quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Ausente

Desculpas aos nossos milhares d eleitors por passar alguns dias ausente.
Estaremos de volta com toda força e coragem nos próximos dias.

Riba

domingo, 17 de fevereiro de 2008

UM OUTRO MUNDO É POSSIVEL

O Instituto Araguaia de Educação e Cultura Popular e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xinguara convidam a todos para participar do I Fórum Regional de Movimentos Sociais a ocorrer nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro/2008, em Xinguara.
I Fórum Regional de Movimentos Sociais tem por objetivo debater o atual modelo de desenvolvimento da Amazônia do Sul e Sudeste do Pará e seus impactos, visando construir diretrizes e ações estratégicas de um novo modelo, bem como eleger uma coordenação para organizar o Fórum Social Regional da Amazônia do Sul e Sudeste do Pará no mês de junho/2008 e orientar os movimentos quanto a organização de Oficinas Temáticas que serão desenvolvidas no Fórum Social Mundial – FSM a ocorrer em janeiro/2009, em Belém do Pará.

O Fórum Social Mundial – FSM é um espaço de debate democrático de idéias, aprofundamento da reflexão, formulação de propostas, troca de experiências e articulação de movimentos sociais, redes, ONG's e outras organizações da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo. Após o primeiro encontro mundial, realizado em 2001, se configurou como um processo mundial permanente de busca e construção de alternativas às políticas neoliberais.

O Fórum Social Mundial se caracteriza também pela pluralidade e pela diversidade, tendo um caráter não confessional, não governamental e não partidário. Ele se propõe a facilitar a articulação, de forma descentralizada e em rede, de entidades e movimentos engajados em ações concretas, do nível local ao internacional, pela construção de um outro mundo, mas não pretende ser uma instância representativa da sociedade civil mundial. O Fórum Social Mundial – FSM não é uma entidade nem uma organização.

Considerando a importância e a dimensão do I Fórum Regional de Movimentos Sociais para a Amazônia do Sul e Sudeste do Pará, aguardamos representantes dessa organização e/ ou movimento (cultural, esportista, estudantil, sindical, popular, rádios comunitária, meninos e meninas de rua, barragens, sem terras, sem teto, catadores e recicladores de lixo, economia popular e solidária, indígenas, negros e negras, homossexuais, mulheres, moto-taxistas e tantos outros).

Informamos aos participantes que não tiverem condições de se hospedar em hotel que a Coordenação do evento colocará escolas a disposição. O Almoço será no local e o investimento da participação é de R$ 10,00 (dez reais) por pessoa.




Coordenação do Fórum Social Regional/ FSM


PROGRAMAÇÃO DO I FÓRUM SOCIAL REGIONAL DE MOVIMENTOS SOCIAIS



DIA 22/02 – 19h00


1- Abertura Oficial


Dia 23 – Manhã


1- Palestra e debates sobre conjuntura nacional e internacional


Tarde


2- Discussões em Grupos sobre o atual Modelo de Desenvolvimento da Amazônia do Sul e Sudeste do Pará, seus impactos visando construir diretrizes e ações estratégicas de um novo modelo


Dia 24 – Manhã


1- Socialização dos debates em grupo


Tarde


Encaminhamentos


Eleição da Coordenação Regional

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Eleição 2008: Eleitores analfabetos continuarão elegendo "tiãos" da vida

Baixa escolaridade atinge mais de 50% dos eleitores brasileiros


Do total de 127,4 milhões de eleitores brasileiros, 51,5% têm baixa
escolaridade: eles não completaram o primeiro grau ou sabem apenas ler e
escrever. O quadro é ainda mais dramático quando somados os 6,46% de
eleitores analfabetos em todo o País. Estes dados, divulgados nesta
quarta-feira (16), são do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), relativos ao
ano de 2007.

Segundo o TSE, o Nordeste, sozinho, tem 4,2 milhões de eleitores
analfabetos, número maior que a soma de 4 milhões de todas as demais regiões
do Brasil.

Enquanto o percentual de eleitores analfabetos é de 3,51% e 3,84% nas
regiões Sul e Sudeste, respectivamente, os Estados da região Norte e
Nordeste registram 8,74% e 12,22% de analfabetos em seu eleitorado. Na
região Centro-Oeste, os iletrados somavam 4,76% no final do ano passado.

Nível superior
O relatório mostra que apenas 3,43% dos eleitorado têm nível superior
completo. Esse índice é de 3,8% e 4,4% nas regiões Sul e Sudeste, mas de
apenas 1,73% e 1,79% no Norte e Nordeste. O Centro-Oeste registra 3,64% de
eleitores com nível superior.

Os dados mostram ainda que no Norte e Nordeste a baixa escolaridade atinge
quase 58% dos votantes. Quando somados com os analfabetos, 70% dos 34,3
milhões de eleitores nordestinos não conseguiram completar o primeiro grau.
No Norte, esse percentual era de 20,47% e 37,05%. No Centro-Oeste, a baixa
escolaridade está entre 52% do eleitorado.

UOL - Educação

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

A CRUEL REALIDADE VIRTUAL

Entrei apressado e com muita fome no restaurante.


Escolhi uma mesa bem afastada do movimento, pois queria aproveitar os poucos minutos de que dispunha naquele dia atribulado para comer e consertar alguns bugs de programação de um sistema que estava desenvolvendo, além de planejar minha viagem de férias, que há tempos não sei o que são.


Pedi um filé de salmão com alcaparras na manteiga,uma salada e um suco de laranja, pois afinal de contas fome é fome, mas regime é regime, né? Abri meu notebook e levei um susto com aquela voz baixinha atrás de mim:

-Tio, dá um trocado?
- Não tenho, menino.
- Só uma moedinha para comprar um pão.
- Está bem, compro um para você.
Para variar, minha caixa de entrada estava lotada de e-mails. Fico distraído vendo poesias, as formatações lindas, dando risadas com as piadas malucas. Ah! Essa música me leva a Londres e a boas lembranças de tempos idos.

- Tio, pede para colocar margarina e queijo também?
Percebo que o menino tinha ficado ali.
- OK, mas depois me deixe trabalhar, pois estou muito ocupado, tá?
Chega a minha refeição e junto com ela o meu constrangimento. Faço o pedido do menino, e o garçom me pergunta se quero que mande o garoto ir. Meus resquícios de consciência me impedem de dizer. Digo que está tudo bem.

- Deixe-o ficar. Traga o pão e mais uma refeição decente para ele.

Então o menino se sentou à minha frente e perguntou:

- Tio, o que está fazendo?
- Estou lendo uns e-mails.
- O que são e-mails?
- São mensagens eletrônicas mandadas por pessoas via Internet.
Sabia que ele não iria entender nada, mas a título de livrar-me de maiores questionários disse:

- É como se fosse uma carta, só que via Internet.
- Tio, você tem Internet?
- Tenho sim, é essencial no mundo de hoje.
- O que é Internet, tio?
- É um local no computador onde podemos ver e ouvir muitas coisas, notícias, músicas, conhecer pessoas, ler, escrever, sonhar, trabalhar, aprender. Tem tudo no mundo virtual.
- E o que é virtual, tio?
Resolvo dar uma explicação simplificada, novamente na certeza que ele pouco vai entender e vai me liberar para comer minha refeição, sem culpas.

- Virtual é um local que imaginamos, algo que não podemos pegar, tocar. É lá que criamos um monte de coisas que gostaríamos de fazer. Criamos nossas fantasias, transformamos o mundo em quase como queríamos que fosse.
- Legal isso. Gostei!
- Mocinho, você entendeu o que é virtual?
- Sim, tio, eu também vivo neste mundo virtual.
- Você tem computador?
- Não, mas meu mundo também é desse jeito... Virtual. Minha mãe fica todo dia fora, só chega muito tarde, quase não a vejo. Eu fico cuidando do meu irmão pequeno que vive chorando de fome, e eu dou água para ele pensar que é sopa. Minha irmã mais velha sai todo dia, diz que vai vender o corpo, mas eu não entendo, pois ela sempre volta com o corpo. Meu pai está na cadeia há muito tempo. Mas sempre imagino nossa família toda junta em casa, muita comida muitos brinquedos de Natal, e eu indo ao colégio para virar médico um dia. Isto não é virtual, tio?
Fechei meu notebook, não antes que as lágrimas caíssem sobre o teclado.


Esperei que o menino terminasse de literalmente 'devorar' o prato dele, paguei a conta e dei o troco para o garoto, que me retribuiu com um dos mais belos e sinceros sorrisos que eu já recebi na vida, e com um 'Brigado tio, você é legal!'. Ali, naquele instante, tive a maior prova do virtualismo insensato em que vivemos todos os dias, enquanto a realidade cruel rodeia de verdade, e fazemos de conta que não percebemos!