terça-feira, 31 de março de 2009

Trabalhadores da educação vão as ruas!

Educadores, trabalhadores, sindicalistas e membros de movimentos sociais e populares vão às ruas de Marabá nesta quarta-feira, 01 de abril, protestar contra a crise e as demissões em massa que vêm acontecendo. A manifestação terá início em frente à sede do poder executivo (Praça da Prefeitura). O ato será um marco para a concretização da unidade dos trabalhadores da educação. O principal objetivo é a defesa do emprego, pela manutenção e ampliação de direitos, pela redução dos juros e da jornada de trabalho sem redução de salários, e pela Reforma Agrária.

2 comentários:

Laguardia disse...

O problema principal do Brasil é o descaso para com a educação. O governo atual enaltece um presidente da república que chegou ao poder sem ter educação formal, mandando uma mensagem de descrédito. Um povo sem educação é fácilmente manipulado.

Os movimentos pró educação devem focar na melhoria das condições de ensino no país e lutar por uma melhor educação para todos.

Minsturar a luta por melhor educação com Reforma Agrária é fazer o jogo dos que hoje estão no poder e a quem não interessa melhorar as condições de ensino para poder continuar dominando.

O governo atual, como disse Frei Beto, não tem um projeto de governo, mas um projeto de poder.

www.ribamarribeirojunior.blogspot.com disse...

Prezado Laguardia,

Em primeiro lugar é sempre bom ter pessoas como vc para o bom debate,pois existem alguns que entram fazem a critica e não tem argumento, e ainda ofendem o poster como se fosse o dono da razão.

Em segundolugar, com relação ao seu comentário,sobre misturar Educação e Reforma Agrária, pra nós aqui do Sul e Sudeste do Pará, que contemplamos um modelo de desenvolvimento cuja a concentração de renda baseia se no agronegócio e na mineração, pensamos que a Educação tem qeu estar aliada a um projeto de desenvolvimento junto com a Reforma Agrária. Nesse caso,
o desenvolvimento se encontra em uma interação que vai além do crescimento econômico pensado a partir de indicadores de renda ou de produtividade e contempla outros fatores que contribuem para a qualidade de vida, como a educação. Nesse modelo, a chave do desenvolvimento está com a transformação da Reforma Agrária em política pública, novos desafios se impõem para as diversas
esferas do Estado,sempre atrelando a um novo modelo de desenvolvimento.