Popular!
Agua e energia não são mercadorias!

Coordenação Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)

Um comentário:

flor disse...

Riba,

18 pessoa scontinuam presas em Belem, essa é uma prova inconteste do governo de Ana Barbalho e seus asseclas...FORA ANA JULIA!!!