segunda-feira, 2 de março de 2009

Trabalho Escravo persiste na Amazônia

A escravidão até 1888 era definida pelo costume e pela Lei e ganhava sentido no fato de que legalmente o cativo era mercadoria. A Lei Áurea, assinada em 13 de maio de 1888, determinou o fim da propriedade de uma pessoa sobre a outra. Para muitos, esta Lei significava a liberdade dos negros africanos no Brasil, mas ela não pôs fim definitivamente na escravidão porque esta passou a existir sobre uma nova roupagem.

A escravidão contemporânea, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), é caracterizada pela soma da perda da liberdade e o trabalho degradante. A perda da liberdade pode ser porque o trabalhador passa a ter uma dívida inventada pelo “gato” , ou por isolamento geográfico ou ainda pela retenção de documentos ou por ameaças físicas ou psicológicas. E, o trabalho degradante pode ser considerado a jornada exaustiva de trabalho, alojamento precário, falta de saneamento básico e de higiene, falta de assistência médica, péssima alimentação, falta de equipamento de proteção individual, maus tratos e violência.

Nenhum comentário: