segunda-feira, 20 de outubro de 2008

São Paulo colabora para manter ciclo destrutivo na Amazônia: Diz Reporter Brasil

As entranhas da relação entre a destruição da Amazônia e a economia da cidade de São Paulo foram expostas, nesta terça-feira (15), com a apresentação do estudo "Conexões Sustentáveis São Paulo - Amazônia: Quem se beneficia com a destruição da Amazônia?".

O trabalho foi elaborado por jornalistas das ONGs Repórter Brasil e Papel Social Comunicação, que durante meses percorreram milhares de quilômetros pela Amazônia para verificar a situação dos impactos ambientais e sociais causados pelo avanço da agropecuária, do extrativismo, das plantações de soja e até dos financiamentos públicos e privados sobre a floresta.

A região da bacia do Rio Xingu, distribuída entre os estados do Mato Grosso e Pará, serviu como limite geográfico para a investigação dos elos produtivos que ligam os negócios entre esta região e São Paulo. A bacia do Xingu tem 51 milhões de hectares e mais da metade de seu território está protegida por Terras Indígenas e Áreas de Conservação.

2 comentários:

Airton disse...

o potencial da pecuária amazônica vem atraindo inclusive a atenção de empreendedores sem tradição no segmento que tem interesse na multiplicação do capital investido. O caso mais notório é o do Grupo Opportunity, ligado ao banqueiro Daniel Dantas, com participação relevante naquela que já constitui a maior empresa de pecuária de corte do Brasil: a Agropecuária Santa Bárbara Xinguara. Com menos de três anos, a empresa já conta com impressionantes 500 mil hectares espalhados por 15 municípios do sul paraense. E o número de bois pastando nas terras da empresa cresce alucinadamente. Apenas entre 2006 e 2007, o incremento foi de 365%. O rebanho já chega a quase meio milhão de cabeças.

ANDRÉ disse...

ORA, O QUE LEMOS É O OBVIO. SEJA SÃO PAULO OU QUALQUER ESTADO QUE TENHA ALGUMA PODER AQUISITIVO SERÁ UM `"CUPIM DE FLORESTAS". É ABSURDO ACHAR QUE ISSO É O FIM DO MUNDO. ISSO É MUITO NATURAL E SEMPRE VAI ACONTECER. NÃO SIGNIFICA QUE AQUELES QUE EXPLORAM AS MADEIRAS NÃO SEJAM OBRIGADOS A REPOR ARVORES. AÍ, ESTÁ O ÂMAGO DA QUESTÃO. DERRUBA, PLANTA. SEJA PARA USAR A MADEIRA, SEJA PARA PLANTAR, ...