sábado, 28 de junho de 2008

ELEIÇÃO 2008 - O QUE DEU NO JORNAL

DEU NO CORREIO DO TOCANTINS
Repórter Tocantins



nComo esperado, o prefeito Sebastião Miranda Filho (PTB) foi o primeiro a movimentar as peças no tabuleiro político. Na quarta-feira, conforme narrado aqui na coluna, ele teve encontros com Ítalo Costa (PDT) e Asdrubal Bentes (PMDB). Logo depois anunciou a opção por apoiar João Salame Neto (PPS) para a sua sucessão.
nCom a candidatura inviabilizada, e principalmente por se sentir preterido, Ítalo Costa sequer irá para outra composição. Desgostoso, ele anunciou imediatamente aos seus correligionários que está abandonando a política e volta a se dedicar integralmente aos seus negócios. Ítalo, inclusive, não subirá em palanque.

nNeste sábado, às 10 horas, na Convenção do PDT, que ocorre no plenário da Câmara, Ítalo entrega uma carta de renúncia da função de presidente do partido e também faz um desabafo sobre as suas razões e o que lhe deixou desanimado, após esses quatro anos caminhando junto com Tião Miranda.

nNa chapa de Salame, o vice já estava decidido nesta sexta-feira, confirmando o que esta coluna já havia especulado na última edição: será Pedro Corrêa Lima (PTB), ex-secretário de Saúde.

nA vaga de vice no grupo governista ainda foi negociada ontem em investida do próprio PDT de Ítalo Costa, que levou ao prefeito proposta do nome da vereadora Júlia Rosa, mas essa possibilidade foi rechaçada.
nVanda Américo (PV), nos bastidores, também teria postulado a composição de vice de Salame, mas não teve apoio do seu partido, uma vez que o médico Jorge Bichara insiste na candidatura própria e o Partido Verde, segundo ele estará na disputa.

nAsdrubal Bentes ficou de se reunir na noite de ontem com a governadora Ana Júlia Carepa em Belém, a convite desta, apesar disso ele não estava muito esperançoso em acordo e garantia que apresentará o seu nome na convenção, como candidato.nQuem também esteve reunido com Ana Júlia ontem, só que no café da manhã, foi o vereador Ferrerinha (PSB), e lá ficou acertado que ele sairia como candidato a vice na chapa de Bernadete ten Caten para fcontrapor à candidatura de João Salame.

nFerreira voltou imediatamente da Capital e se reuniu com partidos aliados para comunicar a sua decisão.

CONVENÇÕES -PT

o PARTIDO DOS TRABALHADORES HOMOLOGA O NOME DE BERNADETE TEM CATEN COMO CANDIDATA A PREFEITURA DE MARABÁ

Os demandos administrativos no INCRA serão a principal bandeira dos adversários politicos da candidata da governadora em Marabá. A deputada que fará dobradinha com Ferreirinha vai ter que se explicar.

CONVENÇÕES - PSB

PSB

Os militantes do PSB confirmaram chapa de vereadores em coligação com o PDT e aprovaram o nome de Sebastião Ferreira Neto para compor a chapa como vice-prefeito de Bernadete Catem PT.

O duro golpe sofrido pelos socialistas foi na negociação junto PT para garantir uma chapa proporcional, mas o PT se negou porque já tinha sua composição, com isso Elton Mamoré corre o risco de perder o mandato para Julia Rosa que deve ser a mais votada na chapa do PDT.

CONVENÇÕES - PSOL

PARTE 1 - acrescentada depois que o fuxiqueiro enviou uma tonelada de e-mails tentando denegrir nossa imagem e provocando uma avaliação sem noção....

PSOL

O Partido Socialismo e Liberdade deu um passo atrás (VÁRIOS PASSOS)ao escolher o nome do estudante Abidik como seu candidato a prefeito de Marabá.

Um jovem sem experiência e conhecimento da realidade local, sem perfil nenhum para o nivel da disputa. Com isso o partido entra num verdadeiro colapso. Se a tendÊncia era avançar na certeza de que o processo eleitoral pudesse dar um resultado mais plausível para consolidação, agora o PSOL tende a cair no ostracismo e regressão.

A escolha do jovem estudante se deu a partir da desistÊncia do pré candidato Felix Urano (Tibirica), que vai disputar uma vaga de vereador. Com isso abriu precedente para que a CST - grupo politico de radicais sem noção - pudessem lançar o nome corporativo sem que houvesse um debate mais maduro.

Perde o PSOL e perde Marabá com a escolha.


NOTA DO POSTER

ALGUNS DOS CHAMADOS VALIOSOS MILITANTES ENRAIVECIDOS TENTARAM PUBLICAR COMENTÁRIOS COM A TOTAL FALTA DE RESPEITO, COMO SE O POSTER NÃO PUDESSE EXPRESSAR SUA OPINIÃO SOBRE A DECISÃO EQUIVOCADA POR PARTES DOS MEMBROS DO GRUPO QUE SE APRESENTA COMO MAIORIA HOJE NO DIRETÓRIO LOCAL.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

ULTIMAS DO DIA

O poster teve agora pouco acesso a informações dos bastidores politicos de Marabá. O vôo da TAM de Belém a Marabá, hoje a tarde estava repleto de candidatos.

Bernadete (PT), João Salame (PPS), Maurino (PR), Ítalo (PDT), Asdrubal (PMDB)e Ferreirinha (PSB). Já pensou se caisse.

TA CONFIRMADO:

JOÃO SALAME E PEDRINHO SÃO OS CANDIDATOS DA CHAPA DO PREFEITO TIÃO "ARROGANTE" MIRANDA. PPS E PTB MARCHARÃO JUNTOS.

EM BELÉM A GOVERNADORA ANA JULIA BARBALHO FECHOU A ALIANÇA EM PROL DE BERNADETE PT, COM FERREIRINHA (PSB) DE VICE, E ITALO (PDT)NO APOIO. COM ISSO SAI O PRIMEIRO RCHA NO GRUPO DO PREFITO MIRANDA.

POR OUTRO LADO, MAURINO 46% MAGALHÃES PR TENTA FECHAR ACORDO COM ASDRUBAL PMDB.

O PRB DE NAGILSON TÁ SENDO IMPULSIONADO PELA TURMA DO PALACIO DOS DESPACHOS PARA FECHAR COM O PT DE BERNADETE INCRA TEN CATEM.

O PSB VAI DE PROPORCIONAL COM O PT PARA SALVAR A REELEIÇÃO DE MAMORÉ PSB.

Magalhães???

Eleito vereador em 1988 com uma expressiva votação dos eleitores do lado de lá. Magalhães sofreu uma surra inusitada do pai do então prefeito eleito. O fato se deveu por que Magalhaes se negava a votar no candidato do prefeito a presidência da Camâra.

O Candidato era o ex-aluno de medicina Gomes, Filho de um antigo proprietário de terras na região, mas conhecido como Miguel Pernambuco.

Magalhães foi eleito pelo PMDB em 1988, 1992 e 1996 e pelo PSDB em 2000, e em 2004 pelo PL.

Em defesa do Batista

O senador José Nery está neste momento lendo a nota em defesa do Advogado José Batista da CPT. Em contato ainda pela manhâ com este poster que também faz parte da equipe do mandato, o senador pediu mais informaçoes para fazer uma intervenção na Comissão dos Direitos Humanos do Senado.

DEFENSOR DE DIREITOS HUMANOS SOFRE CONDENAÇÃO POLÍTICA.

O Juiz da Justiça Federal de Marabá, Carlos Henrique Haddad, através de sentença prolatada no último dia 12 de junho, condenou José Batista Gonçalves Afonso a uma pena de 2 (dois) anos e 5 (cinco) meses de prisão. José Batista é advogado da CPT de Marabá, membro da coordenação nacional da entidade e tem ampla atuação na defesa dos direitos humanos no Pará. Na mesma sentença, o juiz condenou também à mesma pena Raimundo Nonato Santos da Silva, ex-coordenador regional da FETAGRI.

O fato que originou o processo aconteceu em 04 de abril de 1999. Inconformados com a lentidão do INCRA no assentamento de milhares de famílias sem terra acampadas e com a precariedade dos Assentamentos existentes, mais de 10 mil trabalhadores rurais de acampamentos e assentamentos da FETAGRI e do MST do sul e sudeste do Estado montaram acampamento em frente ao INCRA de Marabá. Somente após 20 dias acampados é que o governo decidiu se reunir com os trabalhadores e negociar a pauta de reivindicação. A reunião acontecia no auditório do INCRA com 120 lideranças de associações e sindicatos, representantes da FETAGRI, da CONTAG, do MST e da CPT. Por parte do poder público compunham a mesa de negociação representantes do INCRA nacional, ITERPA e Banco da Amazônia. A multidão de trabalhadores ficou do lado de fora da sede do INCRA aguardando o resultado das negociações. Por volta das 22 horas, sem resposta, o povo já cansado e com fome, perdeu a paciência e entrou nas dependências do INCRA, ficando em volta do auditório e impedindo a saída da equipe de negociação do prédio durante o resto da noite e início da manhã do dia seguinte. O advogado José Batista, que fazia apenas seu papel de assessor do MST e da FETAGRI nas negociações, se retirou do prédio logo após a ocupação em companhia de Manoel de Serra, presidente da CONTAG, e Isidoro Revers, coordenador nacional da CPT à época, para tentar mediar o conflito. Mesmo assim foi processado junto com várias outras lideranças, acusado de ter impedido a equipe do INCRA de sair do prédio.

Em abril de 2002, o Ministério Público propôs suspensão do processo, mediante pagamento de seis cestas básicas por cada um dos acusados e comparecimento mensal à Justiça Federal, o que foi aceito por José Batista e demais acusados. Ainda durante o cumprimento das condições, a polícia federal indiciou novamente José Batista, e teve início outro processo, pelo crime de esbulho, em razão de um segundo acampamento dos mesmos movimentos em frente ao INCRA. Novamente foi proposto a ele o pagamento de cestas básicas para a suspensão do segundo processo, tendo sido aceita a proposta. Cumpridas as condições impostas no primeiro processo e, no momento do MPF requerer a extinção do mesmo, outro juiz (Francisco Garcês Júnior) assumiu a vara federal de Marabá e, sem nenhum fato novo, sem ouvir o MPF, anulou todas as decisões do seu antecessor e determinou o seguimento dos dois processos contra Batista e Nonato. O segundo processos prescreveu no ano passado e o primeiro resultou na atual condenação.

A decisão do Juiz Federal de Marabá é política e demonstra claramente o processo de criminalização imposto pela Policia Federal e a Justiça Federal de Marabá contra as lideranças dos movimentos sociais da região, que há décadas vêm enfrentado a violência de latifundiários e madeireiros locais bem como a perseguição da companhia VALE.

A parcialidade do juiz ficou evidente não só no fato da condenação, mas também na definição da pena. O crime de cárcere privado, imputado ao advogado, prevê pena mínima de um ano e máxima de três. Ele foi condenado à pena de 02 anos e 05 meses de reclusão, agindo o juiz em contra-senso de entendimento por ele próprio expressado na sentença ao afirmar que: “É possível que não tenha incitado a invasão da sede do INCRA pelos trabalhadores rurais e parece crível que não teria condições de controlar a multidão exaltada”. A fundamentação da sentença de condenação se baseou para agravar a pena, na alegação de os acusados teriam instigado ou determinado a cometer o crime alguém sujeito à sua autoridade, mas como, se o próprio juiz reconheceu não terem os réus condições de controlar a multidão? Diz também a sentença que houve emprego de grave ameaça contra a pessoa, mesmo não havendo nenhuma prova de tal fato no processo. Alegando isso, o juiz negou ao advogado o direito da pena alternativa.

De acordo com o Código Penal, a pena pode se aproximar ou chegar ao máximo se o acusado, tiver antecedentes criminais, conduta social reprovável e ter cometido crime grave, o que não é o caso do advogado José Batista. Tudo indica que a decisão do juiz tem a intenção de afastá-lo de suas atividades de defensor dos direitos humanos na região. Nos últimos anos, a CPT através de seus advogados vem travando uma dura luta no poder judiciário pela condenação dos mandantes do assassinato da missionário Dorothy Stang, do sindicalista José Dutra da Costa, o Dezinho, bem como, fazendo a defesa de centenas de lideranças dos trabalhadores em processos contra a VALE. Será pura coincidência essa decisão do juiz federal nesse contexto quando os advogados da CPT ao defender os Direitos Humanos e ambientais estão ferindo os interesses de grupos econômicos poderosos da região?

A decisão do Juiz, não é um fato isolado, mas, se insere no processo de criminalização de lideranças dos movimentos sociais e de decisões que favorecem fazendeiros e a VALE que se tornou mais forte na justiça federal de Marabá nos últimos seis anos. Vejam alguns casos:

1.A revogação da prisão preventiva do fazendeiro Aldimir Lima Nunes, o “Branquinho”, denunciado pelos crimes de homicídio, trabalho escravo, aliciamento, ameaças a autoridades federais e grilagem de terra. Preso pela Polícia Federal, depois de ter fugido da delegacia regional de Marabá pelas portas da frente, mesmo assim, foi posto em liberdade em 2004, pela então juiz federal de Marabá.

2.A decretação da prisão de um trabalhador rural, pelo simples fato de o mesmo ter deixado de comparecer a uma audiência de interrogatório porque estava com medo de sair de sua residência e vir a ser assassinado, uma vez que havia sofrido uma emboscada de pistoleiros dias antes, tendo levado quatro tiros. Este trabalhador inclusive havia pedido proteção policial;

3.Deferimento de liminares reintegrando fazendeiros que ocupam ilegalmente lotes em projetos de assentamento - uma das decisões favoreceu o fazendeiro Olavio Rocha que acumulava ilegalmente 19 lotes no Assentamento Rio Gelado, município de Novo Repartimento;

4.Decisões favorecendo fraudadores da SUDAM e grileiros de terras públicas na região de Anapú - em janeiro de 2004, o então juiz da vara federal de Marabá (que ainda responde pela vara na ausência do atual juiz titular), cassou mais de uma dezena de liminares que devolviam milhares de hectares de terras públicas na Gleba Bacajá ao INCRA. Tais terras tinham sido griladas por madeireiros e fraudadores da SUDAM, entre eles, Regivaldo Pereira Galvão e Vitalmiro Bastos de Moura, acusados de serem mandantes do assassinato da Missionária Dorothy Stang, crime que ocorreu meses após a decisão da justiça federal de Marabá. A decisão prejudicou também centenas de famílias que lutavam pela implantação dos PDS’s junto com Dorothy;

5.Decisão de requisitar o Exército para dar cumprimento a liminar em fazenda improdutiva ocupada por famílias sem terra e em processo de desapropriação pelo INCRA, no município de Marabá;

6.Deferimento imediato de Liminares em favor da VALE sem ouvir o MPF em ações de interdito e reintegrações de posse envolvendo movimentos sociais;

7.Concessão de liminares para vários fazendeiros da região impedindo o INCRA de realizar vistoria em fazendas parcialmente ocupadas, embora o Supremo Tribunal Federal já tenha decidido que nestes casos não há obstáculo para que o INCRA vistorie o imóvel;

8.Expedição de liminar de reintegração de posse em terra pública onde famílias estão assentadas há 5 anos – devido o INCRA não aceitar pagar, num processo de desapropriação, por uma área que descobriu ter sido grilada por um fazendeiro de Tucuruí, o juiz federal, arbitrariamente determinou o despejo de 112 famílias assentadas, no PA Reunidas, onde existem dezenas de casas construídas e estradas feitas, escola em funcionamento e as famílias produzindo.

9.De seis processos encontrados na Justiça Federal de Marabá onde a VALE responde por crime ou dano ambiental, em quatro deles não há sentença, sendo que um se encontra em fase de investigação pela Polícia Federal há mais de quatro anos. Em outro houve acordo para reparação pecuniária do dano e no último, uma Ação Civil Pública movida pela FUNAI e o Ministério Público Federal processando a VALE por dano ambiental, o juiz julgou improcedente o pedido favorecendo a VALE.

10.Mais de 30 lideranças dos movimentos sociais investigadas pela polícia federal ou com processos na Justiça Federal de Marabá.

As regiões sul e sudeste do Pará são conhecidas nacional e internacionalmente pelas graves violações dos direitos humanos no campo. São mais de 800 assassinatos de trabalhadores rurais, lideranças sindicais, advogados, religiosos e nenhum mandante cumprindo pena por estes crimes; são mais de 23 mil trabalhadores vítimas de trabalho escravo no Pará nos últimos dez anos, a maioria no sul e sudeste do Estado, área de abrangência da Justiça Federal de Marabá e apenas um fazendeiro condenado cumprindo pena; são centenas de fazendeiros e madeireiros, além da companhia VALE, que ao longo dos anos vêm cometendo crimes ambientais graves: destruindo reservas florestais, fraudando planos de manejo, assoreando rios, devastando a matas ciliares e contaminando nascentes, no entanto, não há informação de um fazendeiro ou madeireiro cumprindo pena por condenação na Justiça Federal de Marabá bem como não se tem conhecimento de nenhuma condenação sofrida pela VALE.

Se para punir os poderosos a Justiça Federal de Marabá parece não funcionar, para criminalizar e condenar defensores de direitos humanos ela tem sido bastante eficaz.

Marabá-PA, 24 de junho de 2008.

Comissão Pastoral da Terra – CPT - regional Pará,
Pastorais Sociais da Diocese de Marabá,
FETAGRI regional sudeste,
Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST,
Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB,
Sociedade de Defesa dos Direitos Humanos – SDDH,
Movimento dos Pequenos Agricultores - MPA,
Centro de Assessoria e Pesquisa – CEPASP,
Conselho Missionário Indigenista (CIMI) Norte 2,
Núcleo de Educação do Campo (NECAMPO)/UFPA,
Escola Familiar Agrícola de Marabá – EFA,
Fórum Regional Sudeste de Educação do Campo,
Fundação Agrária do Tocantins e Araguaia - FATA,
Laboratório Sócio Agronômico da Araguaia e Tocantins – LASAT,
COPSERVIÇOS
Mandato do Senador José Nery PSOL-PA

quinta-feira, 26 de junho de 2008

João!!

O João estava no Rio de Janeiro no inicio da decada de 90 quando Haroldo Bezerra trouxe de mala e cuia junto com sua Abaeté (empresa de publicidade) coordenar a campanha vitoriosa de 92 sob a oligarquia.

ASSIM NÃO VALE!!!

A "PODEROSA" QUERIA GANHAR NO GRITO, COMO FAZ COM TODOS OS SEUS PROJETOS AQUI NO PARÁ.

Correta e oportuna a decisão da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) que negou a licença ambiental para o projeto de construção de uma usina termelétrica, a carvão mineral, com o uso da que a Vale pretende construir em Barcarena, nordeste do Pará. O EIA/Rima foi considerado insuficiente e incompleto para assegurar as garantias socioambientais de uma obra sabidamente poluente e de enorme potencial sobre uma região que já sofre com as plantas industriais que foram instaladas nas últimas duas décadas.

Segundo recomendação do Ministério Público Estadual, que serviu de subsídio à análise técnica da Sema, sequer a Vale conseguiu ofereceu uma alternativa convincente ao tratamento gigantesca produção diária de resíduos que seriam depositados a céu aberto, além da emissão anual de 2,5 a 5 milhões de toneladas de carbono na atmosfera, em absoluta contramão do esforço mundial de combate ao efeito estufa.

Logo se vê que a gritaria de Roger Agnelli, sempre exigindo pressa na concessão das licenças para seus megaprojetos, tinha lá seus motivos. E a pressa nesses casos sempre será inversamente proporcional à preservação dos interesses coletivos.

Te cuida Roger que o MST vem ai de novo!!!

BOMBEIRA EM AÇÃO

A vinda da governadora Ana Julia Barbalho à Parauapebas nesta manhã, para inaugurar obras que não existem, ou obras qeu não tenham tanta relevância por ter caducado, veio apagar as ultimas cinzas deixadas pela longa batalha dos ultimos oito dias.

A militancia deixou o recadinho para ela, em 2010 vai ser diferente.

É DARCI E PRONTO!!!

MEMBROS DO DIRETÓRIO ESTADUAL DESEMBARCARAM EM PARAUAPEBAS ONTEM A NOITE E DERAM O RECADO DA MADRASTA.

Como ja se esperava os membros do Diretório Estadual passaram a noite de ontem em Parauapebas para dá o aviso da governadora. È Darci e pronto!!!. Calaram a voz dos descontentes e impuseram a candidatura de Darci Lermen a reeleição.

Wanterlor Obama Bandeira

Pelo memos uma coisa ficou evidente neste quiprocó todo, que o vereador Wanterlor Bandeira saiu fortalecido e mostrou que a atual administração se assemelha na arrogancia do poder como as demais.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

NERY CLASSIFICA SAÚDE DE BELÉM UM CAOS

DEU NO QUINTA

Em pronunciamento no plenário do Senado na tarde desta quarta-feira, 25, o senador José Nery (PSOL-PA) classificou de “repugnante” o argumento apresentado pela Secretaria de Saúde do Pará para justificar a morte de doze crianças num único final de semana.
“Não pode ser uma infeliz coincidência ou ser considerado normal por estar dentro da taxa aceita pela OMS. Isso é inadmissível”, disse o senador, afirmando que as mortes são conseqüência do gravíssimo quadro da saúde pública no Estado do Pará e, em especial em Belém, onde, segundo o senador, a situação está caótica.
Longe de se constituir em fato isolado, disse o senador, este último acontecimento se soma a uma série de escândalos administrativos e políticos que deixaram a saúde de Belém na UTI”, afirmou Nery, lembrando de uma série de fatos que fizeram a capital paraense destaque nacional entre as cidades com pior quadro na área da saúde. Um exemplo desse quadro foi a morte de um trabalhador em frente às câmeras de TV em um posto de saúde de Belém sem conseguir atendimento. As imagens foram mostradas para todo Brasil. O senador citou também a blitz feita por vereadores da cidade que revelou a existência de nove ambulâncias do SAMU prontas para entrarem em uso, “mas que por negligência e incompetência administrativa, se encontram estacionadas no pátio do SAMU há quase três meses”. “Enquanto isso a população padece com os serviços de remoção de urgência, pois as ambulâncias em circulação estão sucateadas e em péssimo estado de conservação.
O senador falou ainda dos sucessivos escândalos da administração, especialmente os vinculados a gestão municipal do atual prefeito Duciomar Costa, processado pelo Ministério Público Federal (MPF) por improbidade administrativa, sendo acusado de lesar os cofres públicos em R$ 1,6 milhões de reais, através de uma manobra que visava comprar as instalações do Hospital Sírio-Libanês por R$ 9 milhões em 2005.
Este processo do MPF se soma ao anterior, em que Duciomar é acusado de desviar cerca de R$ 1,4 milhões do Sistema Único de Saúde (SUS) para a compra ilegal de 36 motocicletas e 14 carros para a Guarda Municipal.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Senador José Nery

INDEFINIÇÃO

EM MARABÁ O QUADRO AINDA ESTAR INDEFINIDO.


Os provaveis candidatos a cada dia que passa blefam mais do apresentam proposta convincente a cidade. Ontem foi a vez do pre-candidato do PSB Sebastião Ferreira Neto (Ferreirinha) aparecer na Rede Tv para afirmar que sua candidatrua não é brincadeira.

Maurino (PR) acaba de anunciar que vai fazer a maior convenção de todos os tempos em Marabá, é domingo (29) no Ginasio da Fl 16.

Ítalo Ipojucam (PDT) começa a recuar.

João Salame (PPS) afirmou ao poster que é o candidato oficial de Tião "arrogante" Miranda e não tem pra ninguem.

o Médico Jorge Bichara (PV) já decidiu é candidatissimo a prefeitura e a vereadora Vanda Americo estar em apuros com essa idéia.

Asdrubal "tabagista" Bentes (PMDB)começa a ficar em cima do muro, em seu discurso durante a audiência pública realizada para discutir a duplicação da Rodovia Transamazonica,Asdrubal demostrou fraqueza e cansaço tudo efeito do cigarro.

A deputada Berandete (PT) vai ter que se explicar a justiça, os inúmeros processos que estão correndo contra ela enfraquece sua possivel candidatura.

E o PSOL que chegou a noticiar Tibirica como seu candidato, promete uma grande surpresa para sábado (29) durante sua convenção. Nada mais do qeu um nome preparado par ao debate e para provocar uma eleição mais de educação politica.

terça-feira, 24 de junho de 2008

ELEIÇÕES EM PARAUAPEBAS

Do blog de William Bayerl

Já em contagem regressiva para o prazo final de realizações das convenções, a situação se encontra mais ou menos assim:

BEL MESQUITA – Além do PMDB, conta também com PSC (Pastor Fenelon), PRTB (Devanir Martins), PTC (Marcel Nogueira) e PMN (Eli Areias).

DARCI LERMEN – Tem nem o PT, mas por outro lado consegue manter firmes e fortes ao seu lado: PCdoB (ciscou muito fora, mas acabou voltando para onde nunca deveria ter ensaiado uma saída), PSB (Dr. Melke, que queria sair, mas dizem que a ordem veio de cima), PSDC (João Fontana) e PP (Roque da DM).

VALMIR DA INTEGRAL – Conseguiu fechar questão dentro do PTB, que agora está unido. E já está praticamente fechado com DEM (Gesmar Costa), PRP (Beno), PRB (Irmãos Veras), PHS (Augusto Batata), PSL (Jover) e PR (Cláudio Almeida).

Nanicos com candidaturas próprias – PTdoB (Alessandro Spinelli), e PTN (Rui). Ainda indefinido: PSDB (Faisal Salmen).

Governistas flertando com outras forças – PDT (JB), PPS (Cláudio Feitosa) e PV (Raimundo Cabeludo).


Já o PSOL apresentará o nome do fisioterapeuta (Marden)com grandes possibilidades de mobilizar a juventude e os trabalhadores que stão sem referencia.

DESELEGÂNCIA

O Prefeito Sebastião "deselegante" Miranda Filho deu um show de autoritarismo na noite de ontem durante a audiência Pública promovida pelo mandato da deputada Bernadete PT para discutir os tres grandes projetos de infra-estrutura: Duplicação da Ponte e rodovia Transamazonica; Hidrovia Araguaia-Tocantins e Cais do Porto.

O evento ocorria com toda normalidade, mas de repnte ao perceber qeu o deputado Joao Salaem não havia sido convidado para compor a mesa o prefeito ficou tiririca da vida e ao pegar o microfone sem permissão, bradou "deputado Joao Salame vem para mesa por favor!!".

Como se não bastasse o prefeito convidado ainda reclamoou de ter sido chamado antecipadamente para falar. Deu uma lição no cerimonial e afirmou em bom tom que era o prefeito e que falava por ultimo.

AUTORITÁRIO

Tião Miranda pode até ter suas qualidades, mas agor de forma bruta e arrogante em meio a um aplateia de ouviontes de vários segmentos, não dá para entender a sua educação com o público e meuito menos com os promotores do evento.

O prefeito tinha apenas sido convidado, asism como os demais para assistir a apresentação do DNIT sobre os projetos do governo federal em parceria com o municipio.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

RÁDIOS NAS MÃOS DE QUEM?

O Deputado Federal do PMDB do PA Wladimir Costa (Wlad) acaba de abocanhar mais seis concessões de rádio pelo interior do parazão. Tá feliz!!!

Enquanto isso o governo LULA o mesmo que dá concessão a politicos corruptores e fecha milhares de Radios Comunitárias por todo o Brasil, não libera a concessão da RADIO FM ALTERNATIVA DE MARABÁ que entrou com o pedido e toda documentação desde 1999.

Vá entender!!!

Aliás quem conhece esse governo e sua corja sabe muito bem o porque!

MANIFESTO À NAÇÃO

CONTRA O TRABALHO ESCRAVO E PELA APROVAÇÃO DA PEC 438/2001


As entidades abaixo-assinadas, representantes dos mais diversos segmentos sociais e políticos que lutam contra a existência e a prática do trabalho escravo no Brasil, vêm a público externar seu posicionamento de repúdio contra todos os segmentos ainda capazes de praticar e acobertar tais práticas, tanto no meio rural quanto no meio urbano; ao mesmo tempo, exige do parlamento brasileiro a imediata aprovação da Proposta de Emenda à Constituição – PEC Nº 438, de 2001, que visa expropriar terras onde for constatada a exploração do trabalho escravo.


A aprovação da PEC 438/2001 é absolutamente imprescindível para que o Poder Legislativo brasileiro contribua efetivamente para a erradicação dessa chaga social, que, em pleno século XXI, ainda persiste em vários estados e regiões de nosso país, tirando a dignidade de tantos trabalhadores e ainda contribuindo para reforçar uma imagem negativa do Brasil na comunidade internacional.


A Constituição brasileira garante que toda propriedade rural deve cumprir sua função social. Não pode e não deve ser utilizada como instrumento de opressão ou submissão de qualquer pessoa. Infelizmente, o que ainda se vê, principalmente nas regiões de fronteira agrícola, são trabalhadores reduzidos à condição de escravos, privados de seus mais elementares direitos como seres humanos.


Escravidão é violação dos direitos humanos e a sua utilização deve ser tratada como crime. Se um proprietário de terras realiza essa prática, ele deve perdê-la, sem direito a nenhuma indenização. Essa medida pune aqueles que roubam a dignidade e a liberdade das pessoas.


É hora de abolir de vez essas práticas criminosas contra os trabalhadores. No ano em que se completam 120 anos da abolição da escravatura, os Senhores e as Senhoras Congressistas podem modificar a história de nosso país, garantindo liberdade e dignidade ao trabalhador brasileiro, votando contra o trabalho escravo e favoravelmente à PEC 438/2001 que garantirá a EXPROPRIAÇÃO DE TERRAS ONDE COMPROVADAMENTE FOR FLAGRADA A EXISTÊNCIA DE MÃO-DE-OBRA ESCRAVA.



Brasília, 21 de maio de 2008


ENTIDADES:


Subcomissão de Combate ao Trabalho Escravo no Senado Federal
Subcomissão de Combate ao Trabalho Escravo, Degradante e Infantil na Câmara dos Deputados
Secretaria Especial de Direitos Humanos
Ministério Público do Trabalho
Procuradoria Geral do Trabalho
Secretaria de Inspeção do Trabalho – Ministério do Trabalho e Emprego
CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil
CPT - Comissão Pastoral da Terra
OIT – Organização Internacional do Trabalho
Fórum Nacional da Reforma Agrária
CONTAG – Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura
MST – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra
FETRAF – Federação dos Trabalhadores
CRS - Catholic Relief Services / Brasil
COETRAE/MA – Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo / Maranhão
COETRA/PA - Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo / Pará
COETRAE/TO Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo / Tocantins
CDVDH – Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos de Açailândia/MA
ONG Repórter Brasil
SINAIT - Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho
ANAMATRA – Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho
ANPT – Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho
ANPR – Associação Nacional dos Procuradores da República
AMB – Associação dos Magistrados Brasileiros
AJUFE – Associação dos Juízes Federais
OAB – Ordem dos Advogados do Brasil
ABRA- Associação Brasileira de Reforma Agrária
Movimento Humanos Direitos - MHuD
CEJIL – Centro Pela Justiça e o Direito Internacional
Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social
ONG Atletas pela Cidadania
SDDH - Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos
UGT – União Geral dos Trabalhadores
CSP – Central Sindical de Profissionais
CUT – Central Única dos Trabalhadores
CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil
NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores
CONLUTAS/ ANDES
INTERSINDICAL
CGTB – Central Geral Dos Trabalhadores Do Brasil
INSTITUTO ARAGUAIA- Instituto Araguaia de Educação e Cultura Popular

ELEIÇÕES 2008: MARABÁ

VEREADOR DO PSB AFIRMA QUE NÃO QUER ALIANÇA COM PT

O vereador Elton Marmoré afirmou para este poster que se arrependeu de ter votado em Ana Julia e que seu partido não se aliará ao PT de Marabá.

O PSB segundo Mamoré nutre uma esperança de fazer uma composição com o PDT caso este lançe o Ìtalo para prefeitura.


ÍTALO E FERREIRINHA?? SERÁ???

Heloisa Helena disputará cargo de vereadora em Maceió

Dona de mais de 6,5 milhões de votos na eleição presidencial, a presidente do PSOL, ex-senadora Heloísa Helena (AL), "recomeçará" a carreira política aos 46 anos, fazendo campanha nas ruas de Maceió para se eleger vereadora. O partido oficializará sua indicação na convenção marcada para quinta-feira.
A ex-senadora diz que na campanha não poupará os adversários de Brasília e Alagoas "envolvidos em balcões de negociata, banditismo, organizações políticas criminosas e vigarice política". Segundo ela, a reação do outro lado será igualmente violenta para impedi-la de chegar à Câmara de Vereadores. "Sei que vou enfrentar dificuldades. O que eu tenho é a fé em Deus e a esperança que o meu anjo da guarda me protegerá suficientemente", disse Heoisa.

domingo, 22 de junho de 2008

ELEIÇÕES EM MARABÁ

NOS BASTIDORES

O show de Nilson Chaves na noite deste sabado, em Marabá, reuniu todo o PIB político local, à exceção do Maurino Magalhães, do PR, professor Ribamar, do PSOL e do Deputado Asdrubal "Salinas" Bentes, do PMDB.
Bernadete ten Caten (PT), João Salame (PPS), Ítalo Ipojucan (PDT) , Jorge Bichara (PV), e até o Eterno Tião Miranda, prefeito do município, estavam na platéia.

Risos e abraços os candidatos se tocavam a toda hora, com carinho e afeto e o desejo rançoso pelo apoio inadiável do prefeito Asfalto Miranda.

ELEIÇÕES EM PARAUAPEBAS

Militantes do PT aplicaram uma surra no prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, da Democracia Socialista, derrotado nas prévias por 17 votos a 10 pelo vereador Wanterlor Bandeira, tem duas versões, de acordo com que apurou o blog QUINTA EMENDA em Parauapebas.

O prefeito diz que a candidatura de Wanterlor nada mais é do que a tentativa de barganhar melhores condições para a ação política do edil, e que o candidato é ele, Darci, a ser ungido na convenção do final do mês. Diz que a convenção é que vale, com a licença do trocadilho com o pessoal lá da Serra dos Carajás, que olha os dois e não gosta de nenhum.

Wanterlor rebate, e afirma que percebeu um vácuo de liderança no partido, aberto pelo prefeito que preferiu se aliar à setores de fora da legenda, que há casos de corrupção na gestão - embora não responsabilize diretamente o prefeito - e que ganhou a indicação do PT parauapebense como emblema do resgate das tradições de luta do PT no município.


O imbroglio vai à convenção. Até lá, um chamuscado Darci vai tentar colar os cacos da legenda na capital do minério. Vai precisar de uma ajudinha extra da madrasta Ana Julia "Salmem".

quinta-feira, 19 de junho de 2008

FAX

Fracasso Agropecuaria de Xinguara

Isso mesmo a Feira Agropecuaria de Xinguara é um fracasso total, pouco público nas noites e estandes com pouca visibilidade. Segundo os frequentadores assiduos deste espaço do latifundio, a feira a cada ano que passa perde seu "brilho", se é que brilha!

Como consequência do dramático caos criado pelo segmento que mais dizimou vidas na década de 80 na região sul do pará.

PS: Gessé???

quarta-feira, 18 de junho de 2008

SUCESSÃO DO TIÃO ETERNO MIRANDA

SALAME (PPS) OU ITALO IPOJUCAN (PDT)

Dizem que Asdrubal e Maurino já estão fora da disputa do seu apoio. Sobra ainda uma rebarba para Jorge Bichara (PV, que seria um novo nome para testar a popularidade de Tião "Asfalto " Miranda.

Do outro lado, Bernadete (PT) a todo custo costurando apoio e seduzindo os prés Maurino, Ítalo e Asdrubal para uma aliança que contaria com o apoio da madrasta Ana Julia Jatobá.

Dos vinte anos que acompanho o processo eleitoral essa é uma eleição emblemática, não tem mais o dualismo Mutran X Bezerra, ou Mutran contra todos, mais tem a experiência de todos os candidatos com excessão o do PSOL de estarem juntos em busca de aliança entre si para garantir seus interesses particulares.

Uma homenagem a Benedicto Monteiro

Senhor presidente,

Senhoras senadora,

Senhores senadores,




Ocupo esta tribuna para fazer uma homenagem a um ilustre brasileiro que sai do nosso convívio para compor o encantamento do universo.

O tempo é de réquiem (da expressão em latim requiem aeternam dona eis - “dai-lhes o repouso eterno”), porque no último 15 de junho, o Pará e o Brasil perderam Benedito Monteiro, o Bené dos paraenses.

Paradoxalmente, é também momento de celebração da vida que se imortaliza em sua obra e exemplo.Benedito Monteiro buscou a plenitude do seu tempo, fazendo escolhas que o tornaram um homem ímpar frente às circunstâncias desafiadoras, sempre se postando em defesa do povo.

Para repassá-lo ao Brasil, recorro às palavras do jornalista Mário Drumond (revista Caros Amigos, nov/2006) que assim o descreveu: “Homem do povo, getulista histórico, amigo de Jango, Brizola e Ribeiro, deputado estadual do Pará, cassado, caçado e preso em 1964, anistiado e eleito duas vezes deputado federal, procurador-geral e secretário de Estado do Pará, o escritor nascido e criado às margens do Amazonas, renovou a literatura, a poesia, a música e a filosofia de seu povo. Autor de romances, poemas, músicas e muitos livros publicados, entre os quais a sua tetralogia amazônica que imortaliza o personagem Miguel, o mestiço que a pena de Benedito fez ícone da nacionalidade, elevando-o à galeria maior da nossa representação literária, onde já figuram o sertanejo de Euclides da Cunha, o jeca de Monteiro Lobato e o gaúcho cantado nos ditirambos dos pampas”.

Benedito Wilfredo Monteiro nasceu em Alenquer-Pará, em 1º de março de 1924, tranferindo-se mais tarde para Belém, onde diplomou-se como bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito.

Foi eleito deputado estadual para dois mandatos. Em 1964, já em seu segundo mandato, sob alegação de subversão, foi cassado, preso, torturado, marginalizado e teve seus direitos políticos suspensos por 10 anos. Quando saiu da prisão, dedicou-se ao exercício da advocacia agrária e à literatura, tendo publicado o livro intitulado Direito Agrário e Processo Fundiário.

Com a redemocratização do País, elegeu-se deputado federal em 1982 e reelegeu-se para a Assembléia Nacional Constituinte.

Em várias ocasiões demonstrou seu inconformismo com o fato de a Amazônia ser vista pelas elites nacionais e mundiais, apenas como um depósito de riquezas estratégicas, exemplificando que todo ferro de Carajás é exportado e que o alumínio produzido no Pará é dos japoneses. Afirmava também, que a única solução possível para o Brasil, começaria por uma reforma agrária.

Certa feita afirmou: “Quando escrevo faço o exercício da minha mais íntima liberdade”. Ao sair da prisão em 1964, pretendia escrever um grande romance sobre a Amazônia e o povo amazônida. Dessa vontade, surgiu a Tetralogia Amazônia: Verde Vagomundo, o Minossauro, A Terceira Margem e Aquele Um; além dos livros Carro dos Milagres, Cancioneiro do Dalcídio, Como se faz um Guerrilheiro, Maria de Todos os Rios e outros, todos publicados por editoras do Rio de Janeiro e São Paulo. Seus livros têm sido objeto de estudos nas universidades brasileiras, e ainda em universidades da França e Alemanha. Recentemente “Maria de Todos os Rios”, foi publicado na Holanda.


Senhoras e senhores senadores,

Faço esta homenagem até como um desagravo ao meu Estado e à Amazônia, tão castigados pelas mazelas impostas por um sistema político e econômico que privilegia sempre interesses alheios às necessidades mais sentidas de seu povo. Refiro-me ao modelo de desenvolvimento predatório imposto historicamente à Amazônia que está na raiz dos graves desequilíbrios sócio-ambientais que nosso país atravessa.

Não é por menos que sempre atualizo a crítica aos planos governamentais para a Amazônia, neste momento o PAC, porque no cerne, não descartam o aprofundamento da devastação e da miséria social, traduzidos em devastação de florestas, saque de riquezas naturais, prejuízos irreparáveis para os povos indígenas, comunidades tradicionais e maiorias urbanas.

Para finalizar esta homenagem a um amazônida abnegado que acreditava em seu povo, transcrevo as palavras de seu personagem-ícone, Miguel, em Verde Vagomundo, por que através de sua obra ficcional, Bené fazia um manifesto ecológico, ao tratar o homem como parte da natureza e não como perigo para essa mesma natureza : “ Nego as mortes e renego as mortes, todas as mortes. As mortes de ficar calado, as mortes de ver a água correr, as mortes de ver o rio sempre passar, as mortes gerais dos homens que envelhecem. E nego e renego as mortes. Eu só afirmo a vida. As minhas afirmativas, só são de bem-querer, de bem-viver e de bem-lutar (...)”.





Plenário do Senado Federal, 17 de junho de 2008




Senador JOSÉ NERY

PSOL - PA

SENADOR NERY NO AR

Está no ar o novo site do senador José Nery (PSOL) que voce pode acessar no a http://www.josenery.com.br

CANA X ETANOL

O resultado está na força do trabalhador

Pesquisadores da Unimep divulgaram dados prévios de um estudo sobre o corte manual da cana no interior paulista. Pela primeira vez se conduziu um estudo empírico sobre a ergonomia no trabalho do cortador. Em apenas 10 minutos esse trabalhador corta 400 Kg de cana, realiza 131 golpes de facão e flexiona o tronco 138 vezes. A extenuante jornada não conta com repouso e tenta garantir a sobrevivência das famílias dos cortadores.

“A conclusão que chegamos é que a condição física de um cortador de cana se assemelha a de um maratonista. Seus músculos são franzinos, mas sua resistência é elevada”, afirma Erivelton Fontana de Laat, coordenador da pesquisa. O estudo também aponta que muitos dos problemas de saúde que acometem esses trabalhadores são os mesmos a que estão sujeitos atletas de alto desempenho. Mas sob quais condições?
O principal fator de risco no corte da cana, de acordo com dados do estudo piloto realizado em maio, é a sobrecarga na atividade cardiorrespiratória do trabalhador.

Através do uso de uma metodologia que levou em consideração aspectos como a freqüência cardíaca (em repouso, média e máxima), idade e produção diária em toneladas, Laat descobriu que seis dos dez trabalhadores analisados ultrapassaram o limite cardiorrespiratório tolerável à saúde. Alguns chegaram a picos de mais de 180 batimentos cardíacos por minuto. “O que acontece nos canaviais é semelhante a um atleta que ultrapassa o seu limite de treino. Ao invés de correr cinco quilômetros, ele tenta percorrer a distância de uma maratona todos os dias”, diz Laat.
Os resultados foram apresentados a procuradores do Ministério Público e do Ministério do Trabalho no seminário “Condições de trabalho no plantio e corte de cana”, que ocorreu no final de abril, em Campinas.

ATÉ TÚ DARCI!!!!

CHEGA DE CORRUPÇÃO!!!

OLHA SO O WILLIAM BAIER DENUNCIANDO:

Empresas de fora do Estado são contratadas para fornecer alimentação

Há fortes indícios de que a 'máfia da merenda escolar', um grupo de empresas acusadas de fraudar licitações e superfaturar a comida das crianças, já está operando no Pará. Uma dessas empresas, a Geraldo J. Coan & Cia Ltda. venceu licitação da Prefeitura de Parauapebas, no sudeste paraense, para o preparo da merenda, nas 30 escolas e creches municipais. E, à semelhança de outros municípios brasileiros onde foi detectada a ação do grupo, também em Parauapebas os gastos com a merenda explodiram: o aumento foi de 300%, no espaço de um ano. No mesmo período, o crescimento do alunado ficou em apenas 10%.

No início de 2005, os gastos com a merenda escolar giravam em torno de R$ 2 milhões anuais. Mas, em 2006, o prefeito Darci Lermen (PT) resolveu terceirizar o serviço e o custo saltou para R$ 6,6 milhões por ano. Pior: o contrato de terceirização é um verdadeiro 'negócio da China' para a Coan. Ele permite que a empresa utilize as instalações, os eletrodomésticos, utensílios e até os servidores da prefeitura para o preparo e distribuição da merenda. Em uma das escolas visitadas pela reportagem, apenas uma das sete merendeiras pertencia à empresa.

A reportagem também obteve cópias dos contratos de aquisição dos gêneros alimentícios da merenda escolar, em janeiro de 2006. Os sete contratos têm a duração de 90 dias e somam R$ 648.119,89 – o que, projetado para um ano, daria quase R$ 2,6 milhões. Isso quer dizer que, dos R$ 6,6 milhões recebidos anualmente pela empresa, cerca de R$ 4 milhões seriam apenas para preparar, distribuir e 'supervisionar' a merenda – apesar do uso de toda a estrutura da prefeitura, aí incluída a água e a luz das escolas.

Com um custo global superior a R$ 13,3 milhões, para dois anos, o contrato entre a Prefeitura de Parauapebas e a Coan foi assinado em 15 de fevereiro de 2006 e se encontra em fase de aditamento. 'O Geraldo Coan esteve aqui na cidade, em março ou abril, para tratar disso com a Secretaria Municipal de Educação', informa Magda Silva, do Conselho da Merenda Escolar. Não se sabe se o aditamento de prazo resultará em elevação do preço – embora seja provável que isso ocorra. De qualquer forma, a previsão orçamentária da prefeitura é gastar mais de R$ 8,2 milhões neste ano com a merenda escolar.


AUMENTO


Um reajuste de preços tão formidável quanto o da merenda escolar de Parauapebas só seria justificável por dois motivos. O primeiro, a explosão do número de estudantes. Mas isso não aconteceu: os alunos do ensino fundamental, que são os beneficiários da merenda, eram cerca de 27 mil, em 2005, e chegaram a 29 mil, no ano passado, conforme dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Neste ano, devem totalizar 30 mil. Em qualquer caso, o incremento ficou em torno de 10%.

O segundo motivo seria uma verdadeira revolução no cardápio da merenda, com a substituição do jabá por filé mignon, por exemplo. Diretoras de escolas municipais garantem que o cardápio melhorou bastante, após a terceirização, em termos de qualidade e variedade dos produtos. Mas, embora relutantes, até elas admitem que as melhorias se resumiram basicamente à introdução de mais frutas e verduras nas refeições – coisa que qualquer dona-de-casa sabe que não custa tanto assim. Além disso, essa 'melhoria' não é consenso entre os principais interessados: os meninos e meninas das escolas de Parauapebas. 'A gente não come a merenda, porque às vezes faz mal. Tem vez que dá dor de barriga', conta Larissa, de 7 anos, que estuda, junto com a irmã, na Escola 'Paulo Fontelles'. Ambas têm de comprar merenda para não ficar com fome. 'Eu compro', afirma, também, Vitória, de 7 anos, ao explicar que não se serve da merenda escolar 'porque é ruim'.

Empresa que atua no Estado é denunciada por irregularidades em Minas

Para três promotores e procuradores públicos ouvidos pela reportagem, o uso de servidores públicos pela Coan configura claramente improbidade administrativa. 'Não tem o menor sentido' - disse um deles - 'os funcionários, com certeza, ela não poderia usar, porque é improbidade. Já o uso dos utensílios deveria resultar, no mínimo, em um abatimento no preço do serviço. Mas, se ela usa a estrutura e o preço triplicou, isso fere o princípio da economicidade'. Outro observa: 'É improbidade. E pode até configurar outros crimes, como peculato'.

Mas, apesar do espanto de promotores e procuradores, o fato é que tais práticas se repetem em outros municípios brasileiros, onde Ministério Público e o Tribunal de Contas da União (TCU) tentam desbaratar a chamada 'máfia da merenda escolar'. Em setembro do ano passado, o jornal Estado de Minas publicou uma série de reportagens sobre irregularidades praticadas por duas dessas empresas – uma delas, a Geraldo J. Coan. As denúncias incluem superfaturamento, fraudes em licitações e uso de funcionários, instalações e utensílios das prefeituras.

Também nas cidades mineiras, houve aumento substancial nos gastos com a merenda – até acima de 500% - transformando a terceirização num negócio milionário. E, da mesma forma que em Parauapebas, tais aumentos foram incompatíveis com as mudanças do serviço; derivaram, antes, do incremento do custo unitário da refeição. Em Parauapebas, o prato da merenda, que custava, em média, R$ 0,40, em 2004, saltou, após a terceirização, para R$ 1,25 – mesmo que se trate de pão com manteiga com um copo de suco.

Mais revelador é que os termos dos contratos da Coan com as prefeituras mineiras parecem idênticos aos do contrato com a Prefeitura de Parauapebas. Em ambos os casos, a empresa deve treinar, qualificar e uniformizar as pessoas que trabalham no preparo e confecção da merenda, disponibilizando, também, pessoal em número suficiente – embora possa usar a estrutura e os servidores municipais.

A Geraldo J. Coan, com sede na cidade de Tietê, em São Paulo, também é investigada pelo TCU, junto com outras três empresas (Vital Alimentação, Nutriplus e Sistal) por suspeita de superfaturar a merenda em Campinas (SP). O que levantou a suspeita do tribunal foi uma redução linear de 40% nos preços da merenda, negociada com a prefeitura entre os anos de 2000 e 2001, sem que houvesse queda de qualidade ou de quantidade dos alimentos.

Em São Paulo, a Folha publicou denúncia de que empresas da 'máfia' pagam bônus às merendeiras para aguar a comida e cortar os alimentos em pedaços bem pequenos para aumentar os lucros. Segundo a reportagem, até a maçã é dividida ao meio. Em setembro do ano passado, repórteres do Jornal da Globo flagraram um acerto entre uma prefeitura e uma dessas empresas para fraudar a merenda. De acordo com a denúncia, cinco ou seis empresas do setor 'lotearam' o país e, muitas vezes, 'encomendam' licitações às prefeituras, com editais preparados pela própria quadrilha. Segundo a reportagem, há fraudes sob investigação em São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, entre outros Estados.

Prefeito destaca melhorias

O prefeito de Parauapebas, Darci Lermen (PT), negou qualquer denúncia sobre superfaturamento na merenda escolar municipal. Segundo ele, o aumento do custo com a merenda escolar deve-se ao fato de que todo ano aumenta consideravelmente o número de alunos matriculados na rede municipal, num percentual que varia entre 30% e 40% do número de alunos.

Lermen garantiu ainda que, com a terceirização da merenda, os alunos puderam contar com uma alimentação mais balanceada e de qualidade. 'Antes, eram só umas bolachinhas. Hoje, melhorou muito. E o município também entra com recursos próprios', ressaltou Lermen, que, no momento, não dispunha de números para contestar as denúncias de que a 'máfia da merenda' teria se instalado em Parauapebas. 'Nós, de nossa parte, não praticamos superfaturamento, ainda mais que a empresa compra tudo na cidade mesmo', observou.

O prefeito disse ainda desconhecer se a empresa contratada utiliza mão-de-obra de servidores do município na manipulação e elaboração da merenda, mas disse que procuraria se informar sobre o assunto. Darci Lermen prometeu reunir números mais detalhados sobre o contrato da merenda

terça-feira, 17 de junho de 2008

PIOR NA FOTO: Madrasta do Pará tem avaliação negativa.

PESQUISA REVELA OS PIORES GOVERNADORES DO BRASIL

Para que desejar ver os melhores e piores aqui vai o endereço na internet:
http://www.band.com.br/conteudo.asp?ID=88669#

Acredite: A madrasta do Pará Ana Julia Jatobá é uma delas!!


Quem tiver medo de entrar no endereço acima, pensando que vou inocular virus, tem uma outra opção: digite no google as seguintes três palavras:piores melhores governadores; tecle em pesquisar e o primeiro site da pesquisa é o da Band.

ELEIÇÕES 2008

E quem é o candidato de TIÃO "Eterno" Miranda??

Até agora o moço não colocou o nome pra fora, também em uma eleição com tantos pretensos querendo seu apoio não se pode dar o luxo para apoiar qualuqer um.

Na duvida fica para o dia 30 de junho prazo final para os partidos em convenções indicar seus candidatos.

Uma coisa é certa o PSOL não deseja apoio de Tião e vai marchar com o povo rumo a vitória.

ELEIÇÕES 2008

Em Marabá

Maurino Magalhães segue absoluto (????)

PELO MENOS EM PESQUISA DIVULGADA NO FINAL DE MARÇO

Até aqui, pelo menos, Maurino Magalhães (PR) lidera absoluto a disputa pela prefeitura de Marabá, com 46% das intenções de voto, segundo pesquisa encomendada pelo PT, a cujo resultado teve acesso uma fonte com trânsito privilegiado nos bastidores do partido. O seu mais próximo adversário é o ex-prefeito Asdrúbal Bentes (PMDB), com 20% das intenções de voto.
Os demais candidatos, hoje, estão a uma distância abissal de Maurino Magalhães e Asdrúbal Bentes. A deputada estadual Bernadete Ten Caten (PT) tem 8% das intenções de voto; o deputado estadual João Salame (PPS), tem 6%; e Ítalo Ipojucan Araújo Costa (PDT), atual vice-prefeito, tem 2
%.blog do Barata

ELEIÇÕES 2008

EM BELÉM

PESQUISA VOX POPULI APRESENTA EDMILSON RODRIGUES PSOL EM 1º LUGAR


Pesquisa divulgada domingo pela Folha Sombrancelhuda aponta os prefeitaveis:

Edmilson Rodrigues PSOL.........29%
Duciomar Costa PTB..............21%
Valeria Pires Franco DEM........15%
José Priante PMDB...............08%
Mário Cardoso PT................05%
Paulo Chaves PSDB...............02%

PSOL larga na frente na capital, resta saber se Edmilson topa a parada!

quinta-feira, 5 de junho de 2008

FORÇA RIBAMAR!!!!

Força Ribamar, o Pai!


Tua coragem e exemplo,
Sua dedicação e amor aos filhos,
Seu desejo e sua força de vontade,
Tudo feito com muito esforço.

força Ribamar

Sebastião Curió é condenado pelo TCU

No Blog do Waldir

O Tribunal de Contas da União (TCU) condenou o município de Curionópolis e o ex-prefeito Sebastião Curió Rodrigues de Moura (foto) a pagar R$ 1.741.671,25, em valor atualizado, por uso irregular do dinheiro repassado para a cidade pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério (Fundef).

Segundo a apuração do TCU, os recursos foram utilizados em atividades diferentes das do Fundef, financiando aquisições de combustível, hospedagem, alimentação, compra de computadores, contratação irregular de serviços de informática, conserto de geladeiras e bebedouros.

O ex-prefeito também terá que devolver mais R$ 242.054,62, valor atualizado, ao Fundef, e pagar multa de R$ 32.885,68. O prazo para o pagamento é de 15 dias. Cabe recurso da decisão.

Parlamentares sob investigação

No blog Espaço Aberto.

O site Congresso em Foco fez um levantamento, em todos os Estados do País, de parlamentares com assento no Congresso Nacional que estão sob investigação.
Para ler a matéria completa, clique aqui.
Para ler as explicações dos parlamentares, clique aqui.
Abaixo, os congressistas paraenses com pendências judiciais:

------------------------------------

1) Asdrúbal Bentes (PMDB-PA) – pré-candidato à prefeitura de Marabá (PA)
Foi prefeito de Salinópolis (PA) entre 1983 e 1985.
Ação Penal 481 – Captação ilícita de votos ou corrupção eleitoral. Estelionato e formação de quadrilha ou bando.

2) Giovanni Queiroz (PDT-PA)
Ação Penal 476 – Crime contra o direito tributário.

3) Jader Barbalho (PMDB-PA)
Ação Penal 339 – Crime contra o sistema financeiro nacional. Evasão de divisas.
Ação Penal 397 – Crime contra a fé pública, falsidade ideológica, corrupção, formação de quadrilha, estelionato e lavagem de dinheiro.
Ação Penal 398 – Crime contra a administração pública. Peculato.
Ação Penal 374 – Crime contra a administração pública.
Inquérito 2051 – Crime contra a administração pública.
Inquérito 2052 – Crime contra a administração pública. Peculato.

4) Lira Maia (DEM-PA)
Ação Penal 484 – Crimes de responsabilidade.
Inquérito 2578 – Crime contra a administração pública.
Inquérito 2630 – Crimes de responsabilidade.
Inquérito 2632 – Crimes de responsabilidade.
Inquérito 2685 – Crimes de responsabilidade.

5) Paulo Rocha (PT-PA)
Ação Penal 470 – Convertido em réu pelo STF na denúncia contra os 40 acusados no caso mensalão, Paulo Rocha responde a processo por lavagem de dinheiro.

6) Wladimir Costa (PMDB-PA) – pré-candidato à prefeitura de Barcarena (PA)
Ação Penal 415 – Crime de imprensa, injúria e difamação.
Ação Penal 474 – Crime de imprensa, calúnia, injúria e difamação.
Açao Penal 386 – Crime de imprensa, calúnia, injúria e difamação.

7) Flexa Ribeiro (PSDB-PA)
Inquérito 2266 – Natureza não informada.

8) Mário Couto (PSDB-PA)
Ação Penal 440 – Crime eleitoral.
Inquérito 2539 – Crime eleitoral.

-------

Vale a pena ler os links, da matéria e das explicações dos parlamentares, isto é, daqueles que se manifestaram.
São, todas, patéticas.